2018/06/05

ROG Phone da Asus vem com ecrã de 90Hz e Snapdragon 845 de 2.96GHz


Depois da Razor e Xiaomi é a Asus que dá o salto para o crescente segmento dos smartphones dedicados aos jogos, com o ROG Phone.

O ROG Phone procura explorar o efeito que jogos como o PUBG e Fortnite estão a ter junto da comunidade gaming, além de outros jogos que têm tido ainda mais sucesso na região do sudoeste asiático. É um smartphone inspirado na linha gaming de hardware que Asus comercializa para PCs e portáteis; com linhas fortes e onde não faltam LEDs para criar efeitos de luz.


A câmara traseira e o sensor de impressão digital, aparecem enquadrados por motivos que fogem ao que habitualmente encontramos nos smartphones. O símbolo da Republic of Gamers é iluminado por um conjunto de leds, com a cor a ser definida pelo utilizador e o ROG Aerodynamic System é materializado exteriormente, por uma grelha que permite o fluxo de ar para o interior do smartphone.


A Asus não poupou no hardware, como de resto se exige a um equipamento que pretende constituir-se como uma proposta para gaming. Apresenta uma ecrã 18:9 AMOLED com resolução FHD+ (2160x1080) capaz de funcionar a 90Hz para fluidez absoluta, processador Snapdragon 845 capaz de atingir os 2.96GHz, uns imponentes 8GB de RAM e 512GB para armazenamento, câmara dupla traseira com 12MP, ƒ/1.8, EIS e 8MP, ƒ/2.0, complementada na frente por uma câmara com 8MP, bateria de 4000mAh, e sistema de carregamento HyperCharge que tem a grande vantagem de ser compatível tanto com o Quick Charge 4.0 como com o USB-C PD.


Os acessórios são fundamentais para maximizar a experiência de utilização dos equipamentos e a Asus parece ter feito o seu trabalho de casa. Além de uma dock para ligar o smartphone à TV e um game pad que se instala nas laterais, vai comercializar um acessório (AeroActive cooler) que permite, segundo a Asus, melhorar em 5x o desempenho do sistema de arrefecimento.


A TwinView Dock é talvez o acessório mais curioso, pois permite transformar o ROG Phone numa "Nintendo DS alike" com a utilização de um segundo ecrã numa dock onde se instala o smartphone. As possibilidades são imensas e a Asus vai permitir aos developers utilizarem o segundo ecrã para os fins tidos por convenientes - ficando no entanto a dúvida sobre se conseguirá atrair developers suficientes para que não se torne apenas numa "curiosidade" com apenas um par de apps que dele tirem partido.

Este é sem dúvida um smartphone muito interessante, mas falta saber qual o preço definido pela Asus para este produto, que deverá chegar ao mercado no terceiro trimestre de 2018.

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]