2019/03/30

Caso de swatting fatal resulta em 20 anos de cadeia


O trágico incidente de swatting que no final de 2017 resultou na morte de uma pessoa que nem tinha nada a ver com o assunto, resultou numa pena de 20 anos de cadeia pela "brincadeira".

O swatting consiste em chamar a força especial de polícia com denúncias falsas, por norma com o o objectivo de "interferir" com streamers que estão a transmitir jogos de computador em directo; e que desta vez foi causada por uma disputa entre dois jogadores por causa de uma aposta de 1.50 dólares.

Por causa disso o indivíduo telefonou para a polícia inventando um caso de uma pessoa armada que tinha disparado sobre o pai; mas dando uma morada desactualizada da vítima pretendida. Quando a polícia lá chegou, em modo de alerta, acabou por abater uma pessoa que nada tinha a ver com o assunto.

A questão é que este Tyler Barriss é um indivíduo que já tinha um longo historial de denúncias falsas de swatting, e até de uma ameaça de bomba feita à FCC, e tudo isso terá contribuído para a pena de 20 anos de cadeia que agora recebeu - e que lhe permitirá passar muito tempo a reflectir nas suas acções. Imagine-se só: destroçar uma família com uma morte absurda, devido a uma estupidez de uma aposta num jogo. Por mim, acho que 20 anos até foram poucos, tendo em conta o seu histórico...

4 comentários:

  1. E a policia chega lá e abate e pronto ???

    ResponderEliminar
  2. "Imagine-se só: destroçar uma família com uma morte absurda, devido a uma estupidez de uma aposta num jogo. Por mim, acho que 20 anos até foram poucos, tendo em conta o seu histórico"

    Na verdade quem destruiu a família foi a policia que agiu sem confirmar

    ResponderEliminar
  3. "Fica por explicar porque motivo a polícia terá atirado logo a matar assim que a pessoa abriu a porta e sem qualquer verificação adicional do suposto relato de crimes violentos..."

    A explicação é simples e só não vê quem não quer...

    ResponderEliminar

[pub]