2018/05/23

Zuckerberg só respondeu ao que quis no Parlamento Europeu


Mark Zuckerberg veio ao Parlamento Europeu responder a perguntas referentes ao recente escândalo Cambridge Analytica e saber o que o Facebook está a fazer para proteger a privacidade dos utilizadores em geral, e dos cidadãos europeus em particular, mas a sessão deixou bastante a desejar.

As coisas raramente funcionam quando se trata de colocar políticos a discutir assuntos tecnológicos, mas neste caso não foi essa a vertente que falhou. Os nossos representantes europeus fizeram muitas perguntas assertivas e pertinentes; mas infelizmente o formato escolhido impediu que Mark Zuckerberg fosse confrontado directamente com todas elas. O processo consistiu em fazer as perguntas em bloco no início, e depois ceder a palavra ao criador do Facebook, que assim teve a liberdade para abordar e responder as coisas que lhe interessavam (no seu registo pré-preparado) e esquivar-se às questões mais complicadas.

Aquilo que no início parecia ser uma sessão bastante quente para o lado de Mark Zuckerberg tornou-se apenas num "banho de água morna" que apenas servir para fazer figura de corpo presente. Mas não que isso tivesse passado despercebido... quando Zuckerberg encerrou a sessão, já depois do tempo programado, saiu-se com uma frase do estilo: "Houve muitas perguntas a que não consegui responder especificamente, mas estou contente por poder ter respondido às questões globais que mais vos preocupavam" - algo que não foi propriamente bem recebido por todos os que estiveram ali a gastar o seu tempo e que continuaram sem as respostas que realmente queriam ver respondidas.

... Mas pronto, poderá dizer-se que a culpa foi do próprio Parlamento, por ter permitido que a sessão decorresse neste formato, em vez de exigir que Zuckerberg respondesse especificamente a cada questão colocada. Até lá, muita coisa fica por responder... e na prática, tudo permanecerá na mesma.



5 comentários:

  1. Não consigo entender a subserviência do PE a esse tipo... Ficou muito mal na fotografia.

    ResponderEliminar
  2. e não devia ter respondido a nada, nas redes sociais só lá está quem quer, como diz o john macfee nesta entrevista eu não me lmebro de me ter registado em nenhuma rede social do governo para estar a ser espiado pela NSA, CIA, governos, etc. estes políticos não tem moral nenhuma, isto é conversa para os burros e incautos mentais :) vejam a entrevista - https://www.youtube.com/watch?v=WBgFGwJA1D0

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É certo que só lá está quem quer. Mas o problema é que tu não estás nas redes sociais, mas outras 10 pessoas estão, e são manipuladas com mentiras, e depois vão votar em leis e pessoas que vão acabar por influenciar a tua vida (normalmente para pior).

      Eliminar
    2. além de que mesmo não estando, recolhem dados sobre ti na mesma

      Eliminar
  3. Enquanto o Parlamento Europeu e a Comissão Europeia, mais o conselho Europeu não perceberem a força que temos como bloco, e aplicarem de facto medidas diferenciadores dos USA ou outros, então temos sempre o esturro queimado, o que vejo +e o realinhamento das presenças militares e económicas no Mundo para uma nova realidade que se acentuou com a entrada do Actual Presidente dos USA, mas verdade seja dita todas estas convulsões já estavam presentes antes da sua posse e são do ponto de vista dos Europeus preocupantes, ora se em matérias tão importantes como a privacidade dos cidadãos Europeus não conseguimos fazer melhor que esta subserviência, então nos restantes capítulos ainda estamos pior, e o pior de tudo é que se vê uma apatia que até doí dos nossos governantes no Parlamento Europeu e restantes órgãos dirigentes, assim não.

    ResponderEliminar

[pub]