2020/02/19

Apple AirTags só chegam com o iPhone 12?


As tags de localização AirTags da Apple, que são aguardadas há meses, poderão só ser reveladas na apresentação da próxima geração dos iPhone 12, em Setembro, segundo as previsões de Ming-Chi Kuo.

Desde o lançamento da actual geração de iPhones 11, com chip ultrawideband U1, que se espera que a Apple lance para o mercado as suas próprias tags de localização. A diferença é que, devido a esse chip, estas tags terão capacidade de localização com muito maior precisão face às tags Bluetooth que já existem no mercado (Tile, TrackR, Lapa, etc.), existindo referências que indicam que as mesmas poderão ser encontradas usando-se realidade aumentada, em que se pode apontar um iPhone para uma sala (ou outro local), e ver marcados com balões os objectos a procurar.

No entanto, os meses foram passando e as AirTags continuam desaparecidas, a não ser a descoberta de referências ocasionais em versões beta do iOS, começando a fazer temer se não estaremos perante um novo caso da "eliminada-da-história" base de carregamento AirPower. Mas segundo Ming-Chi Kuo, não será esse o caso, prevendo que a Apple tenha optado por adiar o lançamento das AirTags para acompanhar a próxima geração de iPhones.

Talvez tenha sido devido a problemas técnicos que ainda não permitem utilizar as AirTags da forma que seria esperado (a estreia do NFC nos iPhone X foi feita com bastantes bugs); talvez seja jogada estratégica para garantir que no mercado existam muitos mais milhões de iPhones com chips U1 que possam usufruir destes localizadores. O que é certo, é que será preciso aguardar mais de meio ano para que se possa ver o que valem as AirTags... se as previsões se Kuo se confirmarem.



P.S. Num mundo ideal, estaríamos a discutir um sistema universal de localização, transversal a iOS, Android, ou qualquer outro. :P

1 comentário:

  1. O grande problema destas tags Bluetooth é que cada empresa que a vende tem o seu próprio protocolo de localização, logo se não atingirem uma massa critica de utilizadores, não passam de uma inutilidade.

    Para mim que a Apple fez foi meter esse tal chip nos seus tlms desta última geração (2019) e só apresentar esta "nova" funcionalidade na geração de tlms que se segue (2020).
    Tendo em conta que os iPhones se vendem como pãezinhos quentes, a Apple irá conseguir apresentar uma nova funcionalidade fantástica já com a massa critica minima para a sua utilização no momento da sua apresentação.

    Sendo eu um utilizador Android e Apple Hater, se a minha previsão estiver correcta, só tenho que dar os parabéns à Apple.

    Mas como diz o Carlos, deveria de haver um protocolo universal para este tipo de coisa, depois cada um de nós utilizava a app que gostasse mais.

    ResponderEliminar

[pub]