2012/02/10

Análise ao Transformer Prime


O Asus Transformer foi um dos mais bem sucedidos e apetecíveis tablets Android que surgiram até ao momento, mas - como é costume - não demorou muito para que a Asus desse uso ao ensinamentos daí tirados... e agora materializados sob a forma de um, ainda mais apetecível, Transformer Prime que estreia a chegada dos novos Tegra 3 Quad-Core.

Vamos lá ver então o que este Transformer Prime da Asus tem para oferecer...





O Transformer Prime

Para além das suas capacidades "transformistas", que tornam este equipamento num misto de tablet/netbook - e que tanto atrai as atenções de muitos consumidores, que procuram um "2 em 1" - este Transformer Prime distingue-se do modelo anterior por um design bastante mais bem conseguido e com acabamentos "de luxo".

Enquanto o anterior modelo tinha aspecto mais volumoso e era feito em plástico, este Transformer Prime é bem mais esguio (apenas 8.3mm) e é feito em metal (algo que também traz os seus problemas, como veremos mais à frente).



Para além disso, não podemos esquecer tudo o resto que este Prime tem para oferecer para além do metal: um fantástico Tegra 3 quad-core; a mais recente versão do Android (4.0); câmaras de 8MP e 1.2MP; ecrã LCD Super IPS+ (com Gorilla Glass da Corning para superior resistência); para além da sua autonomia, que com o teclado/dock, pode chegar às 18h.



Para os que tiverem dúvidas quanto à sua espessura...



Aqui está o Transformer Prime comparado com um iPhone 4... provando que este tablet é mesmo bastante fino! :)


Fotos e Vídeo


Sendo a câmara de 8MP um dos destaques da ASUS, comecemos então por ver o que vale...



E novamente se verifica que não há milagres... Uma vez mais, não é pelo facto de os fabricantes se divertirem a anucciarem mais e mais pixeis que isso se traduz em fotos melhores. As imagens captadas pelo Transformer Prime são razoáveis, mas não seria pior terem mantido um sensor de 5MP que oferecesse ainda melhores prestações. (Por outro lado, temos que estar conscientes que não será esta a principal função de um tablet.)



A App de foto e vídeo oferece bastantes possibilidades (das quais o zoom digital é para esquecer), mas por outro lado até se comporta bastante bem em ambientes completamente às escuras usando o seu flash led que também funciona como iluminador durante a gravação de vídeo.







Como não podia deixar de ser, também estão disponíveis as fotos panorâmicas (e vídeo time-lapse, que dá sempre para fazer umas coisas engraçadas. :)




Em Funcionamento


Logo desde o primeiro momento que se vê que este Tablet é o indicador do que o futuro nos reserva: tudo o que se queira fazer acontece a alta-velocidade. Vê-se que o Tegra 3 é mesmo aquilo que os tablets estavam a precisar, e depois de mexer neste tablet todos os outros irão parecer (ainda) mais lentos. As capacidades gráficas melhoradas são também bem visíveis, e rivalizando com aquilo que ainda há poucos anos apenas seria possível com uma placa gráfica num PC ou consola de jogos.




A par do Android 4.0, notam-se também as evoluções que a ASUS implementou, com alguns melhoramentos face às do Transformer original. Podemos agora ver o estado das baterias em separado (a do tablet e a da dock/teclado), e nalgumas Apps é até possível fazer a transição entre tablet/netbook sem interromper a App. No jogo Shadowgun por exemplo, se estiverem a ficar sem bateria, poderão encaixa-lo na dock sem interromper o jogo (infelizmente não suporta ainda o touchpad/rato... senão seria uma "máquina de jogos" perfeita para jogos FPS! :)



Nas definições podemos ajustar o brilho do ecrã IPS+, que tem um modo "turbo" para ser usado no exterior, e que permite aumentar ainda mais o brilho; para além de diversos modos de funcionamento, desde modos económicos para poupar a bateria, equilibrados, ou de potência total. Para a maior parte dos casos, mesmo em modo económico o desempenho é mais que suficiente.


O teclado é, como seria de esperar, um dos factores principais de diferenciação deste tablet, e torna qualquer sessão de escrita bastante mais agradável. Tão agradável que por vezes nos faz acreditar que estamos mesmo perante um verdadeiro "portátil" - mas que infelizmente depois nos faz acordar para a realidade. A falha não é do hardware... mas sim do software!

O Android 4.0 é uma excelente plataforma, e que bem demonstra a evolução que o Android tem tido (até nos permite ter relatórios detalhados sobre o uso da bateria e o tráfego de dados de cada App); mas tem também algumas lacunas que se poderão considerar "graves" - como é o caso do seu browser. (Foi recentemente lançado o Chrome para Android, mas ainda não estava disponível na altura do teste, pelo que me refiro ao browser fornecido de origem com o Android 4.0).

