2011/06/27

Automóveis sem Condutor


O dia em que automóveis sem condutor circularão pelas estradas aproxima-se. Um futuro que, apesar de parecer ficção científica, é possível hoje mesmo - conforme se pode ver pelos automóveis sem condutor do Google, que já percorreram autonomamente mais de 200 mil quilómetros convivendo "alegremente" com os restantes veículos.

Nos EUA, o estado do Nevada quer permitir a circulação de automóveis autónomos que se conduzem sozinhos, e pediu à entidade responsável que criasse regras e testes adequados a esta nova geração de veículos.

Tal como os primeiros veículos motorizados, também estes primeiros automóveis sem condutor serão alvo de atenção e - seguramente - alguma polémica. Pode imaginar-se que os primeiros acidentes com estes veículos serão mediatizados até à exaustão; e o primeiro acidente mortal então... será melhor nem falar.

Mas, para o bem e para o mal, parece-me que o futuro dos automóveis autónomos será inevitável e até desejavel! No meio das selvas urbanas onde tantas vezes vemos constantes abusos das mais elementares regras de trânsito (já para não falar do bom senso e civisimo), parece-me que estaremos muito melhor sabendo que há um cérebro electrónico imune ao stress ao volante.

Tal como anteriores meios de transporte, o automóvel passará a ser unicamente uma forma de locomoção com o mínimo de chatices para os passageiros - sendo que quem o quiser fazer por "prazer", poderá dar largas aos seus "dotes" (ou falta deles) em ambientes controlados e seguros - principalmente para as outras pessoas - em vez de o fazer em estradas públicas.

Por último, e não menos importante... o automóvel passará a estar ao alcance de todas aquelas pessoas que até ao momento estavam impossibilitadas de conduzir.

Infelizmente, tal como os automóveis eléctricos, que nos vêm sendo prometido há "décadas", também estes automóveis autónomos deverão demorar muitos anos até que se tornem comuns nas nossas estradas... Até lá podemos contar com sistemas "temporários", como este da VW que permite que o automóvel se conduza sozinho nas auto-estradas.

8 comentários:

  1. Há-de aparecer alguém a "rootar" o carro, can't wait!!! :)

    ResponderEliminar
  2. já há muita gente a fazer isso, de smarts a Prius... :)

    ResponderEliminar
  3. Acreditas que estive ao pe deste carro o ano passado quando a minha irma me veio ca visitar?! (pelo menos parece o mesmo):
    https://picasaweb.google.com/luismiguelferreirasilva/FeriasSusanaEMarcio#5500121277528713522

    Eram uns alunos da Universidade de Stanford que estavam nos Bonneville Salt Falts a fazer testes com aquele carro, para o por a andar sozinho :o).

    Abraco,
    Luis Miguel

    ResponderEliminar
  4. Malta, por cá também há disto!

    http://atlas.web.ua.pt/atlascar.html

    Porreiro era o nosso Estado permitir testes mais avançados destas brincadeiras...

    ResponderEliminar
  5. O maior problema disto, prende-se a dois factos que penso muitos apoiantes desta tecnologia se estão a esquecer...

    Com isto a seguir para a frente, quem é que vai comprar um Peugeot RCZ, um Audi TT, um Focus ST/RS (bons exemplos de uma condução soberba), quando o carro fará tudo por nós?

    Ninguém no seu perfeito juízo comprará um carro do género que é fabricado propositadamente para nos ofertar um prazer de condução fora do normal (digo eu).

    Com este cenário os fabricantes terão de se adaptar e reinventar o conceito de automóvel.

    Portanto assim sendo, deverá demorar muito mas muito muito tempo a chegar...

    ResponderEliminar
  6. @Pedro

    A UA em grande como sempre, não conhecia esse projecto.


    @Rui

    É como disse, irá separar-se o "funcional" do "lazer". Já quantas pessoas não o fazem actualmente, preferindo um carro desportivo mas tendo que optar por um familiar; ou escolhendo o veículo não pelos seus cavalos mas sim pelo volume da mala e/ou número de lugares disponíveis?

    Sim, claro que é coisa que irá demorar muitas décadas até se implementar em escala; (veja-se o estigma que tantos condutores têm ainda contra as caixas automáticas por lhes retirar o "prazer da condução"; quando depois passam 99% do tempo no pára-arranca das cidades... a dar "prazer" à embraiagem... ;)

    ... E como disse, a estrada é um local onde se devem seguir as regras. Ter prazer normalmente implica ir um pouco mais além dessas regras, e potencialmente colocando em risco os outros utentes das estradas. Pelo que me parece bem mais eficiente que tal seja feito em locais apropriados para o efeito - tipo track days em circuitos fechados, etc.

    ResponderEliminar
  7. Vai ser o futuro. O Kitt vai ser uma realidade...

    ResponderEliminar
  8. Excelente resposta Carlos.

    E não está assim tão longe a implementação de sistemas de condução e segurança assistida.

    Essa tendência será progressiva e começou com os sistemas de travagem automática e terminará quando a condução por humanos apenas for permitida em circuitos fechados...

    ResponderEliminar

[pub]