2018/03/10

FBI prende CEO da Phantom Secure - empresa que transformava smartphones para escaparem às escutas


A maioria das pessoas considera os seus smartphones "seguros", mas quem levar esse aspecto mesmo a sério pode optar por usar smartphones transformados e que prometem total segurança. A Phantom Secure é uma das empresas que cria modelos assim, tornando-se num êxito junto dos criminosos... e agora perseguida pelas autoridades.

A Phantom Secure é uma empresa que transforma os smartphones de modo a torná-lo (supostamente) invioláveis e capazes de enviar mensagens encriptadas entre si de forma completamente segura e à prova de "escutas". A transformação vai ao ponto de remover as câmaras e microfones, de modo a que não haja qualquer hipótese destes equipamentos poderem ser usados para captar imagens ou conversas, com as comunicações a serem feitas exclusivamente através de mensagens com encriptação end-to-end, que só permanecem e podem ser lidas nos equipamentos a que se destinam.

São smartphones que se tornam em ferramentas apetecíveis para criminosos, e a Phantom Secure estaria bem consciente disso - já que as autoridades terão realizado uma missão à paisana, fazendo-se passar por criminosos e perguntando expressamente se estes dispositivos lhes permitiriam realizar as suas actividades criminosas livres de preocupações com as autoridades, a que o CEO terá respondido afirmativamente... e valendo-lhe a detenção pelo FBI.

No entanto, embora ninguém se vá preocupar com o desaparecimento de ferramentas que auxiliam criminosos, acho que a parte mais perturbadora de toda esta história é ver as autoridades a perseguirem empresas que se dedicam à criação de equipamentos de comunicação realmente privados. É que de forma indirecta isto significa que todos os restantes equipamentos no mercado estão acessíveis para se tornarem em ferramentas de escuta com bastante facilidade (como aliás já se suspeitava há muito e foi plenamente confirmado por Edward Snowden).

... O maior problema é que, quem prezar a sua privacidade e a quiser garantir, arrisca-se a ser atirado para o mesmo "caixote" dos criminosos e pessoas que "têm algo a esconder"...

1 comentário:

  1. Nem mais , temos imensos exemplos quando somos catalogados por usarmos VPN ou navegadores como o TOR ou mesmo distribuições Linux como o Khali Linux, o meu problema e certamente o de muitos que estão a ler este artigo é que quanto mais sabemos menos seguros nos sentimos e a velha máxima quem não deve não teme está completamente fora de contexto

    ResponderEliminar

[pub]