2018/04/24

Organizações internacionais pedem à ANACOM o fim do zero-rating


Mais de uma dezena de organizações de diversos países enviaram uma participação à ANACOM onde pedem que a esta entidade que defenda a neutralidade da internet, chumbando categoricamente os tarifários zero-rating que por cá têm proliferado nos últimos anos.

Foi no passado mês de Fevereiro que a ANACOM nos surpreendeu ao dar um prazo aos operadores nacionais para "acabarem" com os tarifários zero-rating, mas em moldes que poderão permitir que os mesmos continuem a existir, desde que devidamente "clarificado" de modo a satisfazer o pedido da ANACOM. Para tentar evitar esta solução que pouco ou nada mudaria, 13 organizações juntaram-se em torno de uma participação co-redigida pela Associação D3 - Defesa dos Direitos Digitais e epicenter.works que pede à ANACOM que não deixe margens para dúvidas quanto à necessidade de acabar com o zero-rating.

Embora este tema levante sempre bastante polémica, por muitos consumidores considerarem que o zero-rating lhes é benéfico (vêem-no como sendo um "bónus")... a verdade é que isso não passa de uma ilusão, demonstrado pelo facto do nosso país estar na cauda da Europa no que diz respeito ao preço e volume de dados na internet móvel.

Em Portugal, os três maiores operadores MEO, Vodafone and NOS, possuem uma quota combinada superior a 95% do mercado. Todos oferecem soluções de zero-rating que dão tratamento preferencial a empresas dominantes na Internet, como a Google ou Facebook. Ao mesmo tempo, Portugal figura nos últimos lugares da Europa no que respeita ao preço e disponibilidade de volume de tráfego de Internet móvel, enquanto as ofertas de zero-rating e similares são bastante mais baratas que os outros pacotes de dados que são disponibilizados aos portugueses. Estas empresas decidem, num processo nada transparente, que serviços de Internet são incluídos nas suas ofertas de zero-rating.



"Portugal tem as piores violações da neutralidade da Internet que alguma vez vimos na Europa. É difícil imaginar como poderia um regulador independente achar que tais práticas não vão contra a lei europeia”, diz Thomas Lohninger, Director Executivo da epicenter.works, uma organização austríaca integrante da European Digital Rights (EDRi).

Talvez, antes de acharem que os operadores nacionais nos fazem "grandes favores" ao nos oferecerem alguns gigabytes extra para aceder aos serviços que eles escolhem, talvez seja necessário relembrar aos consumidores portugueses que tipo de serviços mobile se podem encontrar noutros países europeus (com ordenados bem superiores aos nossos)



Em França, por €19.99 temos acesso a chamadas, SMS, MMS, dados móveis 4G ilimitados (com velocidade reduzida após 100GB) e ainda 25GB de dados em roaming; valor que baixa para os €15.99 no caso do cliente também subscrever outros serviços.

Veja-se bem... este tarifário oferece em roaming 25GB de dados, quando cá em Portugal, por um preço equivalente, nem sequer temos esses dados para usar no país (por exemplo, o Yorn X dá-nos 5GB de dados + 5GB para YouTube e Twitch, a par das apps com zero-rating). Que nos ofereçam 25GB, ou 100GB como é o caso, por 20 euros por mês... e que nos deixem escolher como e onde os queremos gastar. Até lhes simplifica imensamente a vida ao evitar a necessidade de tentar decifrar que serviço estamos a usar, para saberem se o devem contabilizar ou não. (Além de que, quem se preocupar com a segurança e quiser usar uma VPN, fica automaticamente a descontar dados mesmo ao usar os supostos serviços que não deviam ser contabilizados.)

Enfim... ANACOM, livra-nos disto que ficamos todos agradecidos!

9 comentários:

  1. Realmente e vergonhoso. Ando há algum tempo para sair do yorn x mas ando a adiar porque não quero fidelizar com um tarifário que - esperemos - seja rapidamente tornado obsoleto se realmente as operadores ligarem alguma coisa a ANACOM....vamos ver

    ResponderEliminar
  2. Eu resido neste momento na Suiça, e tenho estudado a hipótese de voltar a Portugal; durante um levantamento de informações sobre as telecomunicações deparei-me com um estado de calamidade, no que toca ás ofertas e à informação sobre as mesmas, já para não falar no nome das mesmas (WTF = What the fuck. Isto admite-se?).

    Por entre um Inglês manhoso e um Português também pouco esclarecedor, fiquei sem saber exactamente que opções tenho em Portugal.
    "O tarifário com Chamadas/SMS, 3GB, 20GB em Apps..." Não percebo muito bem qual é a oferta aqui. (Vodafone)
    Chamas e mensagens escritas (SMS) é isto? Custa colocar o "e" no meio? 3GB, 20GB em Apps... aqui é que coisa fica turva.
    A Meo tentou simplificar, usando ao que me parece o sistema da operadora Suiça da qual sou cliente (já lá vou), só que os valores e a oferta são rídiculos.

    "Tarifários Móveis Pós-pagos Unlimited" Unlimited? Já vamos ver isso.