Mesmo com um quad-core no seu interior, a utilização do browser continua a deixar bastante a desejar... com lentidão a reagir aos nossos gestos e cliques, e muitas vezes fazendo com que se repitam toques, que depois são processados em duplicado causando enorme frustração. Penso que por esta altura, e com este hardware disponível, deveria ser algo que já estivesse ultrapassado.

Uma visita às folhas de cálculo do Google Docs - seleccionando a versão "desktop" - é disso exemplo... e onde temos que fazer vários cliques para conseguir mudar de célula. Situações que mancham uma experiência que se esperaria isenta de hesitações.





Apreciação Final


Com este Transformer, não há dúvida que a ASUS deu um grande passo em frente na criação de tablets apetecíveis e que eventualmente se tornarão também nos nossos portáteis. Infelizmente, os ensinamentos que tirou com o primeiro Transformer não invalidaram que outros erros fossem cometidos. A sua construção inteiramente em metal teve impacto negativo na recepção do sinais WiFi e de GPS - que continuam a funcionar, mas com sensibilidade reduzida face ao modelo anterior. Algo que muitos potenciais clientes poderão não estar dispostos a perdoar neste modelo que se posiciona como "topo-de-gama". (Para não falar de que uma nova versão, com ecrã HD estará já prestes a chegar ao mercado nos próximos meses, para competir com o lançamento do iPad 3).

Por outro lado, mesmo se perdoarmos esses aspectos e nos focarmos em tudo o que tem de bom, temos ainda que enfrentar um Android que continua a ter bastante que evoluir quando o pretendemos utilizar como "portátil" - uma sensação que já tinha acontecido por altura do teste ao primeiro Transformer, e que este Android 4.0 melhorado ainda não conseguir resolver totalmente.

Espero sinceramente que com a chegada do Chrome ao Android, o aspecto do browsing ao nível do que se pode esperar num computador desktop fique finalmente resolvido, e esse será sem dúvida uma enorme mais valia para este equipamento. (E penso que seja algo que tenha forçosamente que ficar resolvido rapidamente, sob pena de, com a chegada do Windows 8 aos ARMs e tablets, este se poder tornar mais atractivo nestas funções e complicar ainda mais a adopção dos Android neste formato.)

Mas novamente, muitos compradores não estarão interessados em pagar agora por algo que eventualmente será corrigido no futuro - ainda para mais quando esse futuro contempla novos modelos, com ecrãs de alta-resolução, e que poderão chegar ao mercado antes do final do ano. Por isso mesmo, este Transformer Prime, embora apetecível, torna-se numa decisão particularmente difícil: se pretendem um tablet excelente e veloz e estão dispostos a perdoar a pouca sensibilidade do GPS e WiFi, sem dúvida que encontram aqui o melhor tablet do momento. Se por outro lado não têm a absoluta necessidade de comprar um tablet neste preciso instante, a opção mais acertada poderá passar por aguardar mais um pouco e ver o que está para chegar.



Asus Transformer Prime


Prós
  • Design e qualidade de construção
  • Desempenho
  • Android 4.0 actualizado
  • Autonomia

Contras
  • Sensibilidade do WiFi e GPS reduzidas
  • Browser do Android 4.0 ainda deixa a desejar

Galeria de Fotos



24 comentários:

  1. Pela análise, gostei muito, e nunca compraria! :)
    Contraditório? Talvez. Mas hoje em dia, comprar um equipamento cujo WiFi fosse problemático, é simplesmente impensável.

    ResponderEliminar
  2. Carlos depois da uma ideia como funciona o chrome no android 4.0!

    ResponderEliminar
  3. "A falha não é do hardware... mas sim do software!" - Infelizmente, na minha opinião, a falha é do reviewer, que por algum motivo não está a considerar que o Android é um OS para dispositivos moveis. A Asus resolveu adicionar um teclado ao transformer, a meu ver mais como manobra de marketing. Se não resulta não é culpa do software. Não podemos por umas asas num carro e dizer que não voa por falha do motor.
    Quem procura um tablet encontra falhas no Transformer, sim, mas não no Android. Porque quem quer um portátil pode comprar um netbook por 1/3 do preço, e usar Windows, Linux, MacOS, para falar apenas dos mais conhecidos.

    Sem estar a defender o Android ou sequer a Google, acho lamentável que leve uma nota negativa por um "erro" de um fabricante de hardware. Não digo que seja mau ter um teclado (para mim é um extra absolutamente desnecessário, mas para a Asus é a principal fonte de rendimento) mas para outros pode ser muito útil. Só não acho que seja motivo para comparar um tablet a um portátil, e muito menos para criticar o Software por falhar como "portátil".

