2019/02/21

Samsung Galaxy Fold chega em Maio por €2000


A par dos Galaxy S10, a Samsung revelou finalmente o seu smartphone com ecrã dobrável Galaxy Fold e, como era de esperar, não vai ficar barato ter a mais recente tecnologia de ecrãs.

O Galaxy Fold vem recheado com tudo "do bom e do melhor" a acompanhar a sua maior característica diferenciadora: o facto de ter um ecrã Infinity Flex dobrável. Este ecrã permite que, no formato de um smartphone, se possa ter acesso a um ecrã Dynamic AMOLED de 7.3" QXGA+ (4.2:3); sendo que para se mexer no smartphone enquanto está fechado, temos um outro ecrã Super AMOLED de 4.6" no exterior com resolução HD+ (21:9).


Nas câmaras, temos três conjuntos: uma câmara frontal de 10MP a acompanhar o ecrã exterior, duas câmaras frontais de 10MP e 8MP para profundidade quando se tem o smartphone aberto, e um conjunto de câmaras triplas na parte traseira (funcionando tanto em modo fechado como aberto) de 16MP ultrawide, 12MP wide, e 12MP telefoto (2x).

Curiosamente, a Samsung não identificou o processador utilizado, dizendo apenas que se trata de um chip octa-core de 7nm (os mais recentes Exynos são de 8nm, e embora o Snapdragon 855 seja de 7nm, seria estranho se fosse esse o caso e a Samsung não o dissesse). Temos ainda 12GB de RAM e 512GB UFS 3.0. A bateria é de 4380mAh, repartida por ambos os lados do Galaxy Fold para manter o equilíbrio. Temos também suporte para carregamento rápido Samsung Adaptive Fast Charging (compatível com Quick Charge 2.), e carregamento wireless com carregamento inverso. O sensor de impressões digitais é um tradicional, montando na parte lateral, e nota-se também a ausência da ficha de 3.5mm para os headphones e slot para cartões microSD (a Samsung diz que não havia espaço para eles - mas pelo menos inclui uns earphones wireless Galaxy Buds).


A Samsung adaptou o Android para tirar o melhor partido deste novo formato, com a app que se estiver a usar no ecrã exterior a transitar automaticamente para o ecrã interior expandido; e com a possibilidade de se ter até três apps em funcionamento simultaneamente para tirar partido da maior área de ecrã.

O mecanismo da dobradiça usa um sistema de engrenagens que promete garantir uma sensação robusta e manter o ecrã perfeitamente esticado, coisa que por agora não é fácil de avaliar nas fotos com o ecrã ligado (a Samsung não nos deixou ver muito de perto este modelo) - mas que se descobrirá em breve. O Galaxy Fold é lançado nos EUA a 26 de Abril, esperando-se que chegue à Europa e a Portugal a 3 de Maio. O preço... uns arredondados 2000 euros!





5 comentários:

  1. Eu acho que as pessoas querem tanto telemóveis dobráveis como queriam televisões 3D... Os ecrãs dobráveis seriam de mais utilidade em acessórios como smartbands.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo. Aliás, nestas coisas de novidades tecnológicas, acho que os fabricantes que tentam estar na ponta não sabem exatamente para onde seguir.
      Têm milhões e milhões para investir em equipamentos que à partida parece que serão o último grito e a tendência a seguir, mas depois, "vai-se a espremer" e o que sai dali é uma mão cheia de fúteis vaidades.

      Eliminar
    2. E não se esqueça das "resoluções 4K" das TVs quando não há conteúdos suficientes no Mercado.

      Eliminar
  2. Mais: habituaram-nos a smartphones de 7-8mm de espessura. Alguém vai achar prático um "tijolo" de 13-15mm de espessura?!

    ResponderEliminar

[pub]