2019/05/07

Dropbox cria "Cold Storage" para reduzir custos nos dados acedidos com pouca frequência


Para uma empresa como a Dropbox os custos estão directamente relacionados com a quantidade de servidores e capacidade de armazenamento necessárias para guardar os dados dos seus clientes, motivo pelo qual todas as técnicas para reduzir custos são bem vindas, resultando neste Cold Storage.

Há cerca de um ano vimos a Dropbox implementar o Magic Pocket, tirando partido dos drives SMR para obter uma maior densidade de dados armazenados e contornando o "problema" das escritas substancialmente mais lentas. Desta vez, há uma nova evolução, optimizada para lidar com os dados que raramente serão acedidos.

O Cold Storage da Dropbox não funciona como um "cold storage" tradicional, em que os dados são transferidos para sistemas com custo de armazenamento mais reduzido (como fita magnética) à custa de um tempo de acesso substancialmente superior, já que era necessário manter os dados acessíveis de forma "imediata" para os utilizadores. O problema é que, por outro lado, não fazia sentido manter os dados todos disponíveis com o mesmo grau de celeridade, quando 70% dos dados acedidos são os que foram enviados para o serviço no último mês - ou, posto de outra forma, temos 30% dos dados que nem sequer irão ser tocados nesse período.

O "truque" passou portanto em passar esses dados de um armazenamento local imediato para uma espécie de RAID 5 distribuído entre as diversas regiões dos servidores do Dropbox. Existe uma latência mais elevada para reconstruir os dados caso sejam necessários, mas que não será perceptível para efeitos do utilização normal - e como benefício, a Dropbox consegue poupar 25% da capacidade de armazenamento usando um conjunto de três regiões (ou 33% se usar quatro).


Só é pena que, com tanta atenção e recursos atribuídos a estas questões, a Dropbox pareça continuar completamente alheia à necessidade de oferecer uma opção paga mais acessível (sendo que a modalidade gratuita recentemente ficou limitada a 3 equipamentos)! Actualmente a versão base começa logo nos €99/ano por 1TB, e sem as funcionalidades mais interessantes (como o Smart Sync) que só ficam disponíveis na modalidade de €199/ano! Custaria assim tanto disponibilizar uma modalidade com 100 ou 200GB a um preço mais acessível? Desde o lançamento do Dropbox que estou disposto a ser um cliente pagador pelo serviço, nem que fosse como forma de o apoiar por achar que era um serviço super-interessante. E desde esse dia que fico frustrado por não ter uma modalidade que se enquadre no que estaria disposto a pagar. O Google Drive e OneDrive agradecem...

3 comentários:

  1. Podem sempre escolher a Wasabi para depositar ficheiros. Fica a 5.99 dólares americanos o TB por mês.

    ResponderEliminar
  2. E se for para backups, o Backblaze dá espaço *verdadeiramente* ilimitado por $60/ano.

    ResponderEliminar

[pub]