2020/08/31

Bicicleta Superstrata inova com quadro impresso em carbono


Os fãs das bicicletas inovadoras estão a ficar fascinados com a Superstrata, que promete um quadro revolucionário em carbono impresso em 3D, à medida de cada pessoa, e com peso inferior a 2 kg.

A Superstrata é uma bicicleta feita por medida para cada comprador, algo que se torna possível devido ao facto de ser "impressa"; e a rigidez da sua estrutura é tal que até permite que o quadro seja apenas um losango sem necessidade do reforço central tradicional. É por isso fácil perceber porque motivo esteja a atrair tantos interessados, contando neste momento com mais de 3500 investidores no Indiegogo e com um valor angariado de mais de 4.6 milhões de euros!

Os preços começam nos $1499 para o modelo normal e $1999 para a versão eléctrica; mas há toda uma lista de extras e upgrades que vão das rodas em carbono ($799), aos travões, guiador, e transmissão, que podem adicionar mais uns milhares de dólares à conta.

A entrega está prometida para Dezembro deste ano mas, como é habitual neste tipo de projectos de crowdfunding, o habitual é que esse prazo não seja cumprido. Resta-nos esperar que este seja uma das excepções a essa regra, e que não se venha a tornar em mais um mau exemplo dos projectos milionários que têm dado mau nome ao crowdfunding ao não entregarem o que prometiam.




6 comentários:

  1. Para ser sincero parece-me fruta a mais. Por outro lado gostava que fosse verdade porque até estaria interessado numa.

    ResponderEliminar
  2. Parei de ler na palavra Indiegogo...

    ResponderEliminar
  3. Um produto concebido por designers... não engenheiros...

    ResponderEliminar
  4. Muito sinceramente... se este "design" fosse eficaz e robusto, concerteza que as marcas das "verdadeiras" bicicletas já o tinham descoberto"...

    ResponderEliminar
  5. Um quadro de estrada com 1.3 kg é uma enormidade. Um quadro em carbono por esse preço pesa metade disso. Quadros para BTT pesam menos de 1 kg. E parece-me que o principal motivo para esse peso excessivo vem do material extra necessário para compensar a falta do tubo de selim...
    Mas a ideia po

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas a ideia pode ter futuro. Aliás as marcas já estudam o fabrico de quadros e peças em 3D há alguns anos.

      Eliminar

[pub]