2019/07/07

China espia smartphones de turistas em Xinjiang


Turistas que visitem a região de Xinjiang na China arriscam-se a ter que desbloquear os seus smartphones para que as autoridades chinesas corram um software de "espionagem" para saber se por lá se encontra algum tipo de conteúdo indesejado.

O software, que por vezes permanece "esquecido" nos smartphones dos visados, permite que as autoridades copiem todas as mensagens dos visados e pesquisem ficheiros e outros conteúdos. Sendo uma forma de controlo adicional nesta região particularmente "sensível" na China, com uma população numerosa de muçulmanos, com os Uighur a estarem constantemente sob vigilância e até sujeitos a "centros de reeducação".

São situações preocupantes, que nos relembram que os nossos úteis e versáteis smartphones também, de um momento para o outro, serem utilizados contra os próprios utilizadores. Afinal, não há muita diferença entre instalar um software que se limita a copiar mensagens e fazer uma pesquisa, e outros que fique escondido e permaneça espiar o dispositivo a tempo inteiro de aí em diante. E antes que se pense que isto é algo que apenas é possível na China, é preciso não esquecer que turistas que visitem os EUA se podem ver exactamente na mesma situação.

Começa a tornar-se indispensável que os smartphones passem a contar com uma segmentação diferente, em que o simples acto de desbloquear o smartphone permita apenas o acesso a informação "pública", mas seja possível manter outra zona dedicada a apps e informação encriptada acessível apenas mediante desbloqueio adicional (ao estilo do que a Samsung tem feito com o Knox, por exemplo).  Ou então, para casos ainda mais específicos, que se possa criar um ambiente virtual isolado, com todo o tipo de mensagens e contas de rede sociais temporárias, que se possa desbloquear para este tipo de situação, já assumindo que irá ser investigado e espiado.

É triste ter que se chegar a este tipo de situações...

3 comentários:

  1. Gosto da ideia da criação de um ambiente virtual.

    ResponderEliminar
  2. Mais vale aceitar a realidade... se vai viajar não leve o seu smartphone habitual, compre um só para as viagens... e se de alguma forma insinuarem que sabem que esse não será o smartphone habitual a explicação é simples: por causa dos furtos/ roubos (onde se inclui os cometidos pelas autoridades de cada país). E claro, depois de cada viagem incinerar cada um desses dispositivos... deve fazer parte do cálculo dos custos de cada viagem... se não pode evitar ser espiado, nem pode dar nas vistas sendo diferente dos outros com algum dispositivo não atacável.... então usa algo para os deixar felizes e parte do princípio que foi atacado quer tenha cedido o smartphone a terceiros ou não (ataques remotos são perfeitamente realizáveis em imensos casos).

    ResponderEliminar

[pub]