2019/08/23

Apple pode usar ecrãs OLED da BOE nos iPhones de 2020


A Apple poderá livrar-se da sua dependência na Samsung para os ecrãs dos iPhones já no próximo ano, estando em fase de testes para utilizar ecrãs OLED produzidos pela empresa chinesa BOE.

Embora tecnicamente tenham feito as pazes, é certo e sabido que as relações entre a Apple e Samsung estão constantemente no fio da navalha. Mesmo sendo rivais e entrando frequentemente em litígio, a Apple continua a precisar da Samsung como fornecedor para diversos componentes críticos - como os ecrãs OLED - e a Samsung também não pode recusar um cliente que, em 2017, era responsável por 35%(!) das suas receitas em componentes.

Mas se nas memórias flash e RAM a Apple ainda poderá encontrar alternativas, nos ecrãs OLED a coisa tem sido mais complicada. Mesmo com a LG a ter tentado acelerar a produção de ecrãs OLED para smartphones, as primeiras séries (utilizadas nos Pixel da Google) sofriam de problemas de qualidade - e bem se pode imaginar o "escândalo" que seria isso acontecer com iPhones da Apple. Isso fez com que as encomendas à LG continuem a ser pouco significativas face à Samsung, mas no próximo ano tudo pode mudar com a entrada em cena da chinesa BOE.

A Apple está em processo de testar os ecrãs OLED da BOE, que serão 20% mais baratos que os da Samsung, e permitiria o diversificar de fornecedores que a Apple há muito procura para os ecrãs dos iPhones. Por outro lado, o facto de se tratar de uma empresa chinesa pode revelar-se complicado na actual situação de guerra comercial entre EUA e China, já que a qualquer momento a BOE pode ser impedida de aceder a componentes dos EUA, o que teria efeitos catastróficos para a sua produção e todos os clientes que dela dependessem.

2 comentários:

  1. Porquê a BOE iria querer aceder a componentes dos EUA?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Porque para a produção dos ecrãs são usados componentes da Corning, 3M e Applied Materials - tudo empresas norte-americanas.

      Eliminar

[pub]