2019/06/24

Mercedes com mais automóveis afectados pelo Dieselgate


A Mercedes vai ter que chamar mais 60 mil veículos às oficinas por causa de mais uma "batota" para esconder as emissões (diselgate), mas que poderá vir a multiplicar-se ainda mais no futuro se se confirmarem as suspeitas das autoridades rodoviárias germânicas.

Foi descoberto uma função no Mercedes GLK 220 que atrasava o aquecimento do óleo do motor e mantinha o circuito de arrefecimento numa temperatura mais reduzida, de modo a fazer com que durante o processo do teste de emissões não fosse ultrapassado o valor limite de 180 mg/km de óxidos de azoto (NOx). No entanto, quando o veículo estiver a circular na estrada, o motor irá fazer o aquecimento normal e emitir valores bastante superiores durante a sua utilização.

São cerca de 60 mil os veículos afectados desde já, que se juntam aos mais de 700 mil que já tinham sido apanhados anteriormente, e que afectam praticamente modelos de todas as gamas da marca.

É vergonhoso que escândalos como estes, da VW, Mercedes, e demais marcas que sejam apanhadas com este tipo de batota, não dêem lugar a sanções exemplares que mostrem de uma vez por todas que não se pode tolerar este tipo de comportamento. Estes fabricantes andaram a por em risco o futuro de todo o planeta, e não foi por desconhecimento ou por acidente, foi mesmo de forma de forma deliberadamente calculada para enganar tudo e todos. (E nem vamos falar dos estudos encomendados para fazerem passar a ideia de que os automóveis eléctricos acabam por ser mais poluentes que os motores a combustão...)

7 comentários:

  1. Carlos não e vergonhoso e simplesmente a realidade pura e dura! Uma coisa e decidir na secretaria em Bruxelas que a partir de uma certa altura as emissões tem que ser até um limite e outra coisa são as soluções de ponto de vista da engenharia para conseguir o tal efeito.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estou de acordo com o Carlos, eles tem regras a cumprir e senão as cumprem, devem de ser punidos, senão forem punidos, vão continuar a enganar meio mundo...os motores 2.1L CDI I4
      3.0L CDI V6 já são por si só poluidores, então na realidade são umas autenticas chaminés...

      Eliminar
  2. Acho que o titulo mais correcto seria: Mercedes com mais automóveis apanhados no "Dieselgate".

    ResponderEliminar
  3. Sou (pequeno) agricultor nas horas vagas e sei muito bem que a agricultura e a pecuária intensiva são mais prejudiciais ao clima do planeta do que mais de metade de todas as outras atividades humanas juntas, pelo que estar a colocar o veículo automóvel como culpado de todos os problemas relacionados com o clima não será solução.

    Os automóveis pessoais com motor a combustão de maior cilindrada deveriam ser erradicados do mercado, pois são esses os mais problemáticos e aqueles que levaram os construtores a decidir enganar o sistema, mas mesmo assim, ainda teremos que olhar para o negócio dos cruzeiros, das viagens turísticas de avião e até o negócio da restauração como outros elementos a necessitar de muito mais atenção nessa senda pelo planeta limpo e com condições de habitabilidade.

    Os hábitos (luxuosos) dos seres humanos e não as atividades básicas de suporte à vida é que são o problema.

    Até nós (os amantes da tecnologia) deveríamos colocar a "mão na consciência" e questionar a nossa forma de consumir tecnologia.

    Seremos nós próprios parte da solução ou antes parte do problema?

    ResponderEliminar
  4. Se descobrissem isso num pequeno construtor não alemão, tipo a UMM (caso fosse viva) tratavam de forma exemplar e o mais certo era acabarem com a marca.
    Mas como são as marcas líderes de vendas europeias, lá se vai fechando os olhos...

    ResponderEliminar
  5. Pior ainda que essas aldrabices descobertas, só mesmo a estupidez de tantos e tantos consumidores que, tendo conhecimento delas, continuam a comprar a essas marcas, e ainda por cima novamente veículos a combustão...

    ResponderEliminar

[pub]