2015/03/26

Facebook aposta no Messenger, video, Realidade Virtual, Internet of Things e mais

Com o início da sua conferência para developers F8, uma coisa parece ficar demonstrada: não há nada em que o Facebook não esteja interessado, e isso vai certamente fazer mexer todos os outros gigantes das áreas tecnológicas.

Comecemos pelo Messenger. Tal como já tinha sido referido, o Messenger passa a ser uma plataforma que permitirá a instalação das suas próprias "mini-apps" que permitirão expandir as suas capacidades "ao infinito". Podemos instalar apps que nos permitam enviar imagens com som (por exemplo), ou subscrever serviços que nos notifiquem de acontecimentos de última hora, ou resultados desportivos, ou tudo o mais que puderem imaginar. O Facebook também não se esquece das empresas, e disponibiliza ferramentas que permitirão uma comunicação mais eficaz entre elas e os seus clientes, com mensagens que podem conter elementos multimédia, confirmações de encomendas e estado das entregas, etc.



Procurando tornar o seu sistema de comentários ainda mais atractivo, estes passam agora a ter sincronização em tempo real. O que significa que comentários feitos num site que use os comentários do Facebook serão imediatamente reflectidos na página do FB e vice-versa.


Também temos um claro "pisar dos pés" ao Google: o Facebook permite que os seus vídeos sejam agora colocados em qualquer página web (como se faz com o YouTube), e também suporta vídeos a 360º como o YouTube recentemente adicionou (e também está a testar o modo autoplay que continuará a mostrar vídeo atrás de vídeo, sem nunca parar.) Obviamente, será algo que será promovido à exaustão assim que o FB lançar os Oculus Rift em versão comercial.


E se isso não fosse suficiente (a par dos anúncios que vão roubando clientela ao Google), o Facebook também apresentou uma plataforma para estatísticas - área onde o Google também costuma ter uma forte posição com o seu Google Analytics - e melhorou o seu sistema de apresentação/venda de publicidade para apps. Existem também novas formas de partilhar e promover apps entre os utilizadores.


E como não podia deixar de ser, o Facebook também não deixa passar a oportunidade de estar na "Internet of Things" com o seu Parse; um sistema que promete simplificar a ligação de todo o tipo de dispositivos à cloud e usar o FB como infraestrutura de comunicação e interligação. Um sensor de temperatura poderá enviar um alerta para o FB que vos faz chegar uma mensagem; e outra mensagem que enviem poderá desligar o aquecimento, ou apagar as luzes. Ainda ontem falávamos de que 2015 poderia ser "o ano" para as casas inteligentes, e parece que o Facebook também quer contribuir que assim seja.

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]