2018/01/23

Bateria dos iPhones pode nem durar 18 meses


A Apple esperava que o programa de troca de baterias ajudasse a fazer esquecer o abrandamento deliberado nos iPhones com baterias mais antigas, mas a verdade é que será impossível escapar à verdadeira questão de fundo: porque motivo as baterias dos iPhones nem sequer se aguentam durante o tempo da garantia?

A Apple já prometeu que a próxima actualização do iOS irá trazer uma opção para não abrandar os iPhones e também mostrar o estado da bateria - algo que já deveria ter sido incluído desde o início da implementação desta "táctica", que até muito recentemente era feita em segredo e sem dar qualquer indicação aos utilizadores (para além de poder abrandar significativamente os seus iPhones, sem que percebessem porquê).

Esta informação sobre a bateria é de importância crítica, pois irá ajudar a determinar se afinal estamos perante o fenómeno natural de envelhecimento das baterias - como a Apple argumenta - ou se afinal a Apple tem "cortado" nas baterias, ao ponto de fazer com que as mesmas nem sequer se consigam aguentar durante o seu tempo de garantia. Segundo alguns relatos, mesmo com uso esporádico nada intensivo, a bateria de um iPhone poderá entrar em modo degradado ao fim de apenas 18 meses de utilização.


Situação que se tornará mais preocupante para todos os utilizadores intensivos, que poderão atingir este patamar muito mais rapidamente, potencialmente até mesmo antes dos 12 meses.


Segundo a Apple, a bateria é concebida para manter "até 80% da capacidade original ao fim de 500 ciclos de carga completa". Sendo que desde logo temos o problema do "até" (que na prática faz com que a Apple se tente ilibar de todas as situações em que essa capacidade seja bastante inferior), e sem esquecer que, para quem recarregar completamente o seu iPhone diariamente, lá voltamos a ficar bastante perto dos tais 18 meses, ou menos, de utilização real.

Mas se por um lado se poderá considerar normal que a bateria esteja "gasta" e só aguente 80% de carga ao final de dois anos de utilização, o ponto mais crítico será saber se iremos ter iPhones a desligarem-se frequentemente; já que foi esse o problema que deu origem a todo este episódio e que levou a Apple a limitar a velocidade de funcionamento. Com a chegada iminente da opção de desactivar o abrandamento, a par da informação sobre o estado das baterias, depressa saberemos o estado de milhões de iPhones no mercado, e veremos se este caso chegou ao fim... ou se está apenas a começar.

26 comentários:

  1. Também tem a ver como se trata a bateria dos tlm's:
    Isto é um screen shot do meu, e como se pode ver até nem está mau, para um tlm com 3 anos.
    https://ibb.co/d009sR

    ResponderEliminar
  2. Independentemente dos "ses" e "porquês" convém ir lembrando que os demais fabricantes devem implementar o mesmo software, a saber:
    - informação completa sobre a situação da bateria
    - permitir/impedir picos de tensão caso a bateria, usada, esteja a provocar "crashes" inesperados, por exemplo durante chamadas telefónicas e gravações de vídeo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Saber o estado da bateria seria sempre útil, mas não penso que seja o verdadeiro problema. Antes deste caso da Apple nunca tivemos casos numerosos de smartphones a irem abaixo (ou ficarem lentos) com 2, 3, ou 4 anos de uso.

      Eu usei o meu Nexus 5 intensivamente durante 4 anos, e embora a bateria no final já só aguentasse "metade" do que deveria (algo esperado) nunca tive problemas dele ir abaixo por causa disso.

      De qualquer forma será sempre positivo se este caso da Apple vier obrigar os fabricantes a mostrarem mais informações sobre o estado das baterias...

      Eliminar
    2. Os Samsung S3, S3 mini craschavam ou tinham reboots devido a bateria já em final de vida...
      Com a sua substituição, esses 2 problemas desapareciam.

      Eliminar
    3. ... Não tenho mais nada a acrescentar.
      O @ALC respondeu ao Carlos Martins ;)

      A questão é apenas saber se:
      - É preferível instalar software para que, no caso de bateria usadas, evite que os smartphones crashem, ou não?

      Isto, obviamente, de isso ter que sere explicado e de o utilizador poder escolher entre o "pode crashar" e o "não quero que crashe".

      O único erro da Apple foi não ter explicado e ter assumido que os utilizadores queriam é que "não quero que crashe".

      A seguir é que vem a mistura "o meu Nexus isto", o meu "iPhone SE aquilo" e começa-se a generalizar a partir de casos particulares - ou de muitos ... mas que são sempre uma escala muita reduzida quando se pensa que cada modelo use iPhone vende largas dezenas de milhões,

      Eliminar
    4. Aires, tudo muito bem... mas nem sequer te interrogas porque motivo só a partir do iPhone 6 é que subitamente isto passou a ser problema? É que nem precisas de ir para smartphones da concorrência... Pegas num iPhone 5 com 4 anos, e não fica lento nem crasha... curioso, não?

