2013/11/19

Galaxy Gear: Sucesso ou Flop?


Está tudo em reboliço para tentar perceber se o Galaxy Gear da Samsung pode ser considerado um sucesso ou um mega-falhanço. De um lado temos relatos de que terão sido vendidos apenas 50 mil destes smartwatches; do outro lado temos informações da Samsung de que já terão sido vendidos enviados para as lojas mais de 800 mil Gears. Afinal... em que ficamos?

Actualização: o valor de 800 mil unidades foi posteriormente rectificado para unidades que foram enviadas para as lojas, não unidades vendidas!

Como em tudo... a verdade deverá ser algo que se situa entre estes dois extremos. À partida temos que considerar mais fiáveis os dados fornecidos pela própria Samsung, das 800 mil unidades vendidas. No entanto, esse número certamente não contemplará a elevada taxa de devoluções que algumas lojas dizem ter tido - de cerca de 30%. Mas ainda assim... significaria que mais de meio milhão de utilizadores continuará a usar um Galaxy Gear no pulso.

O Gear veio aproveitar o desejo do mercado, sedento por um smartwatch, mas falhou ao não concretizar aquilo que se esperava que fizesse. Algo que a Samsung tem vindo a corrigir - a recente actualização que recebeu transforma-o num dispositivo muito mais útil (sendo que até agora, o número bastante limitado de apps que suportava tornava-o pouco mais que uma curiosidade tecnológica... cara.)

Ainda assim, penso que quaisquer que sejam os números verdadeiros das vendas há que não esquecer que o Gear sofre de um grave problema: que é o de funcionar apenas com um número bastante limitado de equipamentos da Samsung, como o Note 3 (embora a Samsung esteja a tratar de o levar até muitos mais equipamentos, como o Galaxy S4, S3, Note 2, S4 mini, os Mega, e até o S4 Zoom). Se a Samsung abrisse o Gear à "comunidade", de forma a que pudesse ser usado com qualquer Android com BT 4.0 (e até iPhones)... aí já se poderia ter uma percepção mais real de como o público reagiu ao Galaxy Gear, em vez de estarmos limitados apenas a um subconjunto reduzido de utilizadores Samsung que até há pouco tempo estavam limitados a quem tivesse um Note 3 ou Tab 10.

Por outro lado, poderá servir de lição: em vez de se lançar um produto só para se chegar primeiro ao mercado, e arriscar ficar com "má fama" por não fazer o que se desejava (mesmo que depois venha a ser corrigido com actualizações); talvez não fosse pior aguardar mais algum tempo até se ter um software capaz de tirar partido do produto e de impressionar os utilizadores com as suas funcionalidades. Como muitas vezes se diz, as primeiras impressões são as que mais contam; e todas aquelas pessoas que compraram um Gear para depois o devolver estarão neste momento a dizer a todos os seus amigos e conhecidos que aquilo "não presta", e a contribuir para a ideia do falhanço deste smartwatch.

[fontes: ai - reuters]

8 comentários:

  1. É no que dá não terem referências para copiar (apple)...

    Não quero passar por fanboy, até porque a própria apple tem dado muitos tiros nos pés, mas em termos de inovação, design e foco no consumidor a apple está a anos luz da concorrência. Ou acham que é só por serem produtos bonitos e estarem na moda?

    ResponderEliminar
  2. Acho que foi mega flop... Se toda a outra oferta no mercado foi porque é que a Samsung não ia falhar?

    Este mundo ainda não está pronto para wearable tech

    ResponderEliminar
  3. Eu acho que o wearable tech é que ainda não está pronto para este mundo.

    ResponderEliminar
  4. The Verge:
    "Update: Although Reuters reports the figure represents sales, Korean publication Yonhap claims Samsung is referring to shipments to retailers"

    http://www.theverge.com/2013/11/19/5121212/samsung-galaxy-gear-smartwatch-sales-figures

    Não sei se venderam os que enviaram para a distribuição ou não. Mas faz-me uma certa confusão passar, assim sem mais, de "shipments" para vendas, neste caso e noutros.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Na altura em que tinha lido a notícia os números eram dados como "vendas" e não "despachos"... E ainda por cima era na Reuters, o que inspirava alguma credbilidade.

      Eliminar
  5. Infelizmente por aí e o que se vai dizendo sem realmente se testar o equipamento no dia a dia, é tudo bluf… Posso dizer que tenho um Galaxy Gear e um S4 e funcionam quase como um só, é claro que não poderiam querer um smartwatch com todas as funcionalidade de um smartphone, como o caso da gama Galaxy.
    Acho bem que o smartwatch esteja só vinculado o seu funcionamento à samsung, é básico que uma tecnologia futurista se associe à compra de um aparelho da mesma marca (só depois do mercado estar inundado deste equipamentos aí sim estende-lo ao limite).
    Quanto à restrição de apenas a meia dúzia de equipamentos funcionar com o Gear também estou totalmente de acordo e acho que a exclusividade e de quem possa ter um brinquedo destes seja mesmo para quem tenha essa possibilidade (è a mesma coisa quem tem Rolex é mesmo para quem pode não para quem quer :) ).
    Bem mas fica aqui o desempenho do aparelho:
    Uso normal dia a dia, batería dura mais de 18 horas ligado ao meu S4, atender chamadas, falar com o smartwatch é bastante prático e fiável a quando não se está num lugar rodeado de estranhos, principalmente quando se conduz e não se tem Kit mãos livres.
    Funcionalidade e apps, sim podia ter uma ou outra que com o desenvolver poderá vir a suportar, mas as que tem são perfeitamente usuais e práticas no dia a dia.
    Quanto o uso como relógio acaba por ser um relógio de pulso perfeitamente normal e acende-se com o movimento do braço sem ser necessário tocar-lhe ao contrário do que dizem.
    O SVoice terá de ser actualizado para Português de forma a ser a perfeição para funcionamento por vós e aí sim mais uma grande mais valia o seu uso.
    Quanto ao smartphone, este ganhou tempo de bateria, pois não ter que o usar uma série de vezes para ler sms e para fazer chamadas, logo ganha tempo de bateria extra. Para terem ideia o Galaxy S4 dará com uso normal cerca de 10 a 14 horas de uso, passou a dar para cerca de 20 horas sem ter o colocar à carga (fantástico para os dias mais longos).
    Fica apenas pendente qual será a vida útil da bateria, pois temos que carregar o relógio todos os dias, caso o usemos todos os dias, para conseguirmos ter um ciclo de 18 a 20h, torna-se menos prático ter que por o aparelho a carregar, mas quem coloca o galaxy todos os dia a carregar basta ter a dock uma ao lado da outra.

    Classificação por mim merece 4,5 estrelas relativamente a preço e qualidade.

    ResponderEliminar

[pub]