    Será problema do Android quando as aplicações da Google não aparecem em tablets chineses de €100? Ou será dos fabricantes que não atingiram os parâmetros mínimos impostos para criar uma boas utilização, e por isso não podem disponibilizar a "Google Experience"?

    É apenas a minha opinião, mas acho relevante para aqueles que não conhecem a plataforma.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. @Anónimo
      Aceito todas as críticas, mas uma vez que as críticas ao browser se aplicam quer esteja o teclado ligado, quer ele esteja em modo tablet, reafirmo que a falha é do Android e não do equipamento.

      Ou será que o facto de ser "mobile" desculpa que coisas tão básica como a simples navegação pela web não funcione da forma como seria suposto?

      Eliminar
    2. Luis Faria10/2/12 20:45

      "Quem procura um tablet encontra falhas no Transformer, sim, mas não no Android." - What? O Android não tem falhas? Tem e não são poucas, assim como o WP7.5 as tem e o iOS também.

      Eliminar
  4. @Carlos
    Não discordo, aliás uso quase sempre o Dolphin Browser (que também tem os seus problemas) e raramente o browser nativo. O meu comentário foi apenas porque a questão da "falha" aparece relacionada com a experiência de "um verdadeiro portátil" e não com o browser. Acho que quem não conhece o Android não fica com a ideia de que o comentário se relaciona com o browser.

    ResponderEliminar
  5. As letras do texto estão minusculas, mudaram o tamanho da letra?

    ResponderEliminar
  6. Tenho um transformer prime. E adoro o equipamento. No entanto isso que o Carlos refere do browser é totalmente verdade... Espero que o chrome traga vantagens acrescidas. Já o testei mas ainda tem algumas arestas a limar... Pelo menos neste equipamento. Em relação ao wireless... No dia a dia ainda não notei muitos problemas mas tem um ligeiro decréscimo face a outros equipamentos.. Depende de onde o usam... Já agora para os interessados vai sair um FOTA nos próximos dias com correcções a nível wifi e reboots que alguns utilizadores reportaram.

    ResponderEliminar
  7. Olá,

    Estava interessado em comprar este tablet e gostaria de saber a tua opinião quanto ao real impacto do GPS/Wifi/BT neste tablet.

    É algo impeditivo de forma que não se apanha wireless na sala ao lado e/ou em que o GPS não faz "lock"?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Em locais com boa cobertura WiFi não sentirás problemas.
      Quanto ao GPS, o que se nota mais, é uma precisão mais reduzida - por exemplo, em vez de teres uma precisão de 10m que dê para usar como navegação no automóvel, muitas vezes podes ter apenas uma precisão de 50m ou 100m que já te pode colocar em estradas "ao lado"...

      Ou seja, é mais que suficiente para situações de geo-localização aproximada, mas não para ser usado como "navegador".

      Eliminar
    2. Humm... isto realmente torna-o menos apetecível.

      Estava em dúvida entre este e o Transformer original e para mim uma boa recepção de Wifi é algo importante e é-me difícil imaginar até que ponto este problema poderá afectar o uso na wifi em casa.

      Tendo em conta a diferença de preço e anulando de todo a existência do GPS (que é basicamente o que a ASUS está a fazer), na tua opinião, o Prime ainda será a escolha acertada e prol do Transformer original?

      Haveria a possibilidade de usares a aplicação "Wifi Analyzer" no Prime VS outro dispositivo em diferentes localizações/distâncias?

      Eliminar
    3. Já não tenho o Prime por cá.

      Eliminar
    4. E qual será então, na tua opinião, a escolha acertada entre os dois modelos do Transformer?

      Eliminar
    5. Considerando que no caso deste prime ainda se trata de um investimento de 600€, penso que o ideal seria aguardar pela sua próxima geração. Que certamente virá com estes problemas corrigidos, e dará também tempo para que o Android 4.0 lime as arestas que faltam limar.

      Eliminar
    6. Ao que li, a ideia da ASUS é manter os dois modelos sendo que o novo seria ainda mais "high end" onde o preço também se iria reflectir. Ou seja... não seria algo para substituir o modelo actual e os seus problemas.

      Li também que os problemas de wifi estão maioritariamente associados a alguns lotes iniciais com problemas nos conectores das antenas.


      Bem, acho que vou esperar para ver que direcção isto irá tomar.

      Eliminar
  8. Que estranho esse teclado tem o Ç. Achei que não produzissem nesse padrão brasileiro... Alguém pode me explicar isso? Eu tenho o prime e quero um teclado, aonde posso comprar com ç?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas qual padrão barsileiro? O Ç está no normal local para um teclado PORTUGUÊS. De onde saíu esa noção de BRASILEIRO?

