2018/03/06

Mãe fica com iPhone bloqueado por 47 anos


Passar o iPhone para as mãos de uma criança para a entreter durante algum tempo pode resultar em décadas de dores de cabeça, como poderá confirmar uma mãe chinesa que se deparou com o seu iPhone bloqueado por mais de 47 anos.

A mãe tinha cedido o seu iPhone ao seu filho de 2 anos para que ele visse uns vídeos; mas quando pegou no smartphone viu que o mesmo estava bloqueado por 25 milhões de minutos (mais de 47 anos)! A criança terá bloqueado o iPhone por acidente, e depois estaria a tentar acertar no código PIN... resultando nesta insólita situação.

Para evitar tentativas ilimitadas de introdução de código PIN, os iPhones permitem que um utilizador faça até 5 tentativas de introdução de códigos. Mas, à sexta tentativa errada o iPhone passa a apresentar um período de espera de 1 minuto antes que se possa fazer nova tentativa. Caso se erre novamente esse período aumenta para os 5 minutos; continuando a aumentar progressivamente com cada nova tentativa errada.

Embora o caso seja curioso, interrogo-me como será possível ter chegado a um período tão longo, já que, no mínimo, o iPhone teria que ter passado por períodos de várias dezenas de horas "bloqueado", sem que permitisse à criança continuar a fazer tentativas erradas... Seja como for, o caso tem solução, pois é possível recuperar o iPhone sem ter que esperar todo esse tempo, fazendo-se um reset completo com a limpeza dos dados (após o qual será pedido novamente o código, mas já sem ter que esperar várias décadas.)

De qualquer forma, fica o alerta dado, caso se sintam tentados a passar um iPhone sem autenticação biométrica para as mãos de uma criança (ou de um amigo que ache que este tipo de coisas tem piada).

2 comentários:

  1. Bem, tal como tu Carlos, também me interrogo :) E como sou um ser humano muito cético, só quando vir uma explicação para este acontecimento é que acredito em tal história. Pelo que sei os iphones costumam bloquear até um máximo de 60m. No caso de ser roubado podem ser testados 24 códigos por dia. Quem não estiver contente com essa possibilidade pode ativar a opção para depois da 10ª opção o tele apagar os dados.
    Mesmo que os incrementos continuem após 1h, o próximo salto seria maior, umas 2 horas e depois 5horas ou até 1 dia. Só se mãe foi pra dar uma volta ao mundo em 80 dias e deixou o miúdo com o tele :)

    Fake news!

    ResponderEliminar
  2. Diz a fonte da notícia sobre o mercado dos smartphones na China:
    - Há dois anos havia 300 fabricantes, hoje há 200
    - 5 marcas – Huawei Technologies, Oppo, Vivo, Xiaomi e Apple – têm 77% de quota de mercado, contra 67% em 2016
    - 20 marcas controlam 93%, o que deixa 180 fabricantes a disputar 7%
    - As pequenas marcas nem foram ao MWC de Barcelona, incluindo Meizu, Gionee, Coolpad, e LeEco Dos maiores, Huawei e Vivo, não apresentam novos modelos.
    - O pessoal mais novo escolhe Oppo, Vivo e Xiaomi, e o mais velho Huawei, dificilmente vão para marcas menos conhecidas, ainda mais porque a diferenciação é pequena.
    - Em 2018 vai continuar o desaparecimento de pequenos fabricantes.
    Isto coloca problemas de assistência aos respetivos equipamentos. Parece-me mais prudente comprar marcas conhecidas.

    ResponderEliminar

[pub]