2012/02/10

(Re)Pagar pela Música já Comprada


Numa altura em que tanto se tem falado sobre a justa compensação dos autores pelos seus "direitos de autor", continua por se encontrar uma solução perfeita que agrade a autores e consumidores - e isso será algo que, infelizmente, parece não estar destinado a ser resolvido nos próximos tempos.

Talvez seja curioso analisar os resultados monetários do serviço iTunes Match da Apple, que já começou a distribuir dividendos pelos artistas.

O iTunes Match é aquele serviço da Apple que pesquisa o vosso disco por músicas e automaticamente vos dá acesso às versões de alta-qualidade existentes no iTunes sem que tenham que fazer o upload dos "gigas" da vossa colecção. Muitos artistas gritaram que seria um atentado aos seus direitos, uma vez que também as músicas "piratadas" seriam reconhecidas e dando acesso "legal" às mesmas.

Mas, este é um serviço pelo qual cada utilizador tem que pagar $25 anuais... e ao contrário das taxas "cegas" que por cá nos querem fazer pagar, aqui cada artista tem direito a receber a sua comissão de cada vez que alguém ouve ou faz download da sua música!

Ou seja, muito ou pouco, o autor irá receber dinheiro - quer das pessoas que já compraram as suas músicas, mas que continuamente as continuam a ouvir; quer de quem "piratou" a música, mas usa o iTunes Match para as ouvir. É certo que os consumidores "legais" estão a pagar $25/ano para ouvirem aquilo por que já pagaram e poderiam ter direito a ouivir gratuitamente... mas... pergunto-vos se não será uma solução bem mais justa para todos?

E ao menos não estão a pagar uma taxa que vos vai entregar sabe-se lá quantos euros a determinado artista que nunca ouviram, só por terem comprado um disco para guardar os vossos vídeos de férias! (PL118)

2 comentários:

  1. 25 dollars ao ano é mais que justo, é uma pechincha, não estamos aqui a falar em aumentar um HDD para o dobro do preço e dar esse dinheiro a gajos que não me interessam para nada

    ResponderEliminar
  2. Só um detalhe Carlos, os US$ 25 não são para pagar as músicas (já pagas ou piratas) e sim pela transmissão dessas em streaming (algo semelhante ao Spotify) e pela sincronização entre as iCoisas e o computador. Podemos assinar por um ano, "legalizar" as músicas piratas e ao fim desse período cancelar o serviço, mas continuamos com as músicas vindas da iTunes Store no nosso computador ou dispositivo. Apenas não teremos mais o streaming, a sincronização e a "legalização" de músicas pirateadas depois do fim da assinatura. Creio que vale bem o preço. Logo que esteja disponível em Portugal tenciono subscreve-lo.

    ResponderEliminar

[pub]