2012/12/13

YotaPhone Dual Screen combina LCD e E-ink


Há empresas que continuam a explorar as vertentes multi-ecrã, sendo que mesmo agora ainda não existe nenhuma tecnologia que pareça dar resposta a todas as necessidades e em todas as situações. Os LCDs são bons nuns casos, os AMOLED são bons noutros, e os e-Ink são excelentes noutros.

Se não é possível ter uma solução para tudo, a Yota Devices decidiu fazer o que pode: um smartphone com dois ecrãs de tecnologias diferentes. O Yota Phone tem um ecrã LCD HD e também um ecrã e-Ink de 200dpi na outra face.

Por enquanto não passa de um protótipo, mas com um CPU Snapdragon S4 a 1.5Ghz, 2GB de RAM, e câmara de 12MP... não parece faltar nada para que pudesse convencer alguns compradores.

A vantagem de ter um ecrã e-Ink é que assim se torna possível ter informações continuamente a ser exibidas sem gastar energia. Para isso, as Apps podem dar uso ao SDK que a Yota disponibiliza, ou podem também fazer um gesto em V para que o ecrã e-Ink passe a mostrar uma cópia do ecrã actual que estiverem a ver no LCD.

No futuro, acredito que a tecnologia nos permitirá criar um único ecrã que sirva para todas as circunstâncias, mas até lá... não digo que este tipo de combinações não possa ser interessante.

5 comentários:

  1. A sair para o mercado terá certamente um preço proibitivo. Seja como for, não me parece que venha a ter muito mercado.

    E tendo em conta que um eReader já fica menos de 100€, julgo não ser algo extremamente necessário.

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  3. Será um telemóvel híbrido :-)
    Estou particularmente interessado na autonomia (real). Deverá ser bem interessante...
    E em características não fica atrás dos melhores...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E isso é outra coisa que me estava a esquecer.
      Apesar do e-Ink consumir muito pouca energia, já sabemos que não teremos autonomia para 3 dias, ou algo parecido...

      Isto para não falar que tem o inconveniente de não se poder falar ao telemóvel e ler ao mesmo tempo...

      Eliminar
  4. O mais natural é nunca chegar ao mercado.

    ResponderEliminar

[pub]