2019/07/05

Europa retrocede no WiFi e opta pelo 5G para os automóveis


Os deputados Europeus deixaram-se seduzir pelas promessas do 5G (e fortes esforços dos lobby) para o futuro das comunicações entre automóveis, revertendo as indicações de Abril de que iriam apoiar a proposta de utilizar WiFi.

A guerra de "formatos" parece ser uma constante desde sempre (Beta vs VHS, Blu-ray vs HD-DVD, carregamentos wireless Qi vs PMA, etc. etc.) Para os automóveis a história repetia-se, com um grupo a promover a utilização de tecnologia baseada em WiFi para as comunicações, tecnologia disponível e que dispensaria pagamentos adicionais, e outros a promover o 5G, ainda inexistente e que será acompanhado de mais mensalidades para manter.

Em Abril a UE tinha dado indicações de que iria optar pelo sistema WiFi promovido por marcas como VW, Renault e Toyota; mas agora dá uma volta de 180º, dizendo que afinal irá optar pelo 5G, promovido pela BMW, Daimler, Qualcomm, grupo PSA, Deutsche Telekom, Ericsson, Huawei, Intel e Samsung. Não será surpresa ver as empresas mais ligadas ao 5G a lutar por esta solução, mas o facto de por lá encontrarmos também alguns operadores já será sinal que recomenda bastante cautela aos consumidores.

Não digo que o 5G não venha a ser mesmo a melhor solução a longo prazo, mas fico preocupado em ver os nossos euro-representantes mudarem radicalmente de opinião em apenas três meses, sem darem qualquer explicação para isso, e aparentemente sem grandes preocupações em clarificar a questão do WiFi gratuito versus o 5G a pagar. Será que nas recomendações irá ficar registado que terão que ser os fabricantes a suportar os custos das comunicações 5G? Ou já terão feito o acordo de que será mais uma mensalidade que os futuros compradores terão que sustentar mesmo que tenham o carro parado na garagem?

4 comentários:

  1. Sr. Carlos, a pagar é sempre melhor, movimenta mais dinheiro e mexe com a economia, dá mais lucro às empresas, enche os bolsos dos envolvidos CEO's e eurodeputados, mantém o equilíbrio atual entre projetos milionários e comunitários não deixando as melhores ideias saírem do poço e incentiva a atual economia corrupta.
    Aquilo que é oferta traz sempre água no bico sabedoria dos eurodeputados, é claro que mudaram de ideia e as provas da má escolha de certeza que desta vez foram para o lixo e não para a gaveta. Continuem a votar em PS/D!

    ResponderEliminar
  2. As tecnologias da informação cada vez mais ao serviço dos grandes, ricos e poderosos. :(

    ResponderEliminar
  3. Mais atenção à informação: tanto quanto indica a noítica da fonte, a (aparente) rejeição foi por parte do Conselho e não do Parlamento, pelo que não faz sentido invocar os deputados. Os "euro-representantes" (seja lá isso o que for) neste caso são os governos.

    ResponderEliminar

[pub]