    Oferece 4 pacotes S, M, L, e XL... Sendo o L o 3º mais caro (pego este exemplo) imaginem o meu espanto que apenas oferece 3GB de Internet móvel... 3GB CA#%#%!!!! Mais em baixo tem algo que eu não consigo perceber o que é isto: "Internet Móvel Oferta Exclusiva Online (4) +500Mb" Ah??? Este unlimited é do carago!
    Entretanto aparece o preço por esta maravilha da tecnologia... 53,99€ sem fidelização. Yep... 9.3% do salário mínimo nacional (Uma vez que o trafego é uma merda, não dá para usar como hotspot, ou ver tv, netflix etc é preciso acrescentar aqui um pacote de ADSL, que vem com telefone fixo, e mete-se mais uns trocos em cima.)
    Com fidelização de 24meses 32,99€ claro que isto vem acompanhado por muitas alíneas pequenas, que devem esclarecer a minha pergunta "E quando a fidelização acaba, qual é o valor?"
    Mais abaixo aparece um pacote "+ Smart net" Que são uns pacotes de trafego (suponho eu) para X aplicações (dependendo do tipo) por X valor por mês.

    No meio disto tudo, não sei qual é a velocidade da internet em nenhum dos pacotes.

    Agora voltando à Suiça, e para não alongar isto mais eu pago o seguinte:

    -100Fr por mês (3% de um salário mínimo médio [não existe salário mínimo obrigatório])
    -Fidelização de 24 meses (se não for fidelizado, o preço é o mesmo, mas não tenho desconto na compra de um telemóvel)
    -Por estar fidelizado tenho desconto na compra de um telemóvel novo, exe: Samsung S9 custaria 300Fr com fidelização de 24meses. ( O preço tem vindo a aumentar dado ao aumento de preço dos equipamento também)
    -A velocidade (deste pacote) já deixou de estar descrita no site da operadora: em 2013 quando vim para a Suiça era de 20Mbps, em 2017 era de 50Mbps, e o fim de semana passado (22Abril2018) apanhei 110Mbps a 4000m de altitude dentro e fora de uma montanha, não leram bem? Leiam de novo: 110Mbps a 4000m de altitude, fora e dentro da montanha.

    A Meo para 25GB de serviço cloud pede 25€... na Swisscom é grátis e... ESPAÇO ILIMITADO, para todos os tarifários!!!

    E agora a parte que mais interessa: trafego.
    ILIMITADO. EM TODOS OS FUCKING PACOTES. Do mais barato ao mais caro. Não ha reduções de velocidades acima de X, é ilimitado e acabou.

    Packs de applicações? Que raio é isso?

    Sendo o trafego ilimitado não há mais discussão.

    Então, se o trafego é ilimitado e a velocidade está descrita como highspeed, qual é a diferença entre os pacotes?
    Bem, a velocidade no 2 mais baratos é de 2mbps, e de 20mbps, apartir daí é sempre "highspeed", não há qualquer descrição relativamente ao trafego, o que diz é "chamadas, sms, mms e internet unlimited" em todos!
    Varia os minutos para chamadas internacionais, os valores do roaming e as opções para ter vários dispositivos.

    Tenho adsl? Não, para quê? Com velocidade entre 50 a 100mbps e trafego ilimitado no tlm, podendo andar sempre com um equipamento actual, uso o hotspot e tenho wi-fi em toda a casa. Também não tenho pacote de TV, tenho netflix e uso a internet do tlm para isso. Telefone fixo também não tenho, para quê?

    Portanto Meo, NOS, Vofafone e companhia, ide chupar outro.

    ResponderEliminar
  3. Bem vindo a Portugal.,.... e está tudo dito.

    ResponderEliminar
  4. Quando morei na Noruega tinha 20 ou 30 gigas pelo equivalente a uns 30€. Podia usar esse tráfego na UE. Agora na Dinamarca tenho 20 gigas por 25€ em que 5.5 posso usar em roaming na UE. Quando voltar a Portugal vou ficar deprimido com os tarifários de telemóvel.

    ResponderEliminar
  5. Na NOs pago mais de 70 euros por mês (pacote completo com 2 cartões) e só disponibilizam 3 gb para os 2 cartões... Mas quando terminar o ultimo período de fidelização mudo para outra operadora porque na NOS são uns aldrabões. No inicio tinha 6 gb para os 2 cartões, só que era só um engodo para me prenderem por 2 anos e omitiram que só durava uns meses... Para mim NOS NUNCA MAIS! Ainda por cima a ligação é péssima e nem consigo publicar fotos no Facebook e ainda menos ver vídeos no Youtube, e ainda assim fico sem Internet a meio do mês... como é isso possível ??? Estão à espera que eu peça mais para me prenderem por mais 2 anos, mas bem que podem esperar sentados!

    ResponderEliminar
  6. Que operadora me aconselham ? Eu estou a pensar mudar para a Meo mas ainda não sei se eles são mesmo bom como dizem... ???

    ResponderEliminar
  7. As operadoras em Portugal fazem claramente acordinhos entre eles criando um autentico pântano no panorama dos planos das comunicações moveis .

    Não é da velocidade que nos queixamos porque essa temos o problema é mesmo as limitações estúpidas que nos fazem de limites nos respectivos planos, hoje de que vale acedermos a mais de 200 MBS como eu tenho, se só tenho 3GB de dados para gastar durante o mês .

    A Anacom tem de ser mais interventiva e acabar com estes corporativismos a que hoje assistimos na área das comunicações , mas já nos combustíveis temos o mesmo panorama salvando-nos aqui as gasolineiras dos supermercados ou as de marca branca que praticam preços bem abaixo das grandes marcas.

    ResponderEliminar
  8. Não é melhor começar a pedir cartões no estrangeiro?

    ResponderEliminar

[pub]