2018/11/26

Facebook em apuros após Reino Unido deitar a mão a documentos internos confidenciais


A situação do Facebook acaba de se complicar gravemente, após o governo britânico se ter apoderado de informação confidencial sobre a empresa numa manobra digna dos filmes de espiões.

O Facebook e Mark Zuckerberg têm conseguido esquivar-se a todo o tipo de tentativas que os responsabilizem pelos abusos cometidos, que até ao momento têm resultado apenas no "atirar das culpas" para alguns dos directores abaixo do líder. Mas isso poderá mudar em breve, pois o governo britânico terá conseguido obter documentação confidencial do Facebook que pode deitar por terra a desculpa de Zuckerberg de que tinha total desconhecimento dos abusos que estavam a ser cometidos.

O método como isto foi conseguido é literalmente material para filmes de espiões, já que esta informação foi conseguida através do portátil do fundador de uma empresas chamada Six4Three durante uma visita de trabalho ao Reino Unido. Esta empresa tinha estado em litígio com o Facebook, quando o Facebook acabou por cortar o acesso a dados que originalmente tinha prometido, e em resultado desse processo acabou por ter acesso a informação classificada do Facebook por ordem dos tribunais. O Reino Unido terá aproveitado isso (seguramente não terá sido coincidência) para, de forma algo inesperada e original, exigir que o fundador da empresa disponibilizasse essa documentação.

A informação parece ser suficientemente importante / grave ao ponto de fazer com que o Facebook entrasse novamente em modo de defesa com as tácticas habituais e, curiosamente, apelando a que esta informação não deva ser revelada publicamente, pois continua a ser informação confidencial.

Parece estar o palco para um circo mediático durante as próximas semanas / meses, e onde o Facebook parece estar a meter-se num fosso cada vez mais fundo, de onde provavelmente não conseguirá sair sem que sejam feitas profundas alterações.

1 comentário:

  1. No dia em que o Facebook acabar, será um dia muito feliz para toda a Humanidade.

    ResponderEliminar

[pub]