2015/07/06

Samsung e Oppo processadas por bloatware na China


Se são daqueles utilizadores que fica incomodado com a quantidade de "tralha" que algumas marcas pré-instalam nos seus smartphones e tablets, vão sentir-se solidários com a acção de um grupo de protecção dos consumidores chinês, que está a processar a Samsung e Oppo pelo "bloatware" que adicionam aos seus dispositivos.


Temos visto situações completamente caricatas, de smartphones que chegam aos utilizadores com uma fracção da sua capacidade de armazenamento realmente disponível para o utilizador. Se por um lado podemos usar isso para justificar a necessidade de se começar a exigir equipamentos com 32 ou 64GB de espaço como mínimo; por outro lado torna-se mais chato quando isso se deve à inclusão de software adicional indesejado - que nem sempre é possível remover de forma fácil.

No caso deste processo contra a Oppo e Samsung, são precisamente essas as preocupações principais; menos espaço livre disponível e dificuldade na desinstalação das apps indesejadas; para além dos potenciais custos acrescidos derivados da utilização de dados por estas apps e serviços "oferecidos". Como exemplos são referidos um Galaxy Note 3, que no mercado chinês chega aos utilizadores com 44 apps adicionais pré-instaladas; e um Oppo Find 7a, com 71 apps! Não fica, no entanto, especificado o que este grupo considerou para efeitos de bloatware, nem se o mesmo é da responsabilidade dos fabricantes ou de operadores que lhes adicionem apps extra.

Seja como for, é uma situação que merece ser abordada, e os fabricantes e operadores deveriam ter uma maior transparência quanto à possível quantidade de "lixarada" que podem incluir nos seus dispositivos e, no mínimo, serem obrigados a que estas mesmas apps adicionais possam ser removidas de forma fácil pelos utilizadores.

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]