2018/04/04

Zuckerberg não vai aplicar lei Europeia da privacidade aos utilizadores no resto do mundo


No meio de um escândalo sobre a forma como trata os dados dos utilizadores, o Facebook perde uma oportunidade de luxo para se redimir parcialmente, hesitando na aplicação do novo regulamento de protecção de dados Europeu (GDPR) aos utilizadores no resto do mundo.

Poderia pensar-se que Mark Zuckerberg estaria numa fase em que agradeceria todas as ajudas que pudesse ter, mas parece que ainda não se acha em apuros suficientes para abraçar a GDPR como uma bóia de salvamento. Numa entrevista telefónica, Zuckerberg não aproveitou a oportunidade para ficar bem perante os utilizadores, quando lhe perguntaram se tencionava aplicar a GDPR europeia de forma global a todos os utilizadores em todo o mundo.

Em vez de dizer categoricamente que sim, Zuckerberg optou por uma resposta "à político", dizendo que tenciona reforçar a privacidade dos utilizadores em todo o mundo e seguir o "espírito" da GDPR, mas que terão que haver algumas excepções - que não se dignou a referir.

É pena... pois teria sido uma excelente oportunidade para demonstrar que, por uma vez que seja, o FB colocaria a privacidade dos seus utilizadores um pouco mais acima na sua tabela de valores; sendo que na verdade não estaria a perder muito... pois facilmente se imagina que será uma questão de tempo até que o resto do mundo exija a privacidade dos dados em grau idêntico ao que será exigido na Europa. Aliás, nos EUA já são muitas as pessoas a dizerem que será necessário seguir o exemplo europeu... pelo que o apetite do Facebook pelas ditas "excepções" terá que ser feito rapidamente... pois arrisca-se a acabar antes sequer de ter tempo para ser aproveitado.

Actualização: afinal diz que sim... mas em formatos diferentes... (o mais certo é nem ele saber muito bem ainda o que o Facebook irá fazer...)

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]