2020/01/26

Pentágono recusa sanções adicionais à Huawei


A guerra entre EUA e Huawei não tem fim à vista, mas a marca chinesa parece ter conseguido encontrar um aliado improvável: o departamento de defesa dos próprios EUA.

Mesmo com as conversações e acordos comerciais já acordados com a China, os EUA preparavam-se para aplicar restrições ainda mais severas à Huawei - mas essa medida está a ser combatida pelo departamento de defesa, que aponta as mesmas preocupações que a de outros fornecedores norte-americanos da Huawei, que ficam em risco de perder um cliente que representaria uma fatia importante da sua facturação.

São preocupações que se arriscam a já chegar tarde, pois suspeito que depois de tudo o que já se passou (e continua a passar), a Huawei não estará disposta a voltar a depender em fornecedores norte-americanos seja para o que for. Quem poderá lucrar com isto são fornecedores europeus e asiáticos, que seguramente estarão a esfregar as mãos perante a eventualidade de passarem a ocupar o lugar de fornecedores previamente ocupado pelas empresas norte-americanas.

Talvez tivesse sido melhor os EUA terem pensado em todas as consequências que o seu bloqueio à Huawei iria ter, alegando toda uma série de riscos de segurança que, até à data, continuam por demonstrar e comprovar.

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]