2015/01/24

Scotty é um sistema de "teletransporte" de objectos usando impressora 3D


O sonho de teletransportar um objecto de um lado para o outro é algo que há décadas inspira cientistas, e agora há um projecto que o tenta fazer usando a tecnologia disponível actualmente. Mas com resultados que nos deixam com dúvidas sobre se será este o caminho a seguir.


Qualquer fã de ficção científica estará bem informado quanto à tecnologia de "teletransporte", popularizada por séries como Star Trek (alguns deles saberão até que esse sistema foi inventado apenas como forma de poupar dinheiro ao evitar a filmagem de cenas onde seriam necessárias naves mais pequenas para transportar a tripulação de/para os planetas).


Este Scotty (nome também inspirado na série) que permite "teleportar" um objecto de um lado para o outro, usando um scanner 3D e uma impressora 3D.

A diferença face a um scanner 3D convencional, é que neste caso temos um scanner 3D que vai destruindo a peça original - algo que será certamente do agrado dos defensores do DRM aplicado às impressões 3D, mas que acaba por ser um pouco contrário à (r)evolução que esta tecnologia permite.

Fará sentido estar a destruir-se a peça original, "só porque sim", quando nada impediria que se imprimissem "infinitas" cópias a partir de um único modelo digitalizado?

(E quem gosta destas questões gostará de saber que no caso do Star Trek temos episódios que abordam precisamente esta questão de avarias que fazem com que se criem pessoas duplicadas; embora para evitar polémicas existenciais, o teletransportador é descrito como enviando a própria matéria original para recriar a pessoa original desintegrada e não uma "cópia".)


Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]