2019/04/07

Bateria de lítio revolucionária da Innolith tem 4x a densidade energética das actuais


O mundo pode estar prestes a dar um passo de gigante na utilização da energia eléctrica, caso a Innolith demonstre que a sua tecnologia de baterias de lítio de alta-densidade é real.

Todos sabemos que as baterias têm sido o travão da evolução tecnológica. Tanto nos equipamentos móveis como nos veículos eléctricos, as baterias são o elemento crítico que limita tudo o resto que se pode fazer, e que na prática se resume à densidade de energia que conseguem armazenar. Agora, temos uma empresa suiça - a Innolith - que promete a revolução que há muito se deseja.

A Innolith diz ter criado a primeira bateria Li-ion de 1000 Wh/kg. Para se ter uma ideia do que isto representa, bastará referir que as baterias da Tesla, consideradas de referência, têm uma densidade de 250 Wh/kg, que a empresa acredita no futuro conseguir fazer chegar até aos 330 Wh/kg. Ou seja, a Innolith diz ter algo que é quatro vezes melhor do que o que de melhor há no mercado no momento, e três vezes melhor do que aquilo que a Tesla espera alcançar no futuro. Esta bateria de 1000 Wh/kg, a concretizar-se, supera até os programas experimentais de incentivo à criação de baterias, que têm estado a colocar um objectivo "optimista" de 500 Wh/kg. (Permite até começar a pensar-se a sério nos aviões comerciais eléctricos.)

Curiosamente, estas baterias não são as também muito procuradas baterias "secas" de lítio, mas trocam componentes orgânicos por inorgânicos, o que para além de lhe darem esta extraordinária densidade energética também fazem com que as baterias deixem de ter o risco de explosão ou incêndio.

Neste momento as baterias estão a ser testadas por uma empresa de energia nos EUA, mas mesmo que as promessas se venham a comprovar, ainda teremos que esperar entre 3 a 5 anos antes que fiquem disponíveis comercialmente. Quando tal acontecer, estão a imaginar que, de um dia para o outro, um carro eléctrico que tivesse uma autonomia de apenas 250 km passará a ter uma de 1000 km, ou que um smartwatch que durava apenas 2 dias pode passar a aguentar-se uma semana?

Venham de lá estas baterias - e esperemos que sejam mesmo tão boas quanto dizem ser.

3 comentários:

  1. Carlos as baterias que são usadas nos csrrca da tesla não são da Panasonic ???

    ResponderEliminar
  2. Depois é ver se é possível fazer produção em grande escala dessas baterias.

    ResponderEliminar

[pub]