      De resto, penso que concordarás que nem vale a pena tentar justificar o injustificável: quem se queixava de iPhones lentos era "crucificado", que tudo não passava de teorias da conspiração; quando se veio a comprovar que afinal era real... já era um favor que a Apple nos fazia... enfim... haja coerência pelo menos.

      ... Imagino o escândalo que seria se por acaso fosse a Samsung a ter sido apanhada a fazer tal batota...

      Eliminar
    5. Mas afinal qual é a percentagem do iPhones 6 que ficam lentos e crasham? E de iPhones 5? E de Samsungs como os referidos pelo @ALC ou mais recentes?

      O que eu vejo é muito bréu-bréu à volta dos benchmarks que baixaram, que estão mais que explicados. Quanto ao modo "ultra slow" do teu iPhone SE ainda estou à espera que confirmes que se deveu â alteração no iOS que limita os picos de tensão.

      P.S. Notei que passaste da questão do iOS para problemas com baterias da Apple, mas confirmações é que não vejo - tendo em conta que os problemas com baterias de lítio são gerais.

      Eliminar
    6. Poderei confirmar quando a Apple fizer sair a actualização, mas não tenho qualquer dúvida que seja disso (está confirmado indirectamente pelas apps que mostram a frequência do CPU limitado).

      Quanto a esses problemas "gerais", só te posso dizer que tenho usado dezenas de smartphones ao longo dos anos, e que nunca houve "bréu-bréu" até este incidente da Apple... Pelo que se calhar não é assim tão "generalizado" como dizes.
      (que outro fabricante terá recebido queixas em volume suficiente para ter que lançar uma actualização a reduzir a velocidade dos seus smartphones... pelo que sei, nunca aconteceu tal coisa).

      E volto a frisar... isto que hoje em dia estás a dar por "assumido" é algo que ao longo de muitos meses foi negado a pés juntos, sendo pessoas como eu (e todos os outros em circunstâncias idênticas) a serem acusados de serem os "maluquinhos das conspirações"...

      ... Faltou o problemas das conspirações não serem conspirações quando se demonstra que afinal era a realidade.

      Só não estou a ver é como esperas que a Apple se consiga livrar disto:
      opção 1) mete a actualização e deixa os utilizadores desactivar o abrandamento; e os utilizadores descobrem que o iPhone nao vai abaixo - Apple fica mal, por ter feito os utilizadores sofrerem durante meses, sem necessidade.

      opção 2) descobre-se que os iPhones crasham (mesmo em smartphones com menos de 18 meses de utilização) - a Apple fica mal por estar a usar baterias que não permitem a utilização normal do equipamento

      Eliminar
    7. “1) mete a actualização e deixa os utilizadores desactivar o abrandamento; e os utilizadores descobrem que o iPhone nao vai abaixo - Apple fica mal, por ter feito os utilizadores sofrerem durante meses, sem necessidade.”

      Quantos sofreram? É que baixar a pontuação do benchmark não traz sofrimento a ninguém. E evitar crashes é sofrer? Não deviam fazer o mesmo às outras marcas? (Quanto ao modo ultra slow do teu iPhone SE que afetasse a utilização normal não dei conta de mais queixas - e o motivo ainda está para se ver).

      Quanto ao 2) e aos defeitos nas baterias da Apple são artes adivinhatórias ;)

      Eliminar
    8. Novamente, tu achas que eu (e muitos outros, bastará dar um salto aos foruns da Apple para comprovares) me comecei a queixar por causa da lentidao nos benchmarks? Não; comecei a queixar-me por notar essa lentidao em uso normal; começando por jogos que ficavam em "slow motion", e depois passando por apps em que até a transição entre portrait e landscape era feita a passo de caracol. Os benchmarks foram uma consequência disso, para ter dados analíticos que comprovassem que não era "impressão" dos utilizadores.

      Isso de dizeres que não te deste contas de mais queixas apenas significa que, como não te afectou a ti, não te preocupaste sequer em procurar para ficares com uma ideia da escala do problema - mas bastará dizer que, se fosse só "uma dúzia"... não teria resultado em dados suficientes para serem estatisticamente relevantes nos resultados dos benchmarks, que permitiram comprovar o problema.

      Deixa chegar a actualização, e logo se verá a escala real do problema - de uma forma (com crashes) ou de outra (sem eles).

