2019/11/14

Browser Brave lança versão 1.0


Depois das versões beta, o browser Brave chega finalmente à sua versão 1.0, com a qual tem expectativas de transformar o panorama de navegação na web, com foco principal na privacidade dos utilizadores.

O Brave utiliza o Chromium como base (para o bem e para mal), mas conta com uma série de modificações e funcionalidades adicionais que visam maximizar a segurança, melhorar o desempenho e, acima de tudo, proteger a privacidade dos utilizadores. Coisas como o bloqueio de publicidade (incluindo vídeos auto-play) e trackers estão integradas de origem - sem necessidade de instalar extensões adicionais para o efeito, embora seja compatível com extensões do Chrome.

Para quem quiser levar a privacidade ainda mais a sério, o Brave conta com um modo privado que, para além de todas as protecções habituais, usa a rede Tor para tornar praticamente impossível saber ao que se está a aceder.

Outra característica diferenciadora, o Brave pode recompensar os utilizadores que optarem por ver os Brave ads, algumas notificações publicitárias (sempre sob controlo dos mesmos, e sem revelar informação sobre si), usando tokens que eventualmente poderão ser trocados por dinheiro (via a Uphold - empresa portuguesa) ou outros bónus; ou também utilizados para recompensar os sites que visitam e queiram apoiar.

O Brave foi criado por um dos co-fundadores da Mozilla, e acaba por funcionar como um Chrome livre do tracking da Google. Como sempre, nada como o experimentarem durante uns tempos, e logo vêem se ficam bem servidos. Está disponível para Windows, macOS, Linux, Android, e iOS.

Sem comentários:

Publicar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]