      Eliminar
  9. Anónimo9/4/12 19:47

    Com esse "padrão brasileiro" ela quis dizer "Padrão ABNT" (Associação Brasileira de Normas Técnicas). Ela deveria pensar que só existisse no padrão americano, sem o Ç.

    ResponderEliminar
  10. 1- Não consigo transferir arquivos de video do meu PC (windows 7 64bits)para o meu Transforme Prime. Aparece um aviso informando que o arquivo poderá não funcionar… Se eu insisto na transferencia dá um erro informando que o Internet Explorer deixo de funcionar e fica tudo lento… Alguém sabe o que está acontecendo… Isso é apenas comigo?

    2- Tem como abrir abrir as pastas de memoria interna e memória externa na depuração usb? Aparece esse opção aqui… vejo que está tudo ativado mas mesmo assim não aparece as pastas como se fosse PenDrives no meu Windows…
    Tem como fazer a depuração usb como se fosse num celular com android?

    Desde já muito obrigado… Espero que alguém possa me ajudar.

    ResponderEliminar
  11. Anónimo1/5/12 01:34

    Eu comprei este tablet + dock e tenho também o Samsung Galaxy Tab 10.1 P7510 e como o Transformer TF201 começou a dar problema pela falta de sensibilidade do Wifi e não encontrava a rede do Modem TL-MR3420 que sempre transporto ele e na obra que trabalho (Engenheiro Civil) o modem Wifi fica no meu escritório dentro de um container e com o Galaxy Tab o wifi pega pelo lote inteiro e já o Transformer não pegava sinal a 70m do router e o outro pegava a 250m, depois que fiz um update da ROM dele e acabei colocando o do Galaxy Tab 10.1 sem querer porque me confundi e o Wifi estava funcionando melhor que do Samsung Galaxy Tab.
    A ROM OFICIAL do Transformer está com algum problema porque o Wifi fica mais fraco e o desempenho com outra ROM deu em até 30% de mais desempenho no tablet.

    ResponderEliminar
  12. O interessante é que os problemas de navegação no Android estão se perpetuando. Tenho um Transformer TF101 a uns 9 meses e adoro meu tablet, inclusive estou digitando nele, no teclado/dock recém adquirido (que veio no padrão ABNT, que não sei se é o mesmo de vocês portugueses). E os problemas de navegção são os MESMOS que estão sendo reportados pelos usuários de Transformer Prime.

    O hardware, mesmo em sistemas com Tegra 2 ou similares de outras empresas, é sim o suficiente pra uma navegação rápida, afinal tudo que se tenta fazer sem mudanças de página constantes é rápido, mesmo sites relativamente pesados. O principal problema está na alteração de páginas, menus, etc, onde não sei o motivo TODOS os browsers para tablets (Android 3 ou 4) estão sofrendo. Em alguns casos sinto a navegação mais fluida no meu Motorola Defy (o original, com single core de 800MHz) com Android 2.2 do que com o Transformer com 4.0.3!

    Pra mim é claramente culpa do software, ou seja, culpa dos browsers e principalmente do Android, já que Apps são muto mais dependentes do SO do que o são os programas para Windows, que rodam de forma mais independente.

    ResponderEliminar
  13. O interessante é que os problemas de navegação no Android estão se perpetuando. Tenho um Transformer TF101 a uns 9 meses e adoro meu tablet, inclusive estou digitando nele, no teclado/dock recém adquirido (que veio no padrão ABNT, que não sei se é o mesmo de vocês portugueses). E os problemas de navegção são os MESMOS que estão sendo reportados pelos usuários de Transformer Prime.

    O hardware, mesmo em sistemas com Tegra 2 ou similares de outras empresas, é sim o suficiente pra uma navegação rápida, afinal tudo que se tenta fazer sem mudanças de página constantes é rápido, mesmo sites relativamente pesados. O principal problema está na alteração de páginas, menus, etc, onde não sei o motivo TODOS os browsers para tablets (Android 3 ou 4) estão sofrendo. Em alguns casos sinto a navegação mais fluida no meu Motorola Defy (o original, com single core de 800MHz) com Android 2.2 do que com o Transformer com 4.0.3!

    Pra mim é claramente culpa do software, ou seja, culpa dos browsers e principalmente do Android, já que Apps são muto mais dependentes do SO do que o são os programas para Windows, que rodam de forma mais independente.

    ResponderEliminar
  14. Boa tarde,

    Entre este Asus + dock e o "the new iPad + keyboard" qual seria a melhor opção? Para utilizar mais como dispositivo para ler/responder email, alterar alguns ficheiros, navegar pela web.

    Qual é o teu conselho?

    Ant. Grato.

    ResponderEliminar

[pub]