2019/07/04

Datas para renovação do Cartão de Cidadão


Em Portugal temos assistido à vergonhosa situação das marcações para a renovação do cartão de cidadão, que nalguns casos podem ser de quase cinco meses. Mas agora surgiu um site que auxilia os portugueses no processo de descobrirem um local onde o possam fazer mais rapidamente.

O mais caricato é que o site nasceu - ao melhor estilo das ideias de Elon Musk - de um momento de aborrecimento do nosso bem conhecido João Pina (criador do Fogos.pt), com a ajuda de Cláudio Franco.



E assim, literalmente de um dia para o outro, os portugueses podem agora aceder a este cc.lvn.pt para, de forma fácil e imediata, poderem ver quais as datas possíveis para a marcação da renovação do Cartão de Cidadão nos diversos locais.


Ordenando os locais por datas, podemos ver que diversos sítios em Lisboa e Gaia só têm marcações para Novembro(!); mas, pelo outro lado, há também sítio onde se pode fazer marcação já para amanhã... desde que estejam dispostos a dar um salto a Bragança, Guarda, Chaves ou Viseu.


Mais uma vez fica a pergunta. Estando estes dados acessíveis, porque é que não temos um site oficial que apresente esta informação de forma útil para os cidadãos, sem que se tenha que ficar dependente da boa vontade e esforço de um par de cidadãos preocupados? No mínimo - e para evitar que um site como este, feito em poucas horas, se tornasse num projecto oficial que custasse milhões de euros e demorasse anos a ser concluído, que tal disponibilizar uma plataforma aberta que servisse para alojar este tipo de ferramentas criadas pelos cidadãos? (E nem vou abordar a questão de dizer que mereciam uma justa compensação pelo seu trabalho...)


P.S. Isto sem desculpar a questão de que deveria ser feita uma análise bem urgente para os motivos que levam a que se possa ter que esperar 6 meses para renovar o CC. É sinal flagrante de algo está muito mal e deveria ser rectificado quanto antes.

12 comentários:

  1. Este país pacóvio onde o estado teima em nos tratar como carne para canhão em tantas áreas,sonegando informação, por simples incompetência dos boys...com total impunidade, demorará, pelo menos, uma a duas gerações a chegar lá ( tenho uma ação em tribunal, em que o estado me sonegou informação, e diz que me "acomodei" à situação). Pqop!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito orgulho nos trabalhos desenvolvidos pelo Tomahock e amigos. Bem haja.

      Eliminar
  2. Aguardemos para ver quanto tempo irá estar disponível para consulta o json dos resultados... como o site não foi desenvolvido por uma entidade "oficial" vão já arranjar maneira de deitar "abaixo"

    ResponderEliminar
  3. Experimentem ir ao site do agendamento do CC, que a informação está toda lá.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Confirmo, o pessoal é que gosta de complicar e dizer mal de tudo e mais alguma coisa!

      Eliminar
    2. Está lá toda, mas tens primeiro que seleccionar o distrito e concelho. Dessa forma não vez que se calhar no concelho ao lado podes poupar alguns meses, a não ser que andes a pesquisar "um por um".
      Era o que dizia: a informação está lá, só falta apresentá-la de forma mais útil.

      Eliminar
  4. A razão é incompetência gritante. Veja-se também o caso das receitas electrónicas, uma mudança que supostamente devia ter simplificado as coisas e acabado com o papel mas que continua tudo igual. As pessoas têm de andar com receitas em papel para saberem que medicamentos já foram levantados, ainda não encontrei uma farmácia que aceitasse vender os medicamentos apenas com autenticação pelo cartão de cidadão e a app de telemóvel cuja principal função deveria ser a de ver os medicamentos que ainda faltam levantar está há anos cheia de bugs e nunca chegou a funcionar como deve ser.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A isto ainda se junta o facto de as pessoas terem de faltar ao emprego para ir ao centro de saúde pedir receitas para medicação crónica e o médico ter de perder tempo a passá-las. Porque raio não existe já um sistema automático que dispense medicação crónica de x em x meses? Isto pouparia tempo, recursos e dinheiro tanto aos utentes como ao ministério da saúde.

      Eliminar
  5. No portal de saúde é possível solicitar as receitas de doenças crónicas.

    O problema é que quando fazes o pedido online não especificam que este serviço tem uma taxa moderadora de 2,50€ e nem te dão a opção para pagares por via electrónica (ex. MB, cartão de crédito, etc.), ou seja terás sempre de deslocar para fazer o pagamento no centro de saúde!

    Conclusão, fiz o pedido online, a médida tardou mais de 1 semana em aprovar a receita, e assim que foi aprovado tinha a receita disponível na aplicação MySNS e fui a farmácia.

    O problema veio passado 2 semanas quando recebo uma carta do centro de saúde a dizer que tinha de pagar a tal taxa moderadora de 2,50€ no prazo de 30 dias ou se não seria encaminhado o processo para cobranças coercivas das finanças e com todas as consequências que isso implica!

    Um serviço que deveria de simplificar e evitar as deslocações ao centro de saúde, com as consequências de ter de me ausentar do trabalho e custos de transporte, acabou por complicar ainda mais porque vou ter de ir ao centro de saúde na mesma fazer o pagamento da tal "consulta não presencial".

    Isto é uma pequena amostra do estado da saúde neste pais, e depois vem o governo e diz que está tudo bem... Tirem as vossas próprias conclusões.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nunca consegui pedir online porque supostamente o meu centro de saúde não suporta esse serviço (que vejo pelo seu comentário que também não adianta muito....). Não faz sentido nenhum as pessoas terem de se deslocar só para deixar um papelinho com o nome dos medicamentos que precisam. Se não têm um sistema informático em condições pelo menos que aceitassem pedidos por email ou telefone, mas no meu centro de saúde nem isso.

      Eliminar
  6. Acabei de ler agora no jornal que vão mandar um SMS a avisar que o cartão de cidadão vai caducar e que basta fazer um pagamento com um código multibanco para renovar. Ideia genial! Preparem-se para as fraudes aos velhotes com SMS falsos

    ResponderEliminar
  7. Para acederem à receita electrónica as farmácias precisam do número da receita e de um código de acesso (e aos códigos de direito de opção, nalguns casos). Através do CC é possível aceder à receitas, mas é necessário um código que é específico de cada uma. Em todo o caso, deste que disponha dos códigos as farmácias não se podem negar a fazer a dispensa.Até receitas com os dados escritos num guardanapo já dispensei.

    ResponderEliminar

[pub]