2019/09/19

Smarwatches Fossil "Diana" aplicam ecrãs e-Ink ao Wear OS?

A Fossil parece estar prestes a revelar novidades nos smarwatches, com a sua série "Diana", que combina elementos digitais e analógicos (di+ana), e poderá dar ao Wear OS aquilo que há muito é pedido pelos utilizadores: autonomia para várias semanas.

O panorama entre os smartwatches Wear OS não tem estado famoso, com a maioria dos fabricantes a abandonar a plataforma e a optar por soluções próprias (como a Huawei fez no seu Watch GT), deixando a Fossil como uma das "resistentes" que continua a apostar no sistema da Google.

Em breve poderemos ver o resultado desse empenho, com a chegada de uma nova série de smartwatches Wear OS da série Diana da Fossil, que combinam elementos mecânicos como os ponteiros do relógio, com ecrãs digitais, tecnologia que tinha sido originalmente desenvolvida pela Misfit, e que foi comprada pela Fossil em 2015.

Pelo menos alguns dos models vão contar com ecrãs e-Ink (mas sem capacidade touch), com a interacção a ser feita através dos botões laterais; e que ajudarão a nível de manter a informação sempre visível sem necessidade de gastar demasiada energia. Algo que será comprovado pela autonomia indicada de 2 a 4 semanas, dependendo do uso. E ainda assim mantendo um preço que se pode considerar aceitável, na casa dos 200 euros.

É de esperar que algumas destas novidades sejam referidas no evento de apresentação do Pixel 4 da Google - já que por agora parece que ainda não teremos um Pixel watch a servir de incentivo para a plataforma Wear OS.

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]