2018/04/23

Vendas reduzidas do iPhone X deixam fornecedores com excesso de peças


A Apple pode conseguir ficar com quase 90% dos lucros no sector dos smartphones, mas as vendas do seu topo de gama parecem ter estagnado e estão a deixar os fornecedores da Apple com excesso de componentes nos armazéns.

Neil Campling, analista da Mirabaud, não tem dúvidas de que o "iPhone X está morto" e que serve como demonstração de que o mercado se está a fartar dos preços cada vez mais elevados que têm sido aplicados aos modelos topo de gama. Para sustentar essa afirmação usa os stocks da TSMC, um dos fornecedores de chips da Apple, e que neste momento está com o mais elevado volume sempre de componentes em stock que deveriam estar a ser absorvidos pela Apple. Indicação que vai ao encontro de vários outros relatos que dizem que a Apple cortou significativamente o número inicialmente planeado das encomendas de componentes (incluindo os ecrãs OLED da Samsung).

Isto é algo que deverá ficar clarificado muito em breve, uma vez que não é sustentável para a Apple manter os fornecedores sem lhes comprar componentes, nem tão pouco ter iPhones a acumularem-se nas prateleiras e armazéns - e, se isto se vier a confirmar, a solução mais lógica é aquela que também já começou a fazer circular rumores: a de antecipar o lançamento de novos iPhones com um reacerto do preço que colocará o sucessor do iPhone X num patamar mais acessível ($899 em vez de $999), deixando o segmento dos $999 para o iPhone X "Plus".

Veremos também de que forma isto influenciará em termos de lançar um iPhone SE 2 que sirva como patamar de entrada nos iPhones a preço "relativamente" reduzido. (Sem esquecer que, no campo dos Android, se vão multiplicando as opções de "topos de gama" a preços acessíveis - como o ZenFone 5Z que terá preço abaixo dos 500 euros; ou dos modelos de gama média-baixa que oferecem algum descanso quanto às actualizações, como o Xiaomi Mi A2 que deverá ser apresentado ainda esta semana.)

25 comentários:

  1. A TSMC bem podia vender uns CPUs da Apple à Huawei e ZTE para os poderem vender nos USA :P

    ResponderEliminar
  2. Não acredito que quando a Apple não vende, os fornecedores é que ficam com o material em armazém, se assim fosse, onde é que a Apple perderia neste negócio? Ou os fornecedores andam cá a dormir?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Com a dimensão que a Apple tem, em peças onde existam vários fornecedores à disposição?... Nem quero imaginar as condições que a Apple impõe. Não é todos os dias que se arranjam "clientes" que façam encomendas naqueles volumes e que fazem logo disparar a valorização da empresa só por conta dessas encomendas.

      Eliminar
  3. Os lucros com o iPhone X representaram 35% dos lucros da Apple no 4º trimestre de 2017.
    Só os lucros do iPhone X ultrapassara os lucros somados dos 600 maiores fabricantes de Android,
    E vá lá que vendeu pouco, olha se tem vendido muito?!

    P.S. A nova versão de "o iPhone X vendeu menos que o esperado", porque "vejam lá, o inventário (stocks) da TMSC estão muito elevados " não convence. Em lado nenhum se diz que são chips para iPhone X, apenas se presume. Porque e TMSC fabrica:
    - Uma parte, minoritária, dos chips (processadores) para iPhone X
    - A totalidade dos chips para outros iPhones e iPads
    - Processadores de outros fabricantes como a Qualcomm - e sabe-se que as vendas de Androids estagnaram
    Mas como aumentou os "inventários" (sabe-se lá do quê) só pode ser das fracas vendas do iPhone X.
    Mas nem tudo são má notícias sobre a TMSC: "Apple A12 and Snapdragon 700 Chip Production May Lead TSMC to Earn Record Profits in 2018 After All" :)

    ResponderEliminar
  4. Sim, e é muito bom ter lucros. O que não é nada bom é não ter vendas... (levado ao extremo, imagina que uma marca "Orange" ficava com 90% dos lucros, ao vcnder um único smartphone que custava 1 bilião).

    Há vários anos que a Apple tem estado preocupada com o (não) crescimento das vendas (foi isso que os levou a lançar o iPhone SE "barato")... e se este ano vier a antecipar os novos iPhones, como se tem falado, será mais um indicador disso.

