2019/10/05

NASA vai tentar desencravar sonda em Marte com braço robot


A sonda térmica da InSight em Marte tem estado encravada desde o final de Fevereiro, mas a NASA vai agora tentar uma manobra arriscada, usando um braço robótico para a tentar desencravar.

A sonda de temperatura tinha como objectivo perfurar o solo marciano até 5 metros de profundidade, mas as expectativas foram frustradas, com a sonda a ficar encravada logo aos 35cm de profundidade - e assim tem permanecido há cerca de 9 meses. O tipo de solo - que não era o esperado - está a complicar a vida aos cientistas da NASA, que agora vão tentar tácticas mais radicais.


Suspeitando que o problema possa estar relacionado com "falta de tracção", a NASA vai usar o braço robótico da InSight para empurrar a sonda contra um dos lados do buraco, esperando que a pressão adicional lhe dê a ajuda suficiente para conseguir voltar a penetrar no solo. No entanto, a equipa está consciente que o braço robótico não foi concebido para este tipo de actividade, e terá que fazer pressão para além daquilo que seria suposto fazer.

A sonda usa um mecanismo similar a um martelo pneumático, e se não tiver fricção suficiente do solo em seu redor no próprio furo que está a escavar, começa a "saltar" sem aprofundar o buraco. Durante os últimos meses já tentaram usar o braço para "compactar" a terra em redor da sonda, mas o braço não consegue fazer a pressão necessária para ter o efeito desejado.

Se a nova táctica do braço falhar, a outra hipótese que está a ser contemplada é a de usar o braço robot para tentar preencher o furo com mais terra. Vamos esperar que de uma forma ou de outra, a sonda lá consiga seguir o seu caminho até à profundidade pretendida.

10 comentários:

  1. Carlos, já começa a custar um pouco ler os textos deste blogue com tantos erros ortográficos... :(

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se os indicares terei todo o gosto em corrigi-los. Escrever a altas horas da madrugada tem os seus efeitos secundários.

      Eliminar
    2. Carlos, desde 2012 que, quem escreve segundo a norma ortográfica de 1945 está a escrever com erros ortográficos.

      Certamente que sendo pai, terás a oportunidade de verificar isso em primeira mão.

      Está mais do que na altura deste excelente blogue dar esse salto qualitativo.

      https://www.cmjornal.pt/tv-media/detalhe/publicacoes-da-cofina-aderem-ao-novo-acordo-ortografico

      Eliminar
    3. Eu não dou das pessoas que nunca digo "nunca", pelo que não me choca nada admitir que no futuro talvez venha a adoPtar o novo AO. Mas, não é algo que tenha pressa, nem vontade de fazer.

      Deixa ver o que resulta do torcer do nariz de Angola e Moçambique...

      Eliminar
    4. P.S. Segundo o artigo acima indicado:
      "Em Portugal, a moratória sobre a aplicação do novo acordo, de 1990, terminou a 13 de maio de 2015, data a partir da qual a sua utilização passou a ser obrigatória."

      Portanto, só a partir de 2015 é que podes considerar "erros". :)

      Eliminar
    5. Registado.

      Temos então o blogue pejadinho de erros ortográficos já há 4 anos... :/

      Eliminar
    6. E já agora, custa-me ver o pessoal a dar essa desculpa de "Angola" (ou até Moçambique) para justificar essa desculpa...

      De qualquer das maneiras, os próprios angolanos (não em 2018, mas já em 2019) dizem isto:
      https://www.angop.ao/angola/pt_pt/noticias/educacao/2019/6/31/Angola-trabalha-para-ratificacao-Acordo-Ortografico,4bd02e8a-8382-4cc2-81b9-a6f0e357bae0.html

      Eliminar
    7. Sim, e que continuem a trabalhar nisso. Por cá, ainda vamos tendo a liberdade de poder escrever com erros deliberadamente.
      Aos poucos pode ser que me vá enganando e me vá aproximando do pós-acordo. Mas acredita que será muuuuuito difícil que alguma vez me apanhem a escrever facto como fato! :)

      Mas quem sabe... daqui por 10 anos posso estar a escrever um artigo por voz, a bordo de um Tesla que se conduz sozinho, e o assistente digital da altura fizer o favor de não me mostrar como está a escrever o que digo. :)

      Eliminar
    8. Se escreveres facto como "fato" estarás a escrever com erro ortográfico.

      A regra básica do acordo ortográfico de 1990 é a de que só se retiram as consoantes que não se falam, mas as que se falam continuam.

      Por isso, se na palavra facto a letra "C" é verbalizada, tens que a escrever.

      Já na palavra caCto, se não verbalizas a letra "C" então deixas de a escrever.

      Custa-me a mim este caso em particular da palavra facto (tal como a palavra "contacto") porque foram precisamente os detratores do acordo que andaram a espalhar essa tremenda mentira, e o pior é que conseguiram enganar tanto pessoal.

      Se quiseres o meu contacto, é um facto que me podes pedir por email.
      Passemos então aos atos.

      Um cumprimento especial, Carlos.

      Eliminar
    9. Só para referência... há quem concorde comigo... :)
      https://www.publico.pt/2019/10/14/culturaipsilon/opiniao/acordo-ortografico-livro-ler-reler-1889830

      Eliminar

[pub]