      Eliminar
    9. ... escala ... é destas coisas.
      Inventa um problema qualquer que um smartphone possa ter. Nem é preciso inventar, basta um conhecido, de qualquer marca.
      Pesquisa nos fóruns da Apple por esse problema.
      É mais do que certo que encontras muitos a dizer que têm esse problema (e muitos mais que não têm mas dão palpites).
      Depois divide pelas dezenas de milhões que o modelo vendeu e vê a percentagem.
      O "muitos" é relativo. E quem escreve tende a identificar o seu 0,000001% com os 99% porque "há muitos casos".
      É dos livros.
      Assentando a poeira, vamos ver como é que fica.

      Eliminar
    10. Sim... E a Apple vai adicionar uma opção ridícula nunca antes vista ao iOS devido a "0.0000001%"de queixosos...

      Eliminar
    11. A Apple vai fazer o que devia ter feito de início e dado o "bruá" que se criou por causa dos benchmarks atê às acusações de obsolescência forçada para levar à compra de novos modelos - não pode deixar de fazer.

      Está é na altura de exigir aos demais fabricantes que prestem a mesma informação sobre as baterias. Claro que é desnessário se se considerar que são problemas exclusivos das baterias da Apple a partir doiPhone 6 ;)

      Eliminar
    12. Caríssimo, podes tentar dar as voltas que quiseres para tentares justificar as borradas da Apple e sentires-te bem com os € que gastaste no teu iphone (pela conversa dá toda a ideia de que tens um).
      A verdade é uma, a Apple introduziu algo no S.O. que os utilizadores não gostaram, sim os utilizadores, não X ou Y % como tentas fazer crer. Agora, se para ti está OK este tipo de atitude por alguém que cobra couro e cabelo pelos seus productos "premium" tudo bem, mas não tentes que a exigência das outras pessoas em relação aos productos que compram seja tão nula como a tua...OK?

      Eliminar
  3. No forum da anandtech há uma possível explicação:

    "(...) Apple still uses 1500mah batteries in 4.7" phones. When more than half the energy is depleted in a cell this small, the nominal voltage drops to 3.6-3.7v from the 3.9-4.0v peak. A sudden spike in demand for a cell hovering around 3.6v could cause it to hit the low-voltage cutoff, normally 3.4v for Li-Ion, and 3.5v for Li-Polymer, to prevent damage to the chemistry the internal power management will shut the phone down, or slow the phone down to prevent these voltage drops.

    Apple designed their software to protect the hardware. It isn't necessarily a hardware problem, it's just an inherently flawed design. A larger battery that can sustain voltage drops, or even a capacitor, both of which take up "valuable space" according to Apple, like that headphone jack that was erroneously eliminated for no reason. A guy even successfully reinstalled a Headphone jack in an iPhone 7 without losing any functionality...it was just a matter of relocating some components."

    O que tiro daqui é que a Apple desenhou as baterias para que os telefones tivessem de ser substituídos ao fim de um determinado período de tempo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "O que tiro daqui é que a Apple desenhou as baterias para que os telefones tivessem de ser substituídos ao fim de um determinado período de tempo".

      Ainda bem que nas outras marcas não se nota o envelhecimento das baterias de lítio ;)
      São questões só da Apple como eliminar o jack de audio - que, dá-se o caso, foi seguido por muitos construtores ;)

      Eliminar
    2. Mas, precisamente, o que diz o texto é que o problema não é tanto o envelhecimento das baterias, que isso acontece com todas, mas sim, pelo facto das baterias usadas pela Apple terem pouca capacidade, não reagirem tão bem a esse envelhecimento. Ou seja, assim que perdem um pouco de capacidade já não conseguem atingir a voltagem necessária nos picos de performance.

      Eliminar
  4. Boas, já é possivel trocar a bateria do Iphone em Protugal recorrendo à campanha de substituição por 29,90€?? Apenas dentro da garantia ou quem está fora também o poderá fazer??
    Obrigado

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Lá fora" é assim:

      - Substituições dentro da garantia não se paga. A bateria é sujeita a testes para ver se carrega pelo menos 80%.

      - Pagando os $29 em vez dos $79 não há testes. A condição é que se trata de um iPhone 6 ou posterior.

      Em Portugal, o que existir, não pode ser diferente.

      Eliminar
  5. A União Europeia deveria introduzir uma directiva anti-desperdício onde os fabricantes de telefones móveis/ smartphones/ tablets deveriam garantir que os seus aparelhos não poderiam durar menos de 10 anos, sem perda de qualidades, e que todos os componentes em que a arte/ técnica actual não permita ir até pelo menos aos 10 anos devem ter troca gratuita (para os fabricantes não se sentirem tentados a fazer de conta que aquilo que pode durar 10 anos, só conseguem fazer durar 6 meses... até pode só durar os 6 meses mas durante os 10 anos têm de providenciar substituições gratuitas incluindo todas as despesas associadas como mão-de-obra, portes de envio, etc.).
    Estes dispositivos também devem garantir actualizações de segurança durante um período nunca inferior a 10 anos.

