2018/05/29

Europa quer proibir peças de plástico descartável


A Europa vai finalmente dar passos no sentido de minimizar a utilização das peças de plástico que se usam uma vez e se deitam fora, e com isso tentar reduzir milhões de toneladas que actualmente não são recicladas.

Copos de plástico, talheres e pratos descartáveis, palhinhas e cotonetes, são alguns dos items plásticos que a Europa quer proibir. Esta é uma medida que se estima que poderá custar 3 mil milhões de euros às empresas, mas que por outro lado permitirá poupar 6.5 mil milhões de euros aos consumidores, criar milhares de novos postos de trabalho, e evitar 22 mil milhões em custos de limpeza e impacto no ambiente.

A medida surge em resultado da reduzida taxa de reciclagem nestes produtos; se no papel se atinge uma taxa de reciclagem de 58%, e no metal se consegue chegar aos 90%, no plástico essa taxa é de apenas 14%(!) contrariando a ideia comum de que "todo o plástico" acaba por ser reciclado - e que ajudará a perceber como é que no Pacífico existe a grande "plastic patch" com mais de 80 mil toneladas de plástico.

Do lado da indústria, as críticas são a de que os materiais alternativos que se poderão utilizar para fazer estes produtos continuarão a causar problemas idênticos; mas os proponentes da lei argumentam que existem materiais - como os bioplásticos - a que se poderia recorrer, sem impacto a nível de utilização pelos consumidores, mas que evitariam os problemas a longo prazo da gestão dos resíduos.

Isto é algo que ainda irá demorar anos a ter efeito (e caso seja aprovado por todos os países membros da UE), até lá... cabe a cada um de nós fazer os possíveis por evitar o "desperdício plástico" ao máximo. Se alguém que beba 8 copos de água "descartáveis por dia", se passar a usar um copo não descartável, deixará de enviar para o lixo cerca de 2000 copos por ano... Dá que pensar, não? (No mínimo, mesmo que se limite a usar o mesmo copo ao longo de uma semana, já reduziria imensamente o seu impacto ambiental!.)

7 comentários:

  1. Concordo. Só para começar se a Mc Donalds, apenas fornecer tampas e palhinhas para take away e mc drive, era milhoes de toneladas a menos por ano.

    ResponderEliminar
  2. Até que enfim uma medida acertada de Bruxelas, eu tento por todo o plástico nos ecopontos dedicados ao plástico e embalagens e no escritório uso o mesmo copo plástico o dia todo, mas também vou mudar isso comprei da SIGG uma garrafa térmica que tanto dá para o frio como para o quente.

    ResponderEliminar
  3. Excelente notícia. Estou totalmente de acordo.

    ResponderEliminar
  4. Para introduzir ontem! Muito boa noticia.

    ResponderEliminar
  5. Dizes que poupa aos consumidores mas o que achas que as empresas vão fazer aos custos? Vão todos para o preco dos produtos, estou mesmo a ver. Não é que não concorde com a medida a nível ambiental mas nao se espera que a concorrência por si só va permitir fazer os mesmos preços de hoje pois não?

    ResponderEliminar
  6. Estamos a falar de que preços Rui?
    1 euro pelo custo de uma bebida tirada à pressão nos restaurantes de comida rápida?

    ResponderEliminar

[pub]