    De resto, aquilo que dizes actualmente, em tempos também era dito sobre a Nokia... bem sabemos que nada dura para sempre, e qualquer dia (leia-se: ano) pode ser o princípio do fim de qualquer gigantes... por muito improvável que possa ser. (E isto não se aplica apenas à Apple... ninguém está livre).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Exatamente! Basta que alguém invente um novo tipo de smartphone como aconteceu com os iPhone/Android vs.Nokia/Blackberry e outros que foram para o galheiro!

      Agora, enquanto for iPhone vs. Android não me parece que haja grandes alterações. Nem o Android aparece com grandes novidades nem os preços dos topos de gama são muito diferentes dos do iPhone.

      Quanto à quantidade nas vendas de iPhones a preços baixos - por certo interessa à Apple. Mas há iPhones a preços não muito altos e iPads também. Fala-se do preço do iPhone X e esquece-se os outros. "Eh pá, mas os dos chineses são mais baixos". Ótimo, cada um compre o que quiser :)

      Eliminar
    2. Dependes do que considerares "novidades"... Se por um lado é verdade que temos Androids com preços mais exorbitantes que nunca, por outro lado tens smartphones a 100 e 200 euros mais atractivos que nunca (ver o ZenFone Max Pro, Mi A2, etc.) Para não falar que tens modelos topo de gama que se ficam na gama dos 500 euros, sem entrar nos preços exorbitantes dos outros...

      Mas a estratégia da Apple em resposta a isso não está nada mal pensada, com o escalonamento dos preços a ser feito com os modelos dos anos anteriores (e posteriormente com o SE) - e eu sou a prova de que isso funcionou... Depois de ter trocado de iPhones todos os anos desde o início, mantive-me no 5S por considerar que o 6 e o 6S tinham preços exagerados... e só troquei quando chegou o SE.

      Eliminar
    3. Falo de novidades ... falas-me dos preços :)
      As novidades dos topos de gama da Google, da Samsung e da Huawei são as máquinas fotográficas - "conseguiu mais 1 ponto na classificação do DxOMark!"

      Já não se fala do smartphone mas da máquina fotográfica. E depois: "Tchee... grande câmara a do Pixel 2 ,... mas o preço...", e a seguir "Tcheee, tchee, ... a Google só vendeu num ano o mesmo que a Apple numa semana..."

      "Ah, mas vem aí a Xiaomi!" É certo, a Samsung que se cuide, na China quase desapareceu :)

      Eliminar
    4. Bem, repondo a "verdade desportiva", não foi "1 ponto"... foi de 97 do iPhone X para 109 do P20 Pro, o que até na calculadora de um iPhone dá 12 pontos... ;P

      Para quem compra smartphones pela qualidade da câmara (que os há), a decisão fica tomada (e nao fica mal servido em tudo o resto, pois em desempenho e autonomia também "está lá").

      Que venham muitos mais assim...e que nao usem a AI para tentar esconder abrandamentos quando a bateria tem um ano e tal. :)

      Eliminar
  5. É o que eu digo - o destaque ė a máquina fotográfica e mais nada.
    A €900. O iPhone X tem outros argumentos.

    Com que então a trapalhada em que se meteu a Apple com o limitador de picos de tensão das baterias - "era para esconder abrandamentos quando a bateria tem um ano e tal"?
    Mas não tinhas demonstrado que, sem o limitador afinal não havia abrandamento?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O limitador que antes de ficar cabalmente demonstrado que abrandava tudo, muitos negavam que existia e que era "teoria da conspiração" (e sobre a qual a Apple nem se pronunciava até à isso ser obrigada)? Esse mesmo.

      O iPhone X tem muitos argumentos, sem dúvida... Mas dizeres que os outros não os têm... Um p20 pro tem melhor câmara, melhor autonomia, tem desbloqueio facial mais rápido, tem impressões digitais à frente, funciona tão fluido e rápido como qualquer topo de gama. Num s9, bem... Só não são novidades porque aquilo que é novidade num iphone já os Galaxy e outros têm há anos.

