2018/02/11

França impõe idade mínima de 15 anos para aceder às redes sociais


Depois de impedir a utilização de smartphones mesmo nos automóveis parados, eis que de França chega uma nova lei que impõe uma idade mínima de 15 anos para os jovens que se queiram registar em redes sociais.

Enquanto as redes sociais se vão apressando a fazer as devidas alterações para cumprirem com as novas leis de protecção de dados na Europa que entrarão em vigor em Maio (e lá veremos de que forma é que isso irá funcionar), em França também aproveitaram para impor uma idade mínima de acesso às redes sociais. Os jovens só se poderão registar em redes sociais se tiverem mais de 15 anos, ou com a autorização dos pais se tiverem idade inferior.

Ora... como é habitual neste tipo de coisas, por muitas boas intenções que possam haver por trás deste proibição, fica a pergunta sobre como é que estes senhores políticos esperam que tal medida seja implementada. Será que não chega o exemplo da validação de idade usada nos sites para adultos ("se tem mais de 18 anos clique aqui, caso contrário feche a janela")?

O que impede um jovem de 10, 12 ou 14 anos se registar dizendo que tem 15 ou mais anos?  Ou então, se forem mesmo colocados demasiados entraves, o que os impede de se reunirem em plataformas ainda mais obscuras que não implementem qualquer controlo etário, e onde continuem a partilhar coisas e comunicar com os amigos - mas de forma que passe ainda mais despercebida aos adultos?

Talvez esteja é na altura de se começar a aplicar uma idade máxima aos políticos que têm destas ideias...

2 comentários:

  1. Supunhamos o Facebook. Treze anos é a idade mínima que aceita registos.
    O que em França se pretende é que dos treze aos quinze anos o registo tenha que ter o consentimento dos pais. Não me parece nada de especial, quem conhece pré-adolescentes percebe que, na maior parte dos casos, é melhor que a sua participação em redes sociais ser acompanhada pelos pais.
    "Ah, mas como é que se controla?" Bem, pelo menos dá-se um sinal. Mal não faz.

    ResponderEliminar
  2. Absolutamente patético! As gerações mais velhas tentam sempre condicionar as mais novas, nesta matéria é ridículo e é ridículo porque o mundo é digital e global, portanto estamos a privar os mais novos de participar nesta aldeia global apenas porque não a entendemos bem. Uma grande parte das atividades realizadas nos dias de hoje são digitais e todos gostamos de as partilhar com os nossos amigos e conhecidos e os nossos amigos e conhecidos há 40 anos eram a nossa aldeia ou bairro, há 20 anos eram a nossa vila ou cidade, hoje é o mundo! Os jovens que participam ativamente no mundo digital e global vão-se preparando de forma ativa para a sua vida futura, os que estão privados de o fazer não! Vão pagar caro se não furarem este espartilho. Tenho imensa pena de ver renascer o medo do global, o medo do outro, o medo do estrangeiro, o medo da diferença, o medo da tecnologia, o medo, o medo, o medo, sempre o medo.

    ResponderEliminar

[pub]