2020/06/30

Parler contraria "liberdade de expressão" e silencia vozes discordantes


A plataforma Parler que se assume como alternativa ao Twitter e que dizia garantir a liberdade de expressão dos utilizadores está, sem surpresas, a silenciar e banir milhares de utilizadores com opiniões discordantes.

Com o Twitter a ter começado a aplicar regras mais severas no controlo do que é dito na sua plataforma (ao ponto de sinalizar alguns tweets de Donald Trump como falsos ou enganadores), não demoraram a surgir as acusações de que estão a tentar silenciar as vozes dos conservadores norte-americanos. Tentando tirar partido disso, outras redes sociais como o Parler, tentam aproveitar esta situação para cativarem esses membros descontentes, prometendo uma liberdade de expressão que, sem surpresas, não demorou a revelar os seus limites.

A plataforma Parler está a fazer precisamente aquilo que acusa o Twitter de fazer, removendo conteúdos e banindo os utilizadores que não se alinhem com a sua ideologia política.

A questão aqui nem sequer é o direito a removerem os conteúdos ou utilizadores. Qualquer site pode, sem qualquer problema, limitar aquilo que acham que é aceitável ou não, sem que isso interfira com o "liberdade de expressão" que tanto se apregoa: lá por alguém viver num país onde tem a liberdade de poder dizer o que bem entender (mesmo que possa ser uma baboseira completa), não tem o direito a utilizar qualquer site como megafone para chegar a mais pessoas. O que acontece é que fica demonstrada a hipocrisia de sites que se assumem como plataforma para que isso aconteça... mas onde também fica demonstrado que a tal liberdade de expressão só é garantida para quem não discorde deles.

1 comentário:

  1. Leia as regras e veja pq vc pode ser banido. Seu texto é tendencioso e a foto não mostra ou prova absolutamente nada. Há pessoas de esquerda lá, a única diferença é que não encontram eco. Acho que se deve haver censura para ideologias que em seu DNA já é genocida historicamente, como o Marxismo, o Socialismo, o Comunismo, Nazismo e Fascismo. "Matar é essencial", disse Karl Marx. Disse também: "As classes e as raças, fracas demais para conduzir as novas condições da vida devem deixar de existir. Elas devem perecer no holocausto revolucionário" (Karl Marx).

    ResponderEliminar

[pub]