      Eliminar
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar
    3. Isso agora ... que já não é novidade porque os outros já têm ... tem que se lhe diga ...
      A questão não é quem faz primeiro - é quem faz melhor.
      Por exemplo, o desbloqueio por reconhecimento facial. Há que tempos que já havia disso. O S20 é o mais rápido? Grande coisa ;-)

      E competir com o Face ID, que não se limita ao desbloqueio? As últimas notícias davam os fabricantes Android como não querendo investir no Face ID - "por ser uma tecnologia cara, que não se justifica". As uvas a que não posso chegar "estão verdes, já não as quero" ;-)

      O que é facto é que os "iPhones killers" vêm ... e vão. E os "dramas" como o dos limitadores dos picos de velocidade também.
      Já questões fundamentais como a das atualizações do sistema operativo no Android - ficam. "Ah mais vem aí o Projeto Treble" - é mais um.

      Eliminar
    4. O FaceID foi uma revolução técnica, sem dúvida, tal como foi em tempos o ecrã Retina - mas tal como nos ecrãs (e nas câmaras), são melhorias que dão aos iPhone vantagens temporárias, que acabam por ser apanhadas e superadas pela concorrência num par de anos. Com o Face ID passa-se exactamente o mesmo... desde logo os especialistas estimaram que demoraria um par de anos até que a concorrência tivesse acesso a tecnologia idêntica. Não é questão da concorrência dizer "não quero"... é dizer "não vale a pena por até que tenha um preço comportável", pois sabem que não vão vender smartphones a 1000 euros (mas podes sempre comprar um Mate Porsche Edition por 2000 euros, se quiseres. :)

      As actualizações nos Android são um problema há muito, mas que não tem ficado esquecido. Por um lado, são cada vez mais as marcas que se têm portado bem a níveis de actualizações; por outro lado coisas como o Project Treble são apostas basilares para resolver a questão. No entanto, não é algo que se vá resolver de um dia / ano para o outro, nem que seja pela simples inércia de teres no mercado 2 mil milhões de equipamentos Android activos mensalmente (segundo os dados de maio de 2017).

      É que também não há que ficar iludido com o pseudo-domínio da Apple no mundo... quando esse domínio se resume aos *lucros*. A Apple pode ganhar 90% do dinheiro... mas não te esqueças que por cada iPhone vendido se vendem 9 smartphones Android - e com as vendas dos iPhones a terem estagnado e reduzido nos últimos anos (por muito habilidoso que seja brincar com os números e dizer que "x" modelo foi o mais vendido de sempre - o que tecnicamente pode ser correcto, por não segmentares as vendas: exemplo, o iPhone X vendeu "5", quando o iPhone 8 vendeu "4.5" e o 8 Plus vendeu outros "4.5", que noutra perspectiva significaria que o X vendeu "metade" dos iPhone 8)... Bem... por algum motivo a TSMC terá com os chips em excesso, e a Samsung com as fábricas que deveriam estar a produzir ecrãs OLED para a Apple, paradas devido ao corte nas encomendas...

      Eliminar
  6. Se deixaram de ser vendidos telefones Nokia por esse mundo fora algum sistema operativo o havia de substituir - foi o Android, senão como é que se telefonava?

    Lá aproveitas qualquer ponta de notícia para dizer "É desta" ;-)
    Os chips da TSMC eram para o iPhone X? Porque é que não são chips para a Qualcomm?
    E a Samsung só fábrica Oleds para o iPhone X?

    P.S, Hoje saiu uma actualização do iOS que resolve o problema dos iPhone 8 quando se substituir o ecrã por um não original. O teu post "o drama, o horror, é porque agora é preciso uma máquina para autenticar o hardware que só os reparadores autorizados é que têm - mas que grande ilegalidade" - Ó

    Há uma coisa que é certa e que é um certificado de garantia dos produtos Apple - seja qual for o problema, grande ou pequeno, real ou inventado, sabe-se. Dos outros não, o que gera desconfiança. Os certificados de garantia ajudam a vender :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aires, como especialista em tudo o que é Apple, saberás que a Apple tinha encomendado várias dezenas de milhões de ecrãs OLED à Samsung, e não me parece que a Samsung tenha outro cliente que faça encomendas dessa magnitude. Isso implica que a Samsung tenha tido que se preparar atempadamente para conseguir dar resposta a esses pedidos - se depois afinal o cliente dá "corte" para metade... podes crer que a Samsung fica com capacidade de produção em excesso e com as linhas de produção paradas. E tal como acontece com a Samsung, acontece com outros componentes - o que dá credibilidade aos relatos sobre a TSMC e outros fornecedores... não se está a falar de um só caso isolado.

