2019/12/12

Análise auriculares Huawei FreeBuds 3

A opção pelos earphones Bluetooth é, cada vez mais, uma obrigatoriedade face ao abandono das fichas de 3.5mm nos smartphones, e hoje vamos ver que tal se comportam os auriculares FreeBuds 3 da Huawei.


A Huawei há alguns anos que vem a apostar no desenvolvimento de auriculares in-ear para acompanhar os seus produtos mobile. Os já velhinhos Huawei AM185 são disso exemplo, apresentando na altura uma boa qualidade sonora, e já acompanhada de cancelamento de ruído, algo pouco comum neste tipo de produto.

Os Huawei Active Noise Cancelling Earphones 3 que tivemos oportunidade de testar no ano passado, mostraram ser uma evolução sustentada dos AM185, passando a apresentar as mesmas funcionalidades de cancelamento de ruído, num modelo com ficha USB-C, o que permitiu dispensar a bateria utilizada para alimentar o sistema de ANC do anterior modelo.

Com a saída de cena da ficha de 3,5mm e as restrições impostas pela ficha USB-C ( nomeadamente quando é necessário carregar o smartphone e não se tem um adaptador para o efeito), os modelos sem fios começaram a ganhar outra preponderância e é neste cenário que surgem os Earbuds, agora numa terceira versão.

Os Huawei FreeBuds 3



A caixa, de formato rectangular, segue o layout já utilizado anteriormente em outros modelos, com os auriculares em primeiro plano, ladeados dos acessórios e documentação de referência.



Os auriculares vêm protegidos por uma caixa de transporte que também serve de sistema de carregamento. Para abrir a caixa basta levantar a parte superior, quase como que se estivéssemos a descascar um famoso queijo com um formato muito semelhante. No seu interior, encontramos os dois auriculares e um LED que apresenta o nível de carga dos mesmos.



Para retirar os auriculares da zona onde se encontram alojados basta puxar os mesmos pela haste num movimento vertical. Para comodidade do utilizador, os auriculares encontram-se posicionados do lado da face em que devem ser colocados, pelo que só terão de pegar nos mesmo e rodá-los ligeiramente, o direito no sentido anti-horário e o esquerdo no sentido horário.

Quando pretenderem guardar os auriculares na caixa terão de efectuar o movimento inverso, algo que acaba por não ser muito prático, havendo que segurar no "cone" por forma a poder colocar o auricular no encaixe. Seria mais interessante poder colocar o auricular direito no lado esquerdo, num movimento mais natural, se bem que com inversão do lado em que é instalado.

O facto de este ser magnético permite que se possa virar a caixa sem ter a preocupação dos auriculares caírem. Se a inserção dos auriculares pode ser considerada algo peculiar, já o fechar da caixa é algo que vai por certo agradar com o som emitido a poder ser considerado reconfortante. O problema estará quando derem por estar a repetir este movimento, só porque sim...



O formato destes auriculares segue uma tendência muito em voga, com uma haste e um "cone" que é inserido na cavidade auricular. Ao contrário do habitual, este design não tem uma zona em borracha, apresentado um corpo em formato cónico arredondado. A Huawei refere que este Dolphin Bionic Design é capaz de proporcionar um encaixe mais cómodo e estável na orelha, sem com isto comprometer a qualidade sonora.



No centro deste auriculares, encontra-se o novo Kirin A1, um chip desenvolvido de raiz para estes FreeBuds 3, que apresenta como principais destaques a certificação Bluetooth 5.1 dual-mode BT/BLE, transmissão sincronizada nos dois canais e um processador de áudio a 356 MHz.

A antena de alto desempenho e a utilização de codecs optimizados permitem, segundo a Huawei, a operação sem interferências mesmo nos locais mais movimentados, como estações de comboio e aeroportos. Outro aspecto interessante prende-se com o alcance, com o sinal a chegar bem mais longe que o habitual nos equipamentos deste género.


Em utilização



Na primeira utilização, é necessário emparelhar os auriculares com o equipamento que vai reproduzir o som. Para esse efeito basta abrir a tampa da caixa, pressionar durante dois segundos o botão que se encontra na lateral direita da caixa, e de seguida aceder ao smartphone ou tablet, para efectuar o emparelhamento nas definições das ligações bluetooth.

Depois de efectuado o emparelhamento, nas utilizações seguintes basta abrir a tampa da caixa para que os FreeBuds 3 se liguem automaticamente ao smartphone, tablet ou portátil. Se tiverem emparelhado os auriculares com mais do que um equipamento, estes vão-se ligar automaticamente ao último dispositivo a que estiveram ligados. Para voltar a ligar a um equipamento que tenha sido utilizado anteriormente terão de efectuar a ligação manualmente.

Se estiverem a utilizar um smartphone Huawei a correr EMUI 10, sempre que ligarem os FreeBuds 3 irá aparecer uma janela na zona inferior do ecrã com a informação da percentagem de carga de cada auricular e da caixa. A EMUI 10 oferece ainda outra vantagem, com a reprodução de conteúdos a poder ser iniciada automaticamente ao se colocarem os FreeBuds 3 nas orelhas.

Quando instalados na cavidade auricular, os FreeBuds 3 mantêm-se estáveis, mesmo quando são utilizados durante a prática desportiva - desde que esta não seja demasiado activa. O facto de o "cone" ser rígido acabou por não ter impacto no conforto em utilização, mesmo quando inseridos na orelha durante longos períodos.



O som nos smartphones da Huawei tem tendência para puxar pelos agudos, sendo por vezes algo estridente. Ligando os FreeBuds 3 ao Mate 20 Pro foi precisamente isso que aconteceu, com os agudos a sobreporem-se aos graves. Sendo certo que estes últimos ficam sempre abaixo do desejável (o formato/tamanho dos auriculares não dá margem para grandes milagres), no caso dos FreeBuds 3 este aspecto era notório; mas com a mais recente actualização de firmware (1.9.0.202) o som passou a estar muitíssimo mais equilibrado.


Um dos aspectos em destaque nos FreeBuds 3 é o cancelamento de ruído activo, algo que não era até agora habitual neste tipo de auriculares sem fio. Este cancelamento de ruído fica muito aquém daquilo que os auriculares over-ear oferecem, sendo que os FreeBuds 3 têm a agravante de não possuir a borracha na extremidade do auricular que permitiria isolar o ruído ambiente de forma mais eficiente. O nível de cancelamento de ruído é reduzido, mas suficiente para abafar um pouco o ruído de um comboio em movimento, ou de uma conversa ao nosso lado.

A eficiência do cancelamento de ruído pode ser optimizada através da aplicação AI Life da Huawei. Quando a opção de cancelamento de ruído está activa, o utilizador tem uma figura circular com um pequeno círculo no seu interior, o qual pode ser movimentado em redor do perímetro da figura. Este movimento disponibiliza diferentes configurações para o cancelamento de ruído activo, com o utilizador a poder escolher aquela que se adapte melhor ao seu padrão de audição.



Esta app AI Life tem outras funcionalidades para além da configuração do cancelamento de ruído. O ecrã principal é constituído por blocos, com atalhos para os equipamentos que tenham adicionado à aplicação.

Cada equipamento é representado por um grafismo, sobre o qual se encontram quatro secções:

  • Ligação
  • Estado da bateria
  • Atalhos
  • Cancelamento de ruído e actualizações

A primeira secção serve apenas para efectuar a ligação aos FreeBuds 3. Quando esta se encontra activa, é apresentado nesta secção um atalho para as configurações do bluetooth.

A segunda secção é estática, apresentando apenas a percentagem de carga dos dois auriculares e da caixa.

A secção dos atalhos, é área onde poderão configurar a acção a efectuar em cada um dos auriculares, sendo esta executada através de um duplo toque na zona superior da haste do auricular, junto ao "cone".

Cada auricular pode ser configurado com uma de quatro opções (ou em alternativa, não executar qualquer acção):
  • Tocar/pausa
  • Tocar/próxima música
  • Chamar o assistente
  • Activar/desactivar o cancelamento de ruído

Tendo em conta que esta não é propriamente a primeira incursão da Huawei neste segmento de produto e atendendo a que há inúmeros equipamentos com este formato no mercado, limitar as acções a apenas uma por auricular é extremamente redutor. Um, dois ou três toques ou um toque curto, toque longo e duplo toque, são exemplos de alternativas que triplicam o número de acções disponíveis para o utilizar.

Com um sistema de três acções por auricular, os Freebuds 3 poderão passar a ser bastante mais versáteis neste campo, oferecendo funcionalidades como o controlo do volume, que actualmente não é disponibilizado. Atendendo a que a detecção do toque já existe, será apenas uma questão de actualização do firmware, pelo que é de esperar que a Huawei brinde os seus clientes com esta melhoria no curto prazo.


Carregamento



O carregamento é um dos pontos fortes destes FreeBuds 3, com a caixa de transporte a servir também para este fim. Em operação, os auriculares com uma bateria de 30mAh cada, têm uma autonomia estimada de 4 horas, que pode ser estendida por mais 20 horas graças à bateria de 410mAh incluída na caixa de transporte.

Os FreeBuds 3 levam cerca de uma hora para efectuar um carregamento completo. A caixa leva igualmente o mesmo tempo a carregar quando utilizada a porta USB-C com um carregador capaz de disponibilizar 5V/1.2A - 6W. O carregamento sem fios, bastante mais cómodo, é no entanto mais lento, com a potência de carregamento a baixar para os 2W.

Este aspecto do carregamento acaba por ser bastante prático, pois permite a utilização dos FreeBuds durante uma manhã de trabalho, e carregamento à hora de almoço para utilização durante a tarde. Igualmente prático é o carregamento sem fios da caixa de transporte, que pode ser efectuado num carregador de 5W, que nesta altura se consegue encontrar no mercado por valores muito em conta.


Apreciação final



Estes FreeBuds 3 da Huawei são uma clara evolução dos auriculares que a marca chinesa tem vindo a apresentar no últimos anos, tanto em termos de qualidade sonora como no software, com a aplicação AI Life a ser o parceiro ideal para complementar a utilização do produto.

O design, claramente inspirado num modelo de sucesso da concorrência, peca pela ausência de uma superfície que permita um verdadeiro isolamento acústico, algo que nesta versão em plástico rígido não é possível. Este aspecto acaba por ter mais impacto na questão do cancelamento de ruído do que no conforto em utilização e na qualidade sonora, com esta última a sofrer um incremento considerável com a última actualização disponibilizada pela Huawei.

Com um preço a começar nos 179,90€ não são uns auriculares propriamente baratos, mas também não é esse o segmento de mercado em que a Huawei se pretende estabelecer com este produto. A qualidade áudio acima da média e um sistema de carregamento virado para a mobilidade são os mais fortes argumentos apresentados pelos FreeBuds 3, garantindo-lhe uma classificação de "quente".




Huawei FreeBuds 3

Quente


Os Huawei Earbuds 3 constituem-se como opção incontornável para quem já possui um smartphone da marca chinesa, especialmente os que estejam a correr EMUI 10, por forma a usufruir de todas as potencialidades do produto.

Prós
  • Qualidade de som acima da média
  • Sistema de carregamento

Contras
  • Design questionável
  • Cancelamento atenuação de ruído




Huawei FreeBuds 3

Quente (4/5)

Sem comentários:

Publicar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]