    Podia ser que os fabricantes deixassem de fabricar 500 modelos diferentes por ano ou pelo menos o fizessem de tal forma que os pudessem actualizar a todos da mesma forma.

    Sem ser através de legislação nunca irá acontecer porque os fabricantes estão focados em vender milhões todos os anos, de preferência aos mesmos que já compraram no ano anterior.

    ResponderEliminar
  6. Boa tarde ,

    Aires só te posso dizer uma coisa em relação aos teus postes , o maior cego é aquele que não quer ver , a Apple tem baterias com menos de metade da capacidade dos seus concorrentes , porque a Apple o que quer é que compres outro Iphone o mais rápido possivel , ou no pior das situações que gastes uns bons € a mudar uma bateria que ao fim de pouco mais de 1 ano está de novo com problemas.

    Para seres honesto contigo próprio tens de perceber que até equipamentos de pouco mais de 100 € com Android as baterias duram muito mais que as baterias da Apple e mesmo quando começam a perder a capacidade total de carga a sua capacidade vai permitindo que mesmo quando são necessários os picos de processamento as baterias respondam sem crashes o que se nota é que nesses períodos de utilização a descarga da bateria é muito mais rápida do que era quando o equipamento era novo , já tive dezenas de equipamentos e de várias marcas e estas premissas sempre foram transversais a todos .

    O Crash dos Iphones e com a dimensão que tu parece que não queres admitir é de fato um caso único na industria e por isso uma empresa como a Apple ser obrigada a tomar estas medidas que como o Carlos afirma poderá não acabar com o lançamento da nova versão do IOS , mas ainda aumentar o problema que foi metido para debaixo do tapete durante anos .

    Existem pessoas como tu que pelo seu fanatismo por marcas gostam de ser enganados e que depois tentam fazer comparações com outras marcas que hipoteticamente também tiveram problemas até se fala do S3 que tem 6 anos de vida enfim , mas só para responder ao teu fanatismo , digo-te mesmo que a concorrência toda estivesse a desabar a Apple pelos preços e por aquilo que afirma ser ( perfeita ) nunca poderia ter colocado os consumidores que até acreditam nisto nesta situação precária que ultrapassa muito todos os outros gates pelos quais foram passando pelos intervalos da chuva .

    Eu hoje tenho um Xiaomi MI A 1 com Android one , coisa desprezível certamente para ti porque deves considerar este equipamento algo que nunca considerarias comprar , mas o que te posso dizer é que tenho colegas de trabalho que para além de sentirem que os seus Apples estão uma arrastadeira e que a meio do dia têm de estar perto de algo com energia ficam espantados com o desempenho deste Xiaomi com a qualidade de construção e sobretudo da duração da bateria , mas o melhor ainda fica para o fim com o custo de 157,00 € , enquanto tu compras um Iphone X eu compro mais de 10 iguais ao meu, é por estas razões que a Apple para cobrar como cobra todos os componentes tinham de ser perfeitos e estão muito longe de o serem , depois existem as razões que estão por detrás de estas decisões que são a venda e fazer cada vez mais dinheiro , nos últimos anos tudo aponta para um modelo denegócio aonde para além do smartphone tu tens de comprar os earpodes os carregadores rápidas e todos os dongles com os vários adaptadores tornando quase necessário para usar estes equipamentos moveis comprares alguma forma de solução para poderes transportar tudo isto contigo .

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pesquisa por abertoatedemadrugada Aires Xiaomi
      És capaz de te surpreender ;)

      Eliminar
  7. Só não percebo é porque se está a dar tanta letra a um Fun Boy cego. Se ele acha que aquilo é fabuloso e a culpa é dos cultos satanicos ou do emails do Benfica, pq tudo em que a Apple toca transforma-se em Ouro, seja. let him be. Agora que nunca vi tanta gente a saltar fora dos iphones como agora, também é verdade. Sendo muitos deles "evangelistas" até à pouco. E tudo exactamente pelo apertar das regras do que aparenta ser a politica de obsolescência programada da Apple. Siga, haja gente para comprar o "novo modelo" todos os anos.

    ResponderEliminar
  8. Comentário de "Macon" (que acidentalmente foi eliminado - basta clicar num link "ao lado" - e sem pedido de confirmação nem hipótese de "undo"... :(

    "Eu tive um iPhone 5, mudei para o iPhone 6 e neste momento desisti dos iPhones. Precisamente devido às baterias ridículas que têm.
    O iPhone 5 desligava se com 30% de bateria e o 6 estava tão lento que eu desistia de fazer o que quer que fosse.

    Neste momento estou com um Huawei mate 10 pro e isto sim é uma bateria.
    Neste momento só recomendo iPhones a quem tenha possibilidade de o carregar durante o dia. No meu caso isso é impossível. "

    ResponderEliminar

[pub]