      A actualização do iOS, se bem te lembras, já na altura eu disse que seria provável que saísse, tal como aconteceu no passado. No entanto, para todos os que eram afectados por esta situação, representou várias semanas sem poderem usar o seu iPhone. Pergunto-me se acharias piada se, por uma qualquer decisão da Apple, só pudesses voltar a usar o teu iPhone daqui por 4 semanas... Se calhar compreenderias melhor o "horror" dessas pessoas.

      O meu maior "problema" com os problemas da Apple, é que muitos deles existem e não são "sabem" com a facilidade que se pensa, por culpa de muito fricção de todos os que dizem que são problemas "inventados" - veja-se o abrandamento, e a dificuldade que foi em admitirem que afinal existia mesmo (dizias-me tu que era problema do meu iPhone, lembras-te?)

      Enfim... só quando as pessoas passam por elas é que normalmente ficam mais receptivas a que nada é perfeito. E acima de tudo, que criticar as coisas más / menos boas, não é incompatível com que o produto continue a ser bom, muito pelo contrário... é apenas uma forma de tentar fazer com que ele seja melhor.

      Eliminar
    2. Os ecrãs OLED da Samsung ... " ai que a Samsung investiu em fábricas de OLED e agora não têm saída. - só pode ser por causa da redução das encomendas esperadas da Apple para iPhone X!"

      O que a Apple encomendou à Samsung de ecrãs OLED para o iPhone X e outros a sair em 2018, por certo cumpre o contratado. "Ah, mas a Samsung esperava mais ..."

      - Bem, uma coisa é certa - a Apple anda desesperadamente à procura de outro fornecedor de ecrãs OLED, que seria a LG, para não ficar dependente de um único fornecedor (diga-se, de passagem, que a LG não tem conseguido corresponder). Se a Samsung investiu tomando como certo que seria o único fornecedor ... é um bocado estranho.

      - Por outro lado, com o entendidos dizem, não será que a Samsung investiu em fábricas de ecrãs OLED a contar com encomendas de outras marcas? Por exemplo, da Oppo e da Vivo, que só têm ecrãs OLED em 5% dos seus smartphones?

      O que é certo é que os ecrãs OLED custam o dobro dos LCD - e por isso poucos fabricantes lhes pegam e por isso a Oppo e a Vivo não aumentaram as encomendas.

      Mas pronto - q.e.d. só pode ter sido uma quebra das encomendas, esperadas, para o iPhone X ;-)

      Isto quando a Samsun sabe que a Apple está mortinha por arranjar um segundo fornecedor e que é mais do que provável que a Samsung tenha decidido aumentar a sua capacidades produtiva a contar com encomendas de outros fabricantes de Android - que não vieram.

      E isto tudo quando se sabe que a Samsung Electronics teve lucros record no ultimo trimestre de 2017 - em grande parte graças à venda de ecrãs OLED para iPhone X. E isto quando as vendas foram fracas - o que seria se não fossem?!

      P.S. Quanto ao problema com o teu iPhone que te fez alterar a "visão" sobre a Apple, todos nós já tivemos um problema ou outro com equipamentos. Convém é ver mesmo se eram mesmo "milhões" os afetados, e o que aconteceu ao certo :)

      Eliminar
    3. Se cumprisse o contratado não tinham saído as notícias de que tinham feito grande corte nas encomendas, nem a Samsung se estaria a queixar de ter linhas de produção paradas.
      Não será também por acaso que a Apple se tem queixado do preço do ecrã OLED da Samsung, pois será natural que se o cliente não cumpre com a encomenda prometida, o fornecedor também não cumprirá com o preço acordado.

      A necessidade da Apple encontrar alternativas é prática saudável para qualquer empresa, para não ficar dependente de um único fornecedor - e também te lembrarás que a Apple já investiu "biliões" na LG para acelerarem a produção de OLEDs mobile.

      Como muito bem saberás, a Apple só está a comprar os ecrãs OLED à Samsung porque não tem alternativa - tal como não tem alternativa a pagar o preço que a Samsung muito bem entender cobrar por isso. É daquelas situações em que temos dois parceiros que, se pudessem "matar-se" mutuamente, matar-se-iam, mas: a Apple precisa dos ecrãs, a Samsung precisa do dinheiro... pelo que, ficam os negócios à frente das "vontades". (Além de que, a Samsung sabe que é uma questão de tempo até que a LG lá resolva os problemas e se torne no fornecedor preferencial de OLEDs... Pelo que seguramente também tentará espremer a Apple ao máximo...)

      Mas, deixa chegar os números destes trimestres, para veres se a evolução das vendas dos iPhones X, e todos os seus efeitos secundários a nível dos fornecedores dos componentes é assim tão satisfatória... ou se realmente há motivo para preocupações.

      P.S. A minha visão da Apple não mudou com o "meu problema"; infelizmente é algo que se tem tornado bem visível ao longo dos últimos anos... ao ponto de ser a própria Apple a dizer que "era preciso parar e resolver os problemas no iOS antes de avançarem com novas funcionalidades" (não sou eu a dizê-lo, é a Apple); ou ver fãs "ferrenhos" da Apple a devolverem Macs Pro para usarem os da geração anterior, por estarem fartos de teclados com teclas que deixam de funcionar ao fim de alguns meses (também não sou eu a queixar-me, são eles)...
      Quanto à questão das baterias, aí terás que me desculpar... pois não podes estar constantemente a dizer-me que a Apple vende dezenas de milhões de iPhone por trimestre (e isso são factos comprovados), e depois queres fazer de conta que não tens centenas de milhões de iPhones com baterias "velhas" que estavam a ser afectados pelo abrandamento. A única coisa que podes por em causa, é quantos terão chegado à conclusão que afinal a lentidão era devido à bateria... e quantos terão sido enganados, pensando que o seu iPhone "era assim" e comprado novos iPhones "muito mais rápidos".

      Não tenho qualquer problema em confessar que me enquadrei neste último grupo durante muitos meses, até finalmente a coisa ter chegado a um ponto em que se tornou tão exagerado que deu origem à suspeita da lentidão propositada, e que posteriormente se veio a confirmar. Mas, se quiseres acreditar que a Apple até lançou um programa de toca de baterias a preço reduzido, e alterou o iOS para permitir desactivar a desaceleração só por minha causa, ou só por causa de "cem" ou "mil" afectados... és livre de o fazer - fico grato por achares que tenho assim tanta influência junto da Apple :)

      Eliminar
    4. Só para confirmar que não é "mania minha":
      "Samsung Electronics Co. is the latest Apple Inc. supplier to offer a sign of weaker iPhone X sales, saying that it’s seeing slow demand for the screens used in the flagship product."

      https://www.bloomberg.com/news/articles/2018-04-26/samsung-sees-slow-demand-for-oleds-used-for-apple-s-iphone-x

      Eliminar
  7. Fevereiro: smartphone mais vendido, com largueza - iPhone X

    https://www.counterpointresearch.com/four-five-top-selling-smartphones-came-apple-february-2018/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, 5% é uma maioria super absoluta... por modelo. Só falta nao esquecer que mesmo considerando os restantes iPhones, se venderam 9 smartphones de outras marcas por cada iPhone vendido.
      Mas deixa lá ver onde todos estes "recordes" de vendas do iPhone X vai dar... Sem dúvida que a vender assim tanto, a Apple até desiste de vender os restantes iPhones... ;P

      Eliminar
    2. A Apple divulgou ontem os resultados do trimestre terminado em Março. Comparado com os períodos homólogos - graças ao iPhone X - teve recordes de receitas, lucros e número de iPhones vendidos.

      E isto porque o iPhone X vendeu pouco - faria se vendesse muito!

      Melhor sorte para as tuas previsões no próximo trimestre ;-)

      Eliminar
    3. A não ser que a Apple já tenha conseguido inventar uma máquina do tempo, não sei como é que algo que a Apple fez para os meses futuros (corte nas encomendas) afectaria as vendas passadas...
      Mas sim, lá veremos os números dos trimestres seguintes...

      Interessa é que não haja amnésia selectiva se/quando tal vier a acontecer.

      Eliminar
  8. Isso dá uma quota de mercado para a Apple de 10%
    Olha que está mais próxima dos 20% - graças ao iPhone X ;-)
    P.S. Espera sentado.

    http://gs.statcounter.com/vendor-market-share/mobile/worldwide

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esse mesmo gráfico que colocas é bastante interessante... Faz uma análise da tendência de "crescimento" para Samsung e Apple, e depois compara com a da Xiaomi, Huawei e Oppo. Se calhar... coincide com o que tem sido dito...

      Eliminar

[pub]