2018/12/13

Samsung levou Supreme falsa ao palco na apresentação do Galaxy A8s


A equipa de relações públicas da Samsung está a ter um final de ano conturbado, agora envolvendo-se num novo pesadelo publicitário ao se descobrir que a anunciada parceria com a Supreme... era afinal com uma Supreme falsa.

Na apresentação do Galaxy A8s na China - o seu primeiro modelo com o ecrã com furo para a câmara - a Samsung levou ao palco um represente da Supreme, com quem anunciou uma parceria e que, para agrado dos fãs, disse que a popular marca de moda iria também abrir lojas na China em 2019.

Ora, para quem nunca ouviu falar desta marca e tiver Netflix, recomendo que espreitem o episódio do "Patriot Act with Hasan Minhaj" referente à Supreme, que explica muito bem do que se trata. Esta é uma marca que vive exclusivamente à custa do "hype" e do lançamento de pequenas séries de produtos, que habitualmente esgotam imediatamente e depois atingem valores ainda mais absurdos. Seja como for, conseguiu ter um estatuto que lhe permite fazer parcerias com as mais reputadas marcas da moda, e que conta com uma fervorosa legião de fãs.

Por isso mesmo, torna-se ainda mais constrangedor descobrir-se que a Supreme que a Samsung tinha levado ao palco, não foi a Supreme oficial mas sim uma Surpreme "Itália" falsa.


A Samsung já emitiu um comunicado a dizer que está a reavaliar a parceria com "esta" Supreme, enquanto a Supreme oficial já mostrou o seu desagrado com toda esta situação, dizendo que não fez qualquer parceria com a Samsung nem que irá abrir uma loja na China, e que tudo isso está a ser feita por uma empresa falsa que se visa aproveitar da sua fama.


Claro que na Internet não faltam reacções de todos os tipos, desde os que acham a situação bastante cómica, dizendo que é apropriado que a Supreme, que também ganhou fama à custa de copiar designs alheios, esteja agora ela a provar um pouco do seu próprio remédio; e também os que dizem que a parceria com a Samsung continua a ser adequada, por a Samsung também ter copiado o design do iPhone (sim, na Internet nada se esquece). Quer achem isto cómico ou ridículo, o que é certo é que a Samsung deveria ter tido um pouco mais de cuidado ao escolher os parceiros que leva ao palco para um evento mundial.

2 comentários:

  1. A Samsung, que já foi dona e senhora dos smartphones na China, está agora com uma quota de mercado de 1%.

    A Samsung precisava de publicidade. Não há má publicidade ... o que é preciso é que se fale da marca. O que é que interessa se anunciou uma parceria com a a Supreme Supreme ou a Supreme Itália? Falou-se da Samsung, é o que interessa, senão os chineses até se esqueciam que existe.

    ResponderEliminar

[pub]