2020/06/23

Hey chega à App Store com subterfúgio


A novela do Hey e da App Store está longe de estar terminada, mas  por agora a Apple parece querer evitar distracções negativas durante o WWDC 2020, e para isso aprovou a app Hey para entrar na App Store.

Um dos argumentos da Apple para a rejeição da app Hey era a de que ao abrir a app ela não trabalhava, a não ser que já se tivesse uma conta - e por  isso começou a exigir a presença de compra in-app (que lhe dariam 30% de comissões). Não demoraram a surgir exemplos de muitas apps que também não funcionam sem uma conta já criada, mas que a Apple aprovou sem qualquer problema.

Não estando nas boas graças da Apple, os responsáveis pelo Hey tiveram que optar por outra técnica que, pelo menos por agora, lhes valeu o acesso à App Store: em vez de adicionarem a compra in-app que a Apple está a exigir, seguiram algo inspirado por outras das sugestões que tinha sido dada pela Apple, a de disponibilizarem uma modalidade de acesso gratuito. E foi precisamente isso que o Hey fez. A app Hey passa a disponibilizar uma conta de testes gratuita durante um período de 14 dias, e em que o endereço de email é escolhido aleatoriamente. Desta forma a app já pode funcionar quando é executada pela primeira vez, mesmo não tendo as compras in-app que também tinham sido sugeridas / exigidas pela Apple.

Por um lado é bom ver a Apple a inverter a atitude arrogante que tinha tido até agora (chegando ao ponto de dizer que as apps do Basecamp nunca pagaram um cêntimo que fosse à Apple ao longo de vários anos); por outro lado, não há como não suspeitar de que esta atitude mais compreensiva apenas dure durante a WWDC para que se evitem fazer perguntas incómodas neste período.

Sem comentários:

Publicar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]