2019/07/07

Boeing 737 Max enfrenta novo problema - agora no piloto automático


A Boeing vai precisar habituar-se a ter os seus aviões estacionados nos parques automóveis, pois os problemas nos 737 Max parecem surgir de todos os lados para onde se olhe - agora com a Europa a ter descoberta nova falha, desta vez relacionada com o piloto automático.

As dores de cabeça da Boeing não param de aumentar. Depois da falha que terá estado na origem de várias quedas e morte de centenas de pessoas, e de outra falha que irá prolongar a estadia em terra dos Boeing 737 Max, temos agora uma nova falha relacionada com o piloto automático que pode fazer com que o mesmo não consiga ser desactivado em situações de emergência.

Embora não tenham sido dados detalhes mais concretos sobre a falha, será garantido que isto representa mais um atraso para que a Boeing volte a colocar os seus aviões no ar, aumentando os milhões em prejuízos que estará a acumular. Imagino as discussões diárias na Boeing com clientes que estão impossibilitados de usar as suas frotas de aviões - e sem que ainda haja sequer uma estimativa para que possam voltar a voar (e nem vamos falar de novos problemas que venham a ser descobertos ao longo das próximas semanas / meses.)

Também a complicar a vida da Boeing está o alargamento das investigações ao Boeing 787 Dreamliner. É que, se assumirmos que estas falhas estão relacionadas com os relatos que indicam que o desenvolvimento do software na Boeing têm sido feito sem qualquer preocupação com a segurança e apenas com a ideia da redução de custos, é bem provável que falhas como as que estão a ser descobertas no 737 Max estejam também presentes noutros dos seus modelos.

... Não vai ser fácil para a Boeing recuperar deste episódio...

2 comentários:

  1. A conivência completa entre a Boeing e o órgão regulador Americano ( faa ) acaba por dar nisto, aliás o regulador só o era em nome, porque na verdade era como se fossem 2 entidades una.

    Os problemas com a produção do 787 não se ficam só pelos problemas das baterias ou com os problemas com os motores, as aeronaves produzidas na fábrica de Georgetown têm apresentado problemas de construção e até restos de peças ou mesmo peças completas usados na construção que podem causar roturas ou curto circuitos, estes problemas têm levado algumas companhias aéreas a recusar aeronaves construídas naquela unidade fabril, a FAA já está também a investigar estas alegações, muita coisa vai ter de mudar na Boeing que tem usado o vale tudo para competir com a Airbus.

    ResponderEliminar
  2. Todos os fabricantes têm problemas.
    Mas sem dúvida que a Boeing está muito mal vista nomeadamente por andar a utilizar contratações em países externos para fazer a programação dos seus sistemas só por uma questão de preços... como se os seus aviões fossem ser mais baratos por causa disso... e depois admiram-se quando o barato sai caro.
    A FAA parece ser uma entidade inútil que se limita a dizer que sim a tudo o que o fabricante quiser meter no mercado, existindo até denuncias de funcionários que as chefias os pressionam ao máximo para que eles não se metam no caminho dos negócios (ou seja para facilitarem em tudo mesmo que não estejam confiantes no que estão a aprovar). Isso em si deveria dar penas de prisão tão elevadas que os próximos chefes pensassem bem se queriam ir também passar umas décadas na prisão por causa da ganância empresarial.

    ResponderEliminar

[pub]