2019/11/30

China criminaliza deepfakes e fake news


A China quer antecipar-se à popularização de vídeos manipulados, e proíbe a publicação de vídeos deepfakes e fake news que não estejam claramente marcados como tal, já a partir do início de 2020.

A medida não é inédita, sendo que também o estado da Califórnia avançou com uma lei anti-deepfakes, mas que visava exclusivamente a sua aplicação a políticos e candidatos, para desincentivar a criação de vídeos falsos que mostrem políticos a dizerem "todo o tipo de coisas" (já chega as mentiras que eles próprios dizem de origem! ;P)

No caso da China, a medida é mais global, e aplicar-se-á a todas as áreas e temas. Criar vídeos falsos com intuito deliberado de "desestabilizar" a sociedade poderá mesmo ser considerado crime e ser acompanhado de punição severa.

Infelizmente, da forma que as coisas estão na China, não são necessários vídeos manipulados para criar desestabilização social. Entre os dramáticos níveis de poluição nas grandes cidades, aos campos que insistem chamar de "reeducação"... já têm coisas reais que cheguem com que se preocupar. Qual o passo seguinte, criminalizar a divulgação da realidade?

1 comentário:

  1. Criminalizar os vídeos que manipulam a aparência das pessoas, e/ ou que colocam-nas a dizer coisas que não disseram/ fizeram parece-me bem e é algo que deveriam fazer em Portugal e resto do mundo. A não ser que fosse explicitamente dito verbalmente e exibido na imagem que se trata de uma manipulação e que tipo de manipulação(ões).
    É uma questão de manter a Verdade dos factos acima de tudo! E a Verdade deve ser permanecer como valor acima de tudo e todos.

    A China tem muita coisa errada a acontecer por lá, mas isso não deve impedir que aquilo que é correcto seja aplaudido... e impedir as deepfakes não explicitamente informadas é uma delas. As falsas notícias já é algo mais difícil de provar porque muitas coisas são subjectivas na sua interpretação... mas isso também outros países andam a tentar proibir para acabar com essa praga das mentiras descaradas que prejudica pessoas reais de forma injusta.

    ResponderEliminar

[pub]