2018/08/17

Envios Priority Line / Spain Express vão começar a parar na alfândega?


Um dos métodos de envio mais atractivos, que nos permitem comprar gadgets da China sem os atrasos e desespero dos nossos processos alfandegários parece estar em risco.

Os fãs dos gadgets que habitualmente comprem produtos na loja Gearbest sabem que podem ficar descansados quando o produto disponibiliza os métodos de envio Priority Line ou Spain Express, método através do qual as encomendas são direccionadas para Espanha e só depois reencaminhadas para Portugal, já sem necessidade de controlo alfandegário.

Infelizmente têm surgido relatos de que compras com envios através destes métodos estão a ser seleccionadas para controlo alfandegário - invalidando aquela que seria a sua esperada vantagem para os consumidores portugueses.

Teremos que aguardar por mais informações para saber se terão sido casos excepcionais ou se irão começar a ser recorrentes de agora em diante, e se for esse o caso, esperar que a Gearbest consiga encontrar novo método de envio que volte a dar tranquilidade aos portugueses. (Uma vez mais, relembro que aquilo que nos mais incomoda no nosso processo alfandegário não é o pagamento das taxas devidas, mas sim a extrema morosidade do processo acompanhada pelo factor "lotaria": duas compras exactamente iguais com valores iguais podem apresentar contas diferentes para pagar; isto para não falar no absurdo que são situações como aquelas em que um envio gratuito dá lugar a assumir um valor absurdamente elevado que se faz reflectir na taxa a pagar...)

36 comentários:

  1. Até que ponto é legal produtos comunitários passarem na alfandega

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma boa questão. Os produtos devem(?) pagar as taxas aduaneiras quando entram na europa, neste caso em espanha. Ou estou enganado?

      Eliminar
  2. Desde quando compras na China são comunitárias?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não são, contudo o produto é reenviado de um país comunitário... Falta perceber que manobra a alfândega portuguesa está a fazer para apanhar encomendas "espanholas"...

      Eliminar
  3. Por favor não usem a demora da alfandega para esta notícia pois não tem uma coisa a ver com a outra,se mandamos vir destes sites é para pagar pouco sem ter que pagar mais taxas, a um método eficaz de nunca parar na alfandega é mandar vir em lojas chineses que tem os produtos já na Europa, mas claro os preços já não são tão apeticiveis,... Se os métodos deixarem de funcionar vai ser uma pena pois já comprei vários equipamentos para mim para familiares

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que tem tudo que ver com a demora ( com os valores também, claro )
      Em todo o caso é diferente contar com 2/3 semanas para entrega outra coisa é 2 meses ou mais, por causa da lotaria da alfândega, por exemplo isto:
      https://t.17track.net/en#nums=TV2000023588

      Eliminar
    2. Tem pois. Já fiz diversas compras de sites chineses e norte-americanos com um sistema de "pré-pagamento" das taxas alfandegárias. Paga-se logo e assim não temos que nos preocupar com as "surpresas"...
      Quanto a ficar mais caro, é uma questão de avaliar se mesmo assim compensa face a comprar já na Europa (em muitos casos continuaria a compensar).

      Eliminar
  4. Agora da China só compro cuecas e meias... desde que nunca ultrapasse os 19 euros não vai parar à alfandega.

    ótimos preços e normalmente a qualidade é boa
    https://pt.aliexpress.com/af/category/201003418.html?site=bra&isrefine=y&g=y&blanktest=0&origin=n&spm=a2g03.search0603.3.3.23e05ea8Oiq17S&jump=afs&CatId=201003418&catName=briefs&needQuery=n

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso não impede de parar na alfândega, a diferença é que por menos de 22€ não pagas taxas.

      Eliminar
  5. Em principio isso só funcionará com encomendas que utilizem o operador CTT.
    Existem já muitas que são enviadas por outros operadores e essas já não passam pela alfandega.

    ResponderEliminar
  6. sei de fonte segura que os ctt tem a indicação desde o inicio do mes passado que quando usado esse método, o mesmo deve ser encaminhado para a alfandega

    ResponderEliminar
  7. André, isso não deve corresponder há verdade, se fosse assim já estava há muito tempo alertado e teria terminado de comprar através deste método, agora tenho muitas encomendas a chegar e se o que afirmam for verdade é desta que paro de comprar acima dos 20 EUR em lojas que tenham a origem na China

    ResponderEliminar
  8. Confirmo que comprei um Xiaomi Mi 8 na Gearbest, via priority line e foi parar à alfândega. Veio via correios holandeses. Foi logo dos primeiros a ser posto à venda demorou como o caraças (quando chegou já tinha baixado bastante de preço) e levei com a talega.

    Factura dos CTT/Alfândega:
    - Por ordem da Alfândega: 118,89
    - E mais 83,34 de:
    - impressos/Doc (CTT) 18,45
    - Honorários (CTT): 46,74
    - Urgência 6,15

    Já uma vez uma "priority line" por lá tinha passado. Mas esta doeu. Nem tanto os 23% do IVA, porque enfim, sabia que não o tinha pago. Mas mais os honorários - 46,74! Que trabalho é que tiveram? E o tempo de espera, à volta de duas horas de seca.
    Para a próxima olho para as ofertas que haja, mais seguras, porque a "priority line", enfim, passam umas mas não passam todas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Para os 83,34 faltou 12 de apresentação á alfândega.
      Num comentário acima o Carlos Martins falava em "pré-pagamento de taxas alfandegárias". Em muitos casos era preferível.
      Às vezes nem se compra para fugir aos impostos - é porque cá não há.
      Há dias queria comprar lâmpadas LED refletoras para um teto falso. Cá só havia de cor branca (quase) fria e eu queria de 2700K. Vieram da Amazon, mas se tivessem vindo da China lá podia ter que andar em bolandas.

      Eliminar
    2. Desculpa mas os correios Holandeses não têm envios priority line, o que estamos a discutir é o método Spain line.
      Cumprimentos

      Eliminar
    3. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar
    4. Comprei na Gearbest, escolhi o envio "Priority Line", foi enviado através dos correios holandeses e foi parar à alfândega.
      Por certo não serei o único.

      Eliminar
  9. Não faz sentido e duvido da legalidade desta acção.. Inclusive torna se ridículo porque a nota diz que o país de Origem é Espanha..

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E o transportador, já na UE, põe-lhe a fita-cola amarela:

      "Goods not fulfilling the conditions prescribed by Articles 9 and 10 of the Treaty establishing the European Economic Community".

      Ou seja, de Origem extra-comunitária.

      Eliminar
    2. A minha pergunta é simples alguém com o envio Spain line teve a sua encomenda retida na Alfândega.

      Obrigada

      Eliminar
  10. Uns pontoz qud acho que podem ajudar a esclarecer.
    Envio com direitos e impostos pré-pagos, é um envio dm termos DDP. Significa que o exportador suporta todos os custos até porto.
    Termos DAP (delivery at place) exclui direitos e impostos mas inclui entrega contudo caso seja exigido despacho de importação, será por responsabilidade do importador. Falamos de IVA, direitos da UE, processo de despacho, demoras, inspecções etc. Será o que ctt ou outro transportadora poderá cobrar para libertar a carga.
    Por norma cargas enviadas com valor muito baixo (20€ ou similar) e dimensões (CxLxA \peso) nao é exigido despacho.
    A questão da prioority line é que faz é entra na UE noutro país que nao o que vai ser introduzido ao consumo e não é aplicado o IVA (direitos sempre) - é o chamado de despacho a "libre prática"

    Cumps

    ResponderEliminar
  11. ''Carlos Carvalho18 de agosto de 2018 às 16:49
    A minha pergunta é simples alguém com o envio Spain line teve a sua encomenda retida na Alfândega.''

    Bom dia
    Eu tenho a uma encomenda presa na alfandega. Correu tudo normal , saiu de hong kong entrou em espanha e depois foi parar á alfandega portuguesa que me enviou a carta de boas vindas. A minha questão é a seguinte, entrando por espanha e só depois vir para portugal também temos que pagar as taxas?

    Cumprimentos, Francisco Torres

    ResponderEliminar
  12. Boa tarde ,

    Há partida não te deveriam aplicar qualquer taxa, isto porque o que a lei comunitária diz é que no primeiro País da UE aonde a carga toca, pode-se fazer a livre prática , que no fundo é o despacho da mercadoria, depois vai viajar para Portugal já como origem comunitária e não temos de pagar nada, é o que se faz mesmo em cargas de grande dimensão para empresas, o despacho pode ser feito por exemplo em Roterdão, estou a falar de 1 contentor completo , sendo necessário para estes casos uma procuração da empresa importadora dando autorização para que o despacho seja efectuado pela empresa Holandesa, são pagos os direitos, mas não o IVA, que será só pago quando a mercadoria em Portugal entrar em consumo, como exemplo , se uma empresa importar 1000 capacetes, no primeiro mês vendeu 30, na declaração que tem de fazer há Autoridade tributária ( INTRASTAT ), todos os meses irá mencionar a venda dos 30 capacetes e só sobre estes pagará IVA , depois no caso destas encomendas para particulares o que se faz é um despacho simplificado neste caso que estamos a falar em Espanha, passando a mercadoria de imediato para carga comunitária .

    Estas são as leis da UE se alguém setá ser espertinho em Portugal e a querer ser mais papista que o Papa isso já são outros 300.

    ResponderEliminar
  13. Bom dia, aconteceu comigo pela primeira vez, este mes mandei vir tv box pela banggood por priority air mail e parou na alfandega, pediram para enviar documentos, agora não sei se vou ter que pagar ou não, 32€ valor da box com portes, chegou na quinta feira, mandei na sexta feira documentos e mandei ontem de novo, responderam ontem que foi encaminhado lá para alfandega os documentos...

    ResponderEliminar
  14. Boa Tarde,

    Mas Carlos tem conhecimento de alguma lei que possa usar nesta situação?

    Cumprimentos

    ResponderEliminar
  15. https://fiscalidade.blogs.sapo.pt/iva-importacoes-683212

    Encontrei isto, pelo que me parece vou ter de pagar que me f***

    ResponderEliminar
  16. Bom dia , estive a ler com atenção o artigo, este é o procedimento para a importação de empresas e não era até agora aplicado aos importadores particulares que beneficiavam de um outro estatuto em que o próprio despacho simplificado estava previsto para ser até efectuado em Portugal com o pagamento ao transportador ( normalmente courriers )o valor dos honorários , daí que existam métodos como o Carlos falou em que se pode pagar logo na origem o valor das despesas em Portugal, que agora também ficam em risco com este novo posicionamento da AT, se o estado Português está agora a colocar no mesmo saco importadores ( empresas ) e também os particulares então vamos começar todos a ter de pagar, e mesmo os exemplos que o Carlos colocou não serão válidos e haverá direito a mais despesas se a Alfandega o entender ou se tivermos o azar da nossa encomenda ser parada.

    Eu já estava há espera que um dia destes esta situação acontecesse, o enorme aumento das compras online está a roubar ao País muitos milhares de € ou mesmo milhões, e sem o pagamento de qualquer imposto posterior, sem a compensação de uma posterior venda aonde essa transacção também teria de pagar impostos, ou seja para concluir , os particulares acabam de ser colocados na mesma cesta que uma empresa, a minha dúvida só se prende na capacidade que as actuais estruturas terão para exercer um controle desta natureza, os dias de compras acima do € 20 está a terminar com o quadro que até hoje conhecemos .

    ResponderEliminar
  17. A minha está "presa" desde o dia 14 deste mês enviada por spain line e estou a contestar a sua apreensão por todos os meios possíveis. Pena que mais ninguém siga o exemplo e emtupa os serviços dos CTT com queixas para que abram os olhos.
    Querem á força toda que o envio de encomendas passe a ser exclusivo pela china post, para que não tenham de perder tempo a alfandegar encomendas, já que a mesma vem co a "papinha feita" e só tem de cobrar...

    ResponderEliminar
  18. Boa Tarde

    Cá estou eu depois de pagar 58€ para puder tirar o telemóvel da alfandega :(( fdp ( ñ é quem trabalha é quem faz as leis).
    Nelson isso é muito bonito mas alem de termos limite para reclamar o produto preso que base legal temos para lhes mandarmos ás trombas e eles ficarem sem argumentos???
    Como disse o Carlos foi bom enquanto durou agora os milhões de euros que não são pagos fazem falta aos corruptos dos políticos e vamos andar aqui uma temporada de pés atados até se arranjar outra forma de fazer envios.

    Cumprimmnetos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aparentemente, já estão a enviar por novo método.

      Eliminar

  19. Boa tarde

    Qual é o novo método?
    Em relação ao meu caso reclamei com a gearbest e eles dizem que me ajudam e dão metade do valor, devo aceitar ou abro uma disputa no paypal?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O método seleccionado é o mesmo, o que mudou foi o "método de transporte" que eles utilizam.
      De qualquer forma, até que fique comprovado, o melhor será optar pelo EU Express, que esse parece não ter sido afectado.

      Eliminar
  20. Mandei vir duad por UE não para por isso a GB tirou espain line e pôs UE line

    ResponderEliminar

[pub]