2019/06/22

Naves com motor a fusão poderão voar já na próxima década


Independentemente do motor EmDrive se concretizar ou não, há cientistas que dizem que poderemos ter naves espaciais alimentadas a fusão nuclear já na próxima década.

Há décadas que a comunidade científica tem tentado criar um gerador de fusão (não confundir com as actuais centrais nucleares a fissão), e que representarão o maior salto energético na nossa História, permitindo-nos aproveitar a energia da forma mais eficiente possível - da mesma forma que as estrelas a produzem. Embora até ao momento ainda não se tenha conseguido criar um gerador de fusão auto-sustentável, há quem diga que daqui por 10 anos já poderemos ter alguns a seguir em direcção a outros planetas do sistema solar.

A fonte de energia é o elemento fundamental para qualquer dispositivo que se envie da Terra e tenha que passar anos ou décadas sem hipótese de ser reabastecido; e tudo o resto é criado em torno dos seus requisitos e limitações; não podemos ter demasiados equipamentos, ou equipamentos que gastem demasiada energia. Mas, com uma central de fusão compacta a bordo de uma nave espacial, não só seria possível reduzir o tempo de viagem até outros planetas para cerca de metade do tempo actual, como seria possível carregá-las com instrumentos muito mais poderosos, sem (tantos) constrangimentos do nível de energia que necessitam.

Claro que, se tivermos fontes de energia a fusão capazes de serem enviadas para o espaço, será também sinal que as teremos para usar cá na Terra - e bem necessárias serão para ajudar a acelerar o encerramento de todas as centrais a combustíveis fósseis, e a transição para energias limpas.

1 comentário:

  1. Será sem dúvida um momento histórico, já estivemos mais longe, é uma matéria que acompanho de muito perto.

    ResponderEliminar

[pub]