2018/04/02

Acidente fatal do Tesla Model X repetido por outro Tesla - que voltaria a chocar contra separador


O condutor do Tesla Model X que faleceu após uma violenta colisão com um separador já se tinha queixado à Tesla que o modo Autopilot tinha falhado no local onde veio a ter o acidente - agora temos um novo vídeo com um Tesla no mesmo local que demonstra como o sistema falhou.

A NTSB (National Transportation Safety Board) que está a investigar o acidente com o Tesla Model X que vitimou o condutor não está muito satisfeita com a forma como a Tesla tem estado a divulgar informações sobre o mesmo - embora ressalve que a empresa está a cooperar na investigação.

A Tesla fez um comunicado a confirmar que o veículo tinha o modo Autopilot activado no momento da colisão, mas foca-se em pontos como o condutor não ter as mãos no volante nos 5 segundos que precederam o acidente; e também critica os responsáveis pela estrada de não terem reposto o sistema de amortecimento de choques que deveria haver no local mas tinha sido inutilizado por um acidente anterior.



Vendo-se o local, compreende-se como o sistema terá falhado. As marcações na estrada facilmente induzem em erro, fazendo pensar que a área de separação seja uma via de circulação - e que também é comprovado pelo facto de ser um local com inúmeros acidentes (por condutores humanos).

Para complicar mais as coisas, familiares da vítima mortal disseram que ele já se tinha queixado à Tesla por o carro se ter enganado anteriormente ao passar no local, mas tendo conseguido evitar a colisão.

Se for esse o caso, temos dois factores adicionais a considerar: em primeiro lugar, se o condutor já sabia que o sistema não lidava correctamente com as condições neste local, não deveria ter utilizado o sistema ou, pelo menos, deveria manter-se bem atento na passagem pelo local; por outro lado, se a Tesla estava informada desta potencial falha, deveria ter tido uma atitude um pouco mais humilde antes de atirar as culpas para o condutor.

É que, com a proliferação de mais carros com Autopilot nas estradas (os Model 3 começam finalmente a sair da fábrica em volumes aceitáveis), este tipo de situações poderá ocorrer com muito mais frequência, e não serão necessárias muitas mais vítimas mortais até que as atenções se comecem a voltar para a capacidade - e incapacidade - do sistema Autopilot em lidar com inúmeras circunstâncias no mundo real (e talvez fazer Elon Musk repensar sobre a necessidade de um LIDAR, que ele considera dispensável).


Actualização: temos um novo vídeo que demonstra exactamente o que se terá passado; com outro condutor a passar no mesmo local com o seu Tesla e a comprovar que o carro fica baralhado com a marcação na estrada, seguindo a toda a velocidade contra o separador! (Os alertas para por as mãos no volante têm unicamente a ver com o tempo em que o condutor retirou as mãos, e não com o facto de se estar perante uma colisão iminente, que o Autopilot não está a detectar.)



E mais um vídeo (agora durante o dia) que volta a confirmar o sucedido:

14 comentários:

  1. Sim, um Lidar tinha ajudado o carro a ver o muro.
    Só tenho dúvidas no funcionamento do Lidar se existirem vários no mesmo local, aquilo não se vai baralhar a ver os reflexos dos outros?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, também já pensei nisso, mas penso que cada LIDAR/laser pode ser modulado numa frequência diferente, para que cada um saiba distinguir o que é "seu". Mas... veremos à medida que essa tecnologia se for popularizando.

      Eliminar
    2. Talvez tivesse ajudado sim, mas continuo a achar que o Musk tem razão ao afirmar que os carros têm que conseguir ser autónomos só com as cameras, tal como nós somos só com os olhos. Todos os outros sensores são um extra.

      Eliminar
    3. É uma visão demasiado redutora: se temos tecnologia que nos permite "ver" melhor do que podemos ver com câmaras... não faz qualquer sentido não a utilizar (a não ser pelo factor económico... de que fica caro).

      Um cérebro humano consegue olhar para a a estrada e determinar se algo é um obstáculo ou não: o sistema da Tesla, está repetidamente demonstrado que não o consegue fazer. Já tivemos o anterior caso mortal, em que chocou contra um camião atravessado na estrada; e mais recentemente do choque contra um veículos dos bombeiros parado na berma; e agora contra este separador na via...
      São casos que me arrisco a dizer que qualquer um dos carros da Waymo, com LIDAR, teria evitado com facilidade.

      A "culpa" da Tesla é estar a tentar fazer passar com que o seu sistema Autopilot seja mais capaz do que realmente é...

      Eliminar
    4. Modular um laser não é fácil. Tentem comandar equipamentos com o comando IV, dando ordens em simultâneo e vão ver que ficam cegos, à ordem dada. Num entroncamento e em filas de transito, os lidar todos a disparar em todas as direcções, já estão a imaginar a "poluição luminosa" criada. Se já as redes Wifi ficam saturadas, imaginem com "luz"...

      Eliminar
    5. A "luz" tem muito mais largura de banda que os sinais RF e pode usar impulsos muito mais pequenos - não tem comparação com os sinais usados num controlo remoto IV.

      Para além de que, mesmo numa estrada movimentada, terás potencialmente quantos automóveis em distância visual? 1000, 5000? Se se criarem 20 mil modulações diferentes já se reduzirá a hipotese de interferência para uma escala que não deverá ser problemática (sendo que mesmo assim terá que ser contemplado o caso de se "ter azar")...

      Eliminar
    6. Não esquecer que todas as combinações matemáticas foram superadas até agora (data, passwords, ip4, etc), sempre que os engenheiros diziam ser suficientes...
      Um lidar para ter fiabilidade suficiente para as amplitudes de luminosidade que um veiculo está sujeito, não pode ter uma largura de banda estreita! O contraste exigido, haverá determinadas situações que um lidar ficará saturado e confuso, à mínima perturbação de um lidar vizinho. E como ainda ninguém meteu mão na regulamentação, vai ser uma rebaldaria em tecnologias, que mais cedo ou mais tarde serão incompatíveis entre si, como já é costume nestas andanças.
      Sempre que estamos à porta do sistema ficar uniforme, há sempre alguém a furar o esquema (exemplos não falta na área tecnológica). Eu sei que é difícil criar um sistema "future proof", mas...

      Eliminar
  2. Como o tempo também, deverão começar a exigir às entidades que fazem a gestão das vias, um pouco mais cuidado no desenvolvimento dos troços e cuidado redobrado nas sua manutenção. É que com o tempo, a justiça começa a ser verdadeiramente cega (e automática/robotizada como acontece já em alguns países...) e atribuir as culpas ao explorador da via, que não pintou correctamente as vias... Por várias vezes que vi a minha via (3 faixas para 2) a desaparecer e nem setas a informar que a minha via ia ser suprimida!!!

    ResponderEliminar
  3. É verdade que um gajo vê o "sinal" no muro mas porra essa estrada é mais que ridícula, um gajo que não conheça enfia-se nessa "faixa" que nem faixa é simplesmente por seguir a faixa em que já ia...

    ResponderEliminar
  4. Um bocado fora do contexto: ouve-se muito barulho da estrada...ou tem o vidro aberto ou o isolamento sonoro da Tesla não é grande coisa....
    Alguém já experimentou???

    ResponderEliminar
  5. Ainda os queixamos (nós Portugueses) das nossas estradas, na minha opinião a estrada e rail estão muito mal assinalados...

    ResponderEliminar
  6. Custava muito á Tesla fazer como a Volvo e começar a dar apitos sonoros constantes e exigir que o condutor ponha as mãos no volante com o Autopilot ligado. O Autopilot é um perigo se pode estar activado sem o condutor estar sem as mãos no volante por mais que uns segundos. E isto prova-o.

    ResponderEliminar
  7. A estrada é com certeza uma grande tristeza. Mas que via mais mal assinalada.
    Em relação ao Autopilot, quem o tem é beta tester com certeza. Acredito que há muitas situações como estas que ainda vão surgir e ajudar a melhorar o sistema. Vai haver uma altura em que vamos afirmar sem dúvidas, que o Auto é agora mais seguro que um humano e passados 5 anos lá aparecerá um daqueles bugs escondidos que põe o carro a andar de marcha-atrás na autoestrada, a 200km/h.

    ResponderEliminar

[pub]