2012/11/18

Nexus 4 tem chip LTE/4G


Se muitas pessoas poderão achar estranho o facto do mais recente modelo Android de referência do Google, o Nexus 4 não ter suporte para redes 4G/LTE; muitas poderão achar ainda mais estranho o facto de no seu interior se encontrar um chip de comunicações (Qualcomm WTR1605L) que realmente suporta as redes 4G em 7 frequências diferentes.

Poderá ser um pouco estranho, mas há alguns aspectos que podem ajudar a compreender esta decisão: nomeadamente a dos licenciamentos!

Hoje em dia, no complicado mundo em que vivemos, poderá ser bastante simples encontrar e comprar chips para telemóveis com potência superior à que os computadores desktop tinham há meia-dúzia de anos... No entanto, para se poder tirar total partido deles, caímos numa autêntica teia de aranha de patentes, copyrights, e licenciamentos.


Foi um dos temas que tive o especial privilégio de poder discutir numa sessão ultra-especial que serviu para encerrar o meu Codebits 2012 (relato completo virá assim que for possível, deixem-me primeiro por o sono em dia! :) e que se prolongou pela noite dentro até horas impróprias... assim... tipo... 3h da manhã! (Sim, estava-se mesmo a dar literal sentido ao "aberto até de madrugada" que tão bem conhecem. ;)

É que, convenhamos que não é todos os dias que se podem reunir num só local pessoas como o Celso (do Sapo - como se fosse necessário dizê-lo), o Filipe Valpereiro (Inmotion), Rob Bishop (Raspberry Pi), e Eric  de Brujon (Ultimaker).

E efectivamente falou-se do "triste" que é actualmente muitas empresas terem que desperdiçar mais tempo e recursos preocupando-se em não fazer coisas que as possam sujeitar a processos multimilionários por violação de patentes, do que propriamente a desenvolver as coisas que desejariam poder fazer. Rob Bishop recordou até o facto absurdo da questão dos licenciamentos dos codecs de vídeo, onde um codec MPEG2 já antigo e sem interesse ser mais caro do que um MPEG4 H.264, com muito melhor qualidade e eficiência - pelo simples facto de na altura do MPEG2 não haver grandes alternativas, e portanto os seus "donos" poderem cobrar o que lhes apetecia; e mais recentemente, devido à existência de codecs open-source já capazes de competir com eles, os preços tiveram que baixar.


Portanto, também aqui no caso do 4G no Nexus, é perfeitamente natural que, para conseguirem oferecer o Nexus 4 a este preço de arromba de $299 dólares, tenham optado por poupar "em todo o lado", incluindo deixar de parte as licenças para utilização do chip em modo LTE/4G. Isso, e também para não terem que se preocupar - por agora - com a questão de poderem ser obrigados a ter diversos modelos, para diferentes países, já que são utilizadas mais de 30 frequências diferentes pelo mundo fora.


(A nível das indicações a respeito da desmontagem do Nexus 4, salienta-se igualmente o facto de não ser muito fácil trocar de bateria, já que a antena NFC e sistema de carregamento sem fios, a par dos adesivos usados para a fixar.)


E a nível da tal conversa pela madrugada dentro com aquele quarteto inesquecível poderão esperar algumas novidades para breve... tanto a nível de Raspberry Pi's, como de impressoras 3D ultimaker, como... quem sabe... algo mais? ;)


1 comentário:

  1. Este tipo de coisas é bom para os compradores que optem por Roms e Kernels "cozinhados"... :)
    Por norma conseguem activar este tipo de funcionalidade.

    ResponderEliminar

[pub]