2019/06/01

Estás disposto a comprar um carro que não tenha actualizações garantidas?


Os automóveis têm-se tornado autênticos "computadores sobre rodas", e se assim é, não começará a fazer sentido ter em conta que tipo de actualizações terão a médio e longo prazo?

Conseguem imaginar-se a utilizar um smartphone com 7 ou 8 anos de idade? Provavelmente não, mas no que diz respeito aos automóveis não terão outro remédio senão continuar a lidar com o mesmo sistema que veio instalado de origem, com mapas completamente desactualizados, e tudo o mais que isso implica (bugs e vulnerabilidades que nunca foram corrigidos, etc.)

A Tesla é muitas vezes criticada por (ainda) não oferecer o nível de qualidade nos materiais e acabamentos que os fabricantes europeus; mas a nível de software está a anos-luz de toda a concorrência. Temos actualizações constantes com melhorias de software - que em muitos casos resultam em melhorias na própria condução - e, mesmo se algumas pessoas também possam criticar a ausência de botões físicos na consola (na prática todos os botões essenciais de uso frequente estão no próprio volante) e a dependência no seu touchscreen principal, a verdade é que bastará uns minutos a mexer nesse mesmo ecrã para se começar a perguntar: "o é que todos os outros fabricantes andaram a fazer estes anos todos?"

Há marcas que - finalmente - começam a dar mais valor aos seus interfaces e ao funcionamento fluido que replica uma experiência estilo Tesla; mas a grande questão continua a ser que isso está a ser feito hoje, e provavelmente será verdade por alguns meses ou até 1 ano... mas será que daqui por 4, 6 ou 8 anos, veremos essas marcas manterem actualizados estes seus modelos e a trazer-lhe melhorias regulares? Duvido seriamente.

Seria interessante imaginar um futuro onde, ao estilo do mercado dos PCs, se pudessem ter um sistema base standard, que ao longo do tempo pudesse ser actualizado tanto a nível de software como de hardware. Mas, conhecendo-se o panorama automóvel, será muito difícil que tal pudesse vir a acontecer. A única marca que parece aproximar-se mais disso tem sido a Tesla (ao ponto de até actualizar o hardware do Autopilot)... e vai ser interessante ver como todas as restantes marcas se irão comportar a esse nível nos anos que se seguem.

1 comentário:

  1. As marcas de automóveis tradicionais não têm outra hipótese senão manter os seus veículos atualizados, caso isso não aconteça irão perder a sua vantagem que têm hoje.

    ResponderEliminar

[pub]