2018/05/19

Google remove "don't be evil" do seu código de conduta


A Google escolheu uma altura curiosa para remover, silenciosamente, o seu famoso "don't be evil" do seu código de conduta...

Embora a atitude "don't be evil" da Google há muito que poderia ser posta em causa, o gigante tecnológico oficializou efectivamente o fim dessa era, ao remover praticamente todas as referências a esse mote do seu código de conduta.

Com base no registo histórico do Internet Archive, a 21 de Abril o código de conduta ainda fazia a habitual referência destacada à "cláusula" don't be evil, que entretanto, a 4 de Maio, já tinha sido removida, sem que a Google tivesse anunciado ou sequer mencionado essa alteração. Aliás, o documento continua a referir que a última actualização foi feita a 5 de Abril... o que, conforme demonstrado, não é verdade.

Nesta versão actualizada o "don't be evil" foi quase completamente eliminado do documento, restando apenas uma única referência na última linha, em que refere, quase em jeito de nota de rodapé: "And remember… don’t be evil, and if you see something that you think isn’t right – speak up!"

... Não será propriamente a melhor imagem a passar, vindo da empresa que mais dados acumula sobre os utilizadores, e que achou que esta questão foi suficientemente importante para justificar a remoção da referência de todos os anteriores "don't be evil" deste documento, quando poderia ter tido uma atitude de "não é assim tão importante, mas deixa ficar".

5 comentários:

  1. Raios... Está na hora de repensar a forma de usar a tecnologia do meu dia a dia... :(

    ResponderEliminar
  2. A Google é a Google, não engana ninguém (que não queira)..
    Não há nenhum mistério na Google, na Apple, nem na Microsoft.

    O mistério está na Amazon. A Apple tem mais lucro num trimestre do que a Amazon em 20 anos - então como é que a Amazon vale mais do que a Google e pode chegar antes da Apple aos 1000 milhões de dólares?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se considerares que há mais probabilidades da Apple ser a próxima Nokia, do que a Amazon.... :)

      Eliminar
    2. Ah sim?
      Sabe-se por que foram pelo cano a Nokia, a Motorola e a RIM/Blackberry - porque apareceu o iPhone e a seguir o Android, nele "inspirado". Dos grandes da altura sobrou apenas a Samsung, que soube agarrar o Android

      Então a Amazon lançou um smartphone e é por isso que vale mais que a Google?

      Já agora os valores em milhares de milhões de dólares:
      Apple: 916
      Amazon: 764
      Google: 742
      Microsoft: 740

      Eliminar
    3. Precisamente por não estar dependente do sucesso de *um* smartphone, que representa a "fatia de leão" dos seus lucros.
      É bom enquanto dá lucro, é muito mau em termos de vulnerabilidade a qualquer alteração no mercado.

      Eliminar

[pub]