2018/09/13

Brave faz queixa da Google ao abrigo do RGPD


O departamento jurídico da Google não vai ter falta de trabalho nos próximos tempos, agora contando com uma queixa formal ao abrigo do RGPD vinda da empresa que criou o browser Brave.

Os responsáveis pelo Brave, um browser que tem como ponto central proteger os utilizadores do tracking e publicidade, acham que a Google continua a violar o novo Regulamento Geral de Protecção de Dados Europeu e avançam com uma queixa formal.

Embora a Google diga ter feito todas as alterações necessárias para cumprir com o RGPD, o Brave considera que algumas das tecnologias utilizadas no seu sistema de publicidade (mais concretamente o sistema de "real-time bidding") continuam a violar a privacidade dos utilizadores, recolhendo informação suficiente para permitir que sejam discriminados por sexo, etnia, tendências políticas e outros critérios.

É esta recolha de dados excessiva que vai dar origem àquele que poderá ser um dos primeiros grandes casos "RGPD", cujo resultado poderá ter impacto substancial não só para a Google (que se arrisca a poder levar uma multa "bilionária" de 4% da sua facturação anual) mas também para toda a indústria de publicidade online, que até ao momento tem tido toda a liberdade para cometer todo o tipo de abusos sem quaisquer consequências.


... Fico curioso para saber se esta perseguição à recolha excessiva de dados online não poderá ser igualmente aplicada ao mundo real, sabendo-se que a maioria dos centros comerciais e lojas de grandes dimensões também estão a seguir todas as pessoas que lá entram.

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]