2020/04/01

Consumidores norte-americanos aproveitam coronavirus para pedir fim dos limites de dados


Poderá o coronavirus vir ajudar os consumidores a terem finalmente um serviço de internet com dados verdadeiramente ilimitados? Nos EUA há quem esteja a lutar por isso, e por cá os nossos operadores podiam seguir o exemplo.

A par da redução de qualidade nos serviços de streaming de vídeo para poupar as redes neste período de coronavirus, nos EUA os operadores anunciaram a sua "solidariedade" levantando temporariamente os limites de dados - e no processo, estão a demonstrar também que não existe qualquer motivo que justifique a sua existência. Embora o volume de tráfego tenha aumentado substancialmente neste período (cerca de 30%), as redes continuam a funcionar com toda a normalidade e sem que se notem dificuldades.

De notar que estamos a falar dos limites que são aplicados às ligações fixas, por cabo ou fibra, e que no caso da Comcast nos EUA é de 1TB por mês. Por cá, a maioria dos operadores trata essas ligações como sendo ilimitadas - mas pelo menos há alguns anos havia um certo operador nacional que "fechava a torneira" ao fim de 500GB, e nem sequer informava os clientes que era devido a isso.

Noutros tempos, 500GB ou 1TB até poderiam parecer muito... Mas actualmente vivemos numa altura em que muitas pessoas poderão passar horas por dia a ver streaming em Ultra HD 4K (não que isso pese muito aos operadores) e onde é imensamente frequente que jogos para PCs e consolas tenham 50GB (ou até 100GB).

Sem comentários:

Publicar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]