2018/08/01

França proíbe smartphones e tablets nas escolas para alunos até aos 15 anos


Os sistemas de ensino raramente são rápidos a adoptar as novas tecnologias, mas em França a coisa parece ser ainda pior, proibindo-se a utilização de smartphones e tablets nas escolas por alunos até aos 15 anos.

Quase 90% dos jovens franceses com idades entre os 12 e os 17 anos possuem um smartphone, mas a partir de Setembro terão que deixar os seus smartphones em casa ou desligá-los à entrada da escola. A medida tem sido criticada por ser mera propaganda que não terá qualquer efeito prático efectivo (de notar que desde 2010 que já existe uma lei a proibir a utilização de smartphones durante as aulas) - e para isso também contribuem as inúmeras excepções possíveis que permitem continuar a utilizar estes equipamentos: como a sua utilização para fins pedagógicos, actividades extra-curriculares, ou para alunos com deficiências.

Talvez mais assustador será ver o Ministro da Educação Francês anunciar que esta lei "faz a França avançar para o século XXI"... sendo que provavelmente se terá enganado no século a que se queria referir (talvez o século XIX, provavelmente).

Proibir a utilização do smartphone durante as aulas, excepto em casos em que sejam os professores a pedir aos alunos que o façam, é algo que me parece ser perfeitamente lógico - e para o qual nem deveria ser necessário uma lei a dizê-lo; pois se assim é, já é sinal indicador que existem falhas bastante mais graves e profundas no sistema de ensino! Agora, impedir que um aluno possa usar um smartphone ou um tablet apenas por entrar numa escola; tentando limitar a utilização de uma ferramenta tecnológica que lhes dá acesso ao mundo, com a qual convivem diariamente, e sobre a qual deveriam ser educados a tirar o melhor proveito de uma forma saudável e não excessiva... parece-me ser uma tentativa impraticável de querer fechar os olhos à realidade.

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]