2020/03/25

Utilização dos smartphones dispara com o "ficar em casa"


O impacto do coronavirus nos hábitos sociais tem sido substancial, e isso reflecte-se também no tempo de utilização dos smartphones, que tem aumento também "exponencialmente".

O relatório semanal do tempo de utilização dados pelo iOS (Screen Time) e Android (Digital Wellbeing) é um indicador precioso para se detectarem potenciais excessos, mas nesta época de coronavirus arrisca-se a pregar alguns sustos.

Tinha ficado eu algo preocupado ao receber o relatório que indicava que a minha utilização tinha aumentado para uma média de 5 horas diárias (quando a minha utilização habitual se costuma ficar por uma média abaixo das 4 horas - já devida a alguma contenção para evitar os tais excesso), mas isso acaba por nem ter qualquer relevância, face a pessoas que neste período de "ficar em casa" obtiveram aumentos de 185% face à utilização habitual, com médias de mais de 8h30m de utilização por dia!

Claro que nem todos os casos se poderão considerar de uso "excessivo". Bastará contemplar um cenário em que sejam pessoas em teletrabalho que tenham o smartphone activo permanentemente ao lado do seu computador a manter uma videochamada em grupo ou uma app de mensagens (e aí já facilmente se atingiram todas aquelas horas de uso por dia).

Por outro lado, continua a ser prudente evitar todos os outros casos em que a dita utilização possa mesmo ser "excessiva". Há muitas outras coisas que se podem fazer em casa, sem que sequer seja necessário ter internet ou gastar electricidade. Como alguns dos nossos leitores já têm sugerido em comentários noutros artigos, podem sempre redescobrir o prazer de ler